mar 292016
 
festivao do japao vinhedo
A Associação Cultural e Esportiva Nikkey de Vinhedo, com apoio da Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Vinhedo, está organizando o seu 7º FESTIVAL DO JAPÃO  na cidade de Vinhedo, SP, a 75 Km da Capital de São Paulo., nos dias  13, 14 e 15 de Maio de 2016.
A festa terá início na  sexta-feira 13 de Maio (18:00 as 22:00),  no sábado 14 de Maio  (10:00 às 22:00) e no domingo 15 de Maio (10:00 às 17:00 horas).
Comidas típicas, produtos japoneses e diversas atrações culturais, como taikô fazem parte deste Festival do Japão em Vinhedo.
Local do Evento: Parque Municipal Jayme Ferragut, no mesmo local onde é realizado todos os anos a Festa da Uva de Vinhedo.
mar 222016
 

hanamatsuri elefanteA ACAL – Associação Cultural e Assistencial da Liberdade, em conjunto com a Federação das Escolas Budistas do Brasil, a Associação dos Admiradores do Buda Xaquiamuni e a Aliança Feminina Budista do Brasil, promove o 50º HANAMATSURI, Festa das Flores, comemorando o aniversário do Buda Xaquiamuni, que será realizado na praça da Liberdade, em São Paulo. O Buda estará comemorando 2640 anos de nascimento.

PROGRAMAÇÃO:

De 04 a 08 de abril de 2016 (segunda a sexta-feira), das 10 às 16 horas:
Oferenda de chá adocicado (amachá) nas tendas montadas na praça da Liberdade, abençoando o público presente com a sabedoria de Buda. Grátis!

hanamatsuri 0050Dia 09 de abril de 2016(sábado) – Solenidades:
10h00 – Abertura religiosa com presença de ilustres convidados, autoridades civis e militares.
10h10 – Música.
10h25 – Palavra das autoridades.
10h35 – Música e distribuição de ramalhetes de flores aos convidados.
11h30 – Após a solenidade, o cortejo solene do elefante branco sairá da Praça da Liberdade, acompanhado de fanfarra e de crianças com roupas típicas, de diversas escolas participantes, seguindo pela rua Galvão Bueno, rua Américo de Campos e avenida da Liberdade até o nº 365, sede da ACAL.

Saiba o significado do elefante branco e sobre o Hanamatsuri.

mar 142016
 
Kodo dadan

Foto Takashi Okamoto

Um dos mais tradicionais grupos de taikô do Japão, o grupo Kodo desembarca no Brasil, para uma série de apresentações. No Rio de Janeiro, o show acontece na Cidade das Artes, de 17 a 19 de março, além de uma exibição gratuita, no Parque Madureira, no dia 20.
A companhia traz o aclamado espetáculo “Dadan” – criado por Tamasaburo Bando, prestigiado nome do teatro Kabuki e o onnagata (ator especializado em papéis femininos) mais celebrado do país asiático -, que explora de maneira vigorosa os sons dos milenares tambores taiko, nos seus mais variados tipos e tamanhos.
Diferentemente do padrão das performances do grupo, “Dadan”, que significa “os homens dos tambores”, se caracteriza pela ausência de canto, dança, flautas e componentes do sexo feminino. Na medida em que os componentes do elenco se revezam no tambor gigante (O-daiko), posicionado no centro do palco, os movimentos testam, simultaneamente, os limites físicos, a técnica, o coração e a mente de cada um dos integrantes.

Cidade das Artes – Data: Rio de Janeiro – De 17 a 19 de março
Horário: De quinta a sábado, às 21h, Local: Grande Sala – Cidade das Artes
Capacidade: 1250 lugares – Classificação etária: Livre – Duração: 90min (sem intervalo)
Ingressos: Plateia, Frisas e Camarote: R$ 150,00 (inteira) R$ 75,00 (meia entrada), Galerias: R$ 50,00 (inteira) R$ 25,00 (meia)
Meia entrada disponível – www.ingressorapido.com.br
Informações e venda de ingressos: 21 4003-1212

Parque Madureira – Data: Dia 20 de março – Horário: Não foi informado

Entrada Franca

mar 142016
 

kasamayaki004Nos dias 29 e 30 de março, duas sessões especiais exibirão o documentário Kasamayaki (Made in Kasama, Japão & EUA, 2014, 78 min, Blu-ray, legendado), seguido de bate-papo com a cineasta japonesa Yuki Kokubo. Os eventos acontecem respectivamente no cinema Caixa Belas Artes, às 19h30, em São Paulo, e no dia seguinte, no auditório municipal do Centro Cultural “Carlos Fernandes de Paiva”, às 15h, na cidade de Bauru.
As duas sessões terão entrada gratuita. Em São Paulo, os ingressos serão distribuídos a partir de 24 de março, na bilheteria do cinema. Mais informações sobre o documentário em: www.kasamayakifilm.com

kasamayaki006Yuki Kokubo – Yuki Kokubo nasceu em Kasama, na Província de Ibaraki, em uma comunidade rural de artistas no Japão. Aos oito anos de idade, partiu com os pais para Nova Iorque, em busca do sonho de viver da arte. Após alguns anos, presenciou o fim dos sonhos de seus pais, que, com dificuldades, decidiram retornar ao Japão, deixando a filha nos Estados Unidos. Yuki, aos 16 anos de idade, começou a fotografar e frequentou a School of the Art Institute, em Chicago. Mais tarde, estudou Social Documentary Film na Escola de Artes Visuais.
Em 2011, assistiu pela imprensa a devastação do terremoto e tsunami e sua terra natal. Com a tragédia ocorrida no Japão, mesmo ressentida pelo suposto abandono de seus pais, Yuki decidiu que era hora de voltar à sua terra natal para visitá-los e ver com os próprios olhos o que restou após a tragédia.
“Senti a necessidade de estar perto de minha família e também de documentar o que estava acontecendo no Japão”, revela.
Foi assim que começou a trabalhar em seu primeiro documentário de longa-metragem, Kasamayaki (Made in Kasama). Em 2013, o filme recebeu financiamento da Fundação Jerome e foi selecionado como um dos dez filmes documentários para o IFP’s Independent Filmmaker Labs. Em 2014, Yuki recebeu uma bolsa individual do Conselho de Estado de Nova Iorque para as Artes por seu trabalho em Kasamayaki.

Kasamayaki (Made in Kasama) – O documentário tem início já no aeroporto, no momento de seu desembarque. Com o passar do tempo, Yuki pressiona seus pais por respostas, em meio ao dia a dia que intercala atividades domésticas e jardinagem a pequenos tremores de terra e a constante preocupação com os níveis de radiação, visto que a cidade está localizada a aproximadamente 140 km dos reatores nucleares de Fukushima. Ao longo do filme, Yuki revela, por meio de diálogos tensos, as complexas ligações e imperfeições de uma família e sua busca por respostas acumuladas ao longo dos anos. Assim, realizando pequenas entrevistas com os pais, lentamente (e relutantemente) percebeu que estar lá era a chance de redescobrir quem eram seus pais e o real motivo do distanciamento da família. “A câmera tornou-se uma ferramenta poderosa, permitindo que eu abordasse temas difíceis que evitávamos havia muito tempo.” Foi assim que percebeu que aquele filme não apenas poderia retratar uma região devastada e o início de sua luta para se reerguer, mas também a reunião e a compreensão de um drama familiar. “Pude perceber a forma como meus pais usam a criatividade para superar dificuldades na vida e assim, finalmente, entendi que o meu filme poderia ser usado para curar não apenas a nossa família, mas também inspirar outras a encontrar a cura em suas próprias vidas.”

Kasamayaki (Made in Kasama, Japão & EUA, 2014, 78 min, Blu-ray, legendado)
29 de março, terça-feira, às 19h30 – São Paulo
Local: Cinema Caixa Belas Artes – Sala Carmen Miranda (96 lugares) – Endereço: Rua da Consolação, 2423 – Cerqueira César – São Paulo, SP – Informações: (11) 2894-5781
Ingressos Gratuitos – Retirada a partir de 24 de março na bilheteria do cinema.

30 de março, quarta-feira, às 15h – Bauru
Local: Auditório Municipal do Centro Cultural “Carlos Fernandes de Paiva” (60 lugares)
Endereço: Av. Nações Unidas, 8-9 – Centro – Bauru, SP – Informações: (14) 3235-1312
Entrada Franca – Sem necessidade de ingresso

Realização – Fundação Japão em São Paulo
Apoio – Caixa Belas Artes – Secretaria Municipal de Cultura de Bauru

mar 102016
 

Charaku-Sanshotei-Michyo-Kagami-e-Hanna-HayashiyaO Hospital Santa Cruz promove uma sessão gratuita de teatro clássico japonês de variedades. O evento será composto por apresentação de Daikagura (arte japonesa tradicional de malabarismo), Kamikiri (arte japonesa de cortar papel) e o tradicional Rakugo (popular arte japonesa de contar histórias).
No dia 17 de março, quinta, o espetáculo ocorre no Hotel Blue Tree Morumbi, às 20h30.
No dia 18, a apresentação acontece no salão nobre da Faculdade de Direito da USP, a partir das 10h30.
A técnica do corte de papel será apresentada pela Hana Hayashiya, cuja especialidade é retratar silhuetas humanas, animais, signos do zodíaco chinês, símbolos de sorte e cenas tradicionais japonesas. Hana já se apresentou em Paris e Taiwan.
A sessão de Rakugo será feita por Charaku Sanshotei, que tem mais de 50 anos de experiência. Durante a apresentação, o artista se senta em uma pequena almofada e entretém a plateia contando histórias cômicas, fazendo o papel de narrador e de outras personagens, utilizando-se de mímica e de diversos adereços. Charaku tem em seu repertório mais de 100 histórias.
O malabarismo ficará a cargo de Michiyo Kagami, artista formada no Centro de Treinamento em Artes Tradicionais Japonesas do Teatro Nacional, onde, além do Daikagura, aprendeu a tocar instrumentos como tambor, flauta e shamisen, um instrumento de corda. Michiyo iniciou sua carreira em 2011 e se apresenta no Japão e no exterior.
Os interessados podem fazer suas reservas ligando no (11) 5080-2141. As vagas são limitadas.

SERVIÇO
Teatro Clássico Japonês de Variedades
Data: 17 de março – Hora: 20h30
Local: Blue Tree Morumbi (Av. Roque Petroni Junior, 1000 – São Paulo/SP)
Mais informações: (11) 5080-2141 – tratar com Mariangela ou Juliana
Data: 18 de março – Hora: 10h30
Faculdade de Direito da USP – Largo São Francisco, Centro

O mesmo espetáculo será apresentado no Rio de Janeiro, na Sala Cecília Meirelles (Rua da Lapa, 47 – Lapa), no dia 16 de março, às 20 horas.

mar 042016
 

Toyo Awaodori11º NIKKEY MATSURI 2016 Dias 12 e 13 de março de 2016, início às 10 horas, no Memorial da América Latina, Rua Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, Zona Oeste. Em novo endereço. O ingresso é 1 kg de alimento não perecível. https://www.facebook.com/nikkeymatsuri/

31ª AKIMATSURI DE MOGI DAS CRUZES 2016
Dias 9 e 10, e 16 e 17 de abril de 2016, no Centro Esportivo da Associação Cultural de Mogi das Cruzes – Bunkyo, Av. Japão, 5919 • Bairro Porteira Preta • Mogi das Cruzes. 100 estandes comerciais, 25 boxes de alimentação, exposição agrícola, 57 atrações e 6 mil vagas para estacionamento. Telefone 11 4791-2022 – Bunkyo Mogi das Cruzes. http://www.akimatsuri.com.br/a-festa

50º HANAMATSURI – FESTIVAL DAS FLORES 2016 DA LIBERDADE – Dias 11 a 16 de abril de 2016. A tradicional festa em homenagem ao nascimento de Buda (confirmada). Veja o que é Hanamatsuri.

10º BUNKA MATSURI FESTIVAL DE CULTURA JAPONESA, – Dias 21 e 22 de maio de 2016. No Edifício Bunkyo, Rua São Joaquim, 381 – Bairro Liberdade, São Paulo (metrô São Joaquim).

7º JAPAN MATSURI DE OSASCO – Dias 11 e 12 de junho de 2016, na sede da ACENBO, Rua Acenbo, 100 – Bairro Umuarama – Osasco. Tel. 11 3684-0904.

51º GUEINOSAI – FESTIVAL DE MÚSICA E DANÇA FOLCLÓRICA JAPONESA 2016 – Dias 25 e 26 de junho de 2016, no grande auditório da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa – Bunkyo, na rua São Joaquim, 381. Informações: 11 3208-1755. A seletiva será em abril de 2016.

30ª FESTA DA CEREJEIRA DE GARÇA 2016
Dias 24, 25 e 26 de junho de 2016, no Lago Artificial J. K. Williams. A maior festa da cidade de Garça, no interior de São Paulo, é a Festa da Cerejeira, aproveitando seu bosque de cerejeiras que florescem nessa época. Muitas atrações, shows e oficinas são programados para a festa, que atrai uma verdadeira multidão de cidades vizinhas. O evento conta com uma grande praça de alimentação e de comércio variado, incluindo artigos orientais.

JAPÃO EM SÃO BERNARDO DO CAMPO 2016 – 35ª Festa da Imigração Japonesa – Dias 25 e 26 de junho de 2016, das 10 às 21 horas, no CENFORPE – Av. Dom Jaime de Barros Câmara, 201 – Planalto – São Bernardo do Campo – SP

20° FESTIVAL DAS CEREJEIRAS BUNKYOS – SAKURA MATSURI 2016
Dias 2 e 3 de julho de 2016, no Centro Esportivo Kokushikan Daigaku, em São Roque – SP
O tradicional evento japonês faz parte do Calendário Turístico de São Roque e é realizado numa área de 581.758m² onde estão plantados 400 pés de cerejeiras, em diferentes pontos, que na época de floração proporcionam um espetáculo de inesquecível beleza.

19º FESTIVAL DO JAPÃO 2016 – IMIGRANTES
Dias 8, 9, 10 de julho de 2016, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, com ônibus gratuito saindo do metrô Jabaquara, em São Paulo. O maior evento nikkei do Brasil. Veja o site do Festival do Japão.

38º FESTIVAL TANABATA MATSURI 2016 – Confirmado para os dias 16 e 17 de julho de 2016, na Praça da Liberdade, Ruas Galvão Bueno e Estudantes, no bairro da Liberdade, em São Paulo.

5º TO-SA MATSURI 2016 – Evento tradicional da província de Kochi, terra de famosos samurais. Dias x e x de agosto de 2016, no Parque da Água Branca, Zona Oeste, São Paulo. (data a confirmar). Veja a programação do ano passado.

NIPPONFEST e NIPPON POP 2016 – ARUJÁ – O evento tradicional é realizado em homenagem ao Dizô-Sama, imagem budista protetora das crianças e dos viajantes. A promoção é do Nippon Country Club e acontece no seu campo em Arujá. Dias 28 e 29 de agosto de 2016.

Obs. O site é atualizado à medida que as datas são confirmadas pelos organizadores. Se sua entidade tem evento para divulgar, por favor, nos envie um e-mail, que estaremos fazendo a divulgação de graça: diretoria@culturajaponesa.com.br

mar 042016
 

Antoine Abi Aad-kanji-726x1024Em março, o público terá a oportunidade de conhecer o trabalho do professor libanês Antoine Abi Aad, Doutor e Mestre em Design e Comunicação Visual pela Universidade de Tsukuba (Japão) e Mestre em Estudos Superiores em Publicidade pela Academia Libanesa de Belas Artes.
O tema da palestra, com realização no dia 19 de março (sábado) das 15 às 18 horas, será o “Kanji” (ideograma japonês). A unidade São Joaquim da Aliança também sediará uma exposição com 64 quadros do artista. O evento é uma realização conjunta entre a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo) e a Aliança Cultural Brasil-Japão, e faz parte dos eventos comemorativos aos 60 Anos da Aliança.
O professor Abi Aad fala japonês fluentemente e está em sua quarta visita ao Brasil, realizando oficinas e exposições em instituições de renome, como a Universidade de Brasília, Universidade Federal do Maranhão e Universidade de São Paulo. O artista é reconhecido por mais de 80 exposições e oficinas internacionais em países como Líbano, Japão, África do Sul, Coreia, China, Rússia e Alemanha
Serviço:
Palestra “Kanji” – professor Antoine Abi Aad
Data: 19 de março (sábado), Horário: 15 às 18h
Local: Auditório – Aliança Cultural Brasil-Japão – unidade São Joaquim
R. São Joaquim, 381, 6º andar, Liberdade
Informações: (11) 3209-9998 / saojoaquim@aliancacultural.org.br
Participação gratuita, limitada a 50 participantes.
Inscrições até 10/03: http://tinyurl.com/palestra-aad
Exposição “Kanji” – professor Antoine Abi Aad
Data: 19/03 a 09/04, Horário: 09 às 19 horas
Local: Aliança Cultural Brasil-Japão – unidade São Joaquim
R. São Joaquim, 381, 6º andar, Liberdade, Participação gratuita
Realização: Aliança Cultural Brasil-Japão e Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social

mar 012016
 
linda sansei1617_o

A partir da esquerda: Sayuri, Yukaren, Mutsumi, Sakura e Shiori – Linda Sansei

O grupo de J-Pop formada por brasileiras está com a agenda lotada. Mesmo assim, entre um ensaio e outro, conseguiram tempo para responder às perguntas de fãs coletadas pelo site CulturaJaponesa.

Maria Lamezon: Vocês já pensaram em fazer um blog/ameblo? Seria muito legal saber mais sobre o dia a dia de vocês, os treinos e tal.
O que ser uma Idol significa pra vocês? E, se vocês não fossem idols, o que gostariam de fazer? Gosto muito do grupo, continuem se esforçando.

(Mutsumi) Nós gostaríamos de fazer sim um blog, mas agora está um pouco difícil porque estudamos todas em período integral, e ainda temos os ensaios, shows, gravações e a preparação para tudo isso, por isso fica um pouco difícil.

(Todas) Para nós, ser idol significa um sonho realizado!

(Sayuri) Se não fosse idol eu gostaria de ser modelo.

Diego Agnelo: Qual a musica brasileira favorita de vocês?

(Mutsumi) Mas Que Nada, do Jorge Ben Jor, que está no nosso disco.

Lucas Falzoni: Sayuri e Shiori – quando vocês acordam estão mais parecidas?

(Shiori) Antes de fazer maquiagem e descabeladas, acho que a gente se parece mais rs.

Artur Daniel: Vocês têm vontade de se apresentar no Brasil um dia? Qual o maior sonho de vocês? Sou muito fã de vocês, beijos e continuem sendo o meu grupo de J-Pop favorito.

(Mutsumi) Obrigada! O nosso maior sonho é poder fazer uma apresentação no Brasil, um dia!

Iohana Araújo: Olá, meninas. Eu acompanho o grupo desde a sua estreia e fiquei um pouco afetada com a saída da Naomi. Gostaria de saber como vocês lidaram com isso e também saber um pouco sobre a nova integrante. Também gostaria de saber se vocês pretendem voltar com o ‘Viva Linda Sansei’.

(Mutsumi) No começo foi bem difícil para nos acostumarmos com a saída da Naomi, porque tínhamos laços de amizade muito fortes com ela. Mas como o grupo não podia parar, nos esforçamos para seguir em frente.

(Sakura) Quando entrou como estagiária a Yukaren era bem tímida e quase não conversava com a gente. Mas por ela ser bem esforçada e carismática, tornou-se membro do grupo e hoje é querida por todas nós, e pelos fãs também.

(Sayuri) Como agora temos os 3 canais no YouTube, com 3 vídeos novos toda semana, não temos previsão de voltar com o‘Viva Linda Sansei’

Bryan Cristofer: Vocês pretendem vir ao Brasil em breve? Como tem sido para vocês morar no Japão, foi difícil se adaptar, ser aceitas? Como foi tudo? Obrigado, beijosss, amo vocês meninas.

(Sakura) O primeiro ano na escola foi o mais difícil, acho que para as outras meninas também foi igual. Porque eu não sabia falar japonês, nem segurar o hashi direito nas refeições, não queria ir para a escola mais. Mas agora eu tenho amigas japonesas também e ir para a escola é muito divertido!

浩二:日本の普通の高校通っているのですか。日本人の同級生と友達に成れましたか。

(Yukaren) サユリとシオリは普通の高校で私、ムツミとサクラは普通の中学校です。日本人の友達と一緒にいるとすごく楽しいです。日本語や日本のことについて色々教えてくれます。

Rafael Moreira Haubrich: O que o público aí do Japão acha de brasileiras em um grupo de j-pop? Eles gostaram tanto quanto nós brasileiros gostamos?

(Shiori) Eles gostam porque acham exótico, diferente de tantos grupos que existem no Japão, tanto pelo nosso visual quanto pela “ginga” brasileira.

Fatima Syllen: Oiii vocês são muito lindas quando vocês virão para o Brasil?

(Sakura) Oi! Como frequentamos a escola japonesa, nós só nos apresentamos aos fins de semana no Japão, mas queremos muito nos apresentar um dia no Brasil, quem sabe num período de férias!

Domingos Adriano: Olá Meninas? Gostei muito de Vocês, até porque são Linda. Espero poder conhecer-vos uma por uma.

(Mutsumi) Obrigada!! Nós queremos muito também um dia conhecer todos do Brasil que tem nos apoiado!

Maria Paula: Muitos grupos idols têm cores definidas para seus integrantes, Linda Sansei tem isso? Se sim, qual a cor de cada uma?
E quais são seus cantores (brasileiros ou não) favoritos?

(Sayuri) Como nós somos brasileiras, usamos muito as cores do Brasil em algumas das fantasias, mas não há uma cor definida para cada membro.  Nossos artistas preferidos são BTS (K-POP Sayuri & Shiori), Momoiro Clover Z (Sakura), E-girls (Yukaren), Ariana Grande (Mutsumi).

Camila Pontes: Como vocês lidam com o fato de serem brasileiras (ou terem origem brasileira) e trabalharem no mercado japonês competindo com japoneses? Vocês já se sentiram em um nível inferior aos grupos idols japoneses de sucesso como AKB48 ou Morning Musume’15?

(Mutsumi) Os grupos AKB48 e Morning Musume são uns dos maiores e mais famosos do Japão, têm melhor preparação e produção, e com certeza são superiores. Em relação aos outros grupos menores, nos sentimos inferiores na questão da comunicação com os fãs japoneses, já que as outras idols fazem isso muito bem. Mas continuaremos treinando para melhorar e nos comunicar cada vez melhor com nossos fãs.

Cintia Welp Albuquerque: Olá, sou professora de uma escola tradicional aqui da minha cidade, uma escola centenária e com mais de 3000 alunos. Dou aula para 22 crianças de 5 anos e estamos estudando sobre crianças de diferentes culturas. Para entendermos seus costumes, brincadeiras e maneiras de viver. Gostaria de saber se poderíamos marcar uma troca virtual através de vídeo com transmissão simultânea para que as crianças conheçam o trabalho de vocês. E que vocês possam enriquecer nosso projeto sobre o Japão.

(Shiori) Olá! É um projeto muito bacana, gostaríamos muito de participar! Mas a dificuldade está no fato de que nós estudamos em período integral e só nos reunimos aos fins de semana para eventos e ensaios, já que cada uma mora em cidade diferente.

Palloms Bia: Qual o grupo de J-pop vocês gostam mais? Qual grupo de J-pop que inspiram vocês?

Fairies (Sayuri, Shiori, Mutsumi), Momoiro Clover z (Sakura), E-girls (Yukaren)

Rafa Blues: Como se adaptaram no Japão?

(Sayuri) No começo tudo era estranho e diferente do que estávamos acostumadas, mas os japoneses são muito atenciosos e pacientes. Os amiguinhos da escola e os professores nos ensinaram muitas coisas, e como viemos para o Japão ainda muito crianças, foi mais fácil para nos adaptarmos.

西村真紀:学校でクラブ活動していますか。それぞれ興味は別ですか。これからも頑張ってください。

(Shiori) 私とサユリはダンス部に入りました。メンバー全員の趣味はダンス、ファッション、音楽です!

Tiemi Takechi: Como é o nome dos fãs ou do fandom do Linda Sansei? Como vocês fazem para saber quem é a Sayuri e quem é a Shiori? Vocês têm regras como integrantes do Linda Sansei? O que vocês estariam fazendo hoje se não tivessem formado o grupo? Beijos ao Linda Sansei e muito sucesso.

(Mutsumi) Nós chamamos nossos fãs de Lindinhos e Lindinhas! Se observar bem, a Sayuri e a Shiori têm os rostos um pouco diferentes, mas aqui vai uma dica fácil: a Sayuri tem uma covinha (covona enorme) na bochecha direita, e a Shiori tem uma pinta na bochecha esquerda. Nós temos várias regras no grupo, como por exemplo não poder namorar, não cortar o cabelo sem autorização, se bronzear (porque no Japão o bonito é ser branquinha), postar em redes sociais, horários etc. Se nós não fôssemos idols, talvez hoje estaríamos só estudando, como garotas normais. Na verdade é bem puxado estudar e levar a carreira, não sobra tempo nenhum pra passear com as amigas da escola. Mas nós somos muito amigas no grupo e amamos o que fazemos! Muito obrigada!

Linda Sansei (リンダ3世) é um grupo de J-Pop da comunidade brasileira no Japão. Com uma média de 15 anos de idade, todas são estudantes e começaram na província de Gunma. Elas falam português e japonês com fluência, e cantam nos dois idiomas. No início, em 2013, Linda III Sei se apresentava mais em eventos da comunidade brasileira de Gunma, mas agora é convidado de diversos eventos e programas. Por cantarem e dançarem samba, além de músicas próprias no estilo pop, os japoneses começaram a notar o talento dessas jovens. No último ano, as meninas se apresentaram no Festival Brasil 2015, em Tóquio, no Yokohama Kawaii Parade (J-Pop Culture Festival), em Yokohama, no Ashikaga Idol Collection de Tochigi, no Festival de Inverno de Tsumagoi, Busta Times in Shinjuku Marz, Carnaval de Oizumi 2016, Club Voice Mito de Ibaraki, entre muitos outros eventos.

Veja o site oficial de Linda Sansei: http://linda3.jp/  A página no facebook

群馬県の日系ブラジル人コミュニティより、2013年に結成された平均年齢15歳の5人組ブラジリアンガールズユニット。
全員学生であるため休日を中心に群馬県を拠点に活動中。