out 112016
 
yukata-kitagawa-975_nSinta-se linda e naturalmente elegante com um YUKATA. O Workshop é para ensinar mulheres para se vestirem sozinhas, como as japonesas fazem. Além de segredinhos de beleza e elegância à japonesa, dicas de etiqueta e postura, usos mais “fashionistas” e “sport chic”, e um pouco da cultura do YUKATA será explicada. Dicas de como fazer seu próprio YUKATA e acessórios.
YUKATA é o quimono de algodão estampado usado no verão especialmente em passeios e festivais. No Japão é sinônimo de feminilidade e de elegância informal e natural.
O workshop: “Como se Vestir um Yukata” será realizado no dia 06 de novembro de 2016, na sede da Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil (Avenida Lins de Vasconcelos, 3352 – saída do metrô Vila Mariana, São Paulo), das 9 às 12 horas.
Obs. Após o workshop, que termina às 12 horas, quem quiser poderá participar de um passeio de metrô até a Avenida Paulista para experimentar o Yukata, se o tempo permitir.
Esta oficina é exclusiva para mulheres.yukata-kitagawa-61_n
Material necessário:

– Tendo seu próprio YUKATA, verifique se tem também os acessórios (check-list abaixo):
–  Yukata
– Faixa principal da cintura (obi)
– Placa para faixa principal (obi ita)
– 2 faixas simples de amarrar (himos) OU elásticos c/ clipes de fecho (kõrin belts)
– sandália (calçado ocidental), chinelos de dedo tipo havaianas ou a sandália de madeira (getá).
– flor para decorar o cabelo (opcional)

yukata-kitagawa-41_nRoupa de Baixo (venha vestindo por baixo, uma das opções)
  a – Bermuda ciclista OU legging + Camiseta branca (tipo regata sem mangas OU com mangas e decote “V”)
  b – Saiote + Camiseta branca (tipo regata sem mangas OU com mangas e decote “V”)
  c – roupa de baixo apropriada para Yukata, se tiver
Além da sua própria maquiagem (por questões de higiene e saúde, não recomendamos compartilhar maquiagem) e material para pentear o cabelo.
Taxas de inscrição: R$ 35,00 para quem trouxer o próprio YUKATA
                                   R$ 60,00* para quem NÃO tem o próprio YUKATA
obs. *Será emprestado YUKATA para workshop (limitado a 5 vagas)
Inscreva-se já pelo Sympla

Professora: Cristiane A. Sato, Formada em Direito pela Universidade de São Paulo, publica artigos sobre cultura popular e história japonesa em jornais e revistas desde 1993. Autora do livro “Japop – O Poder da Cultura Pop Japonesa” (2007), atualmente prepara um livro sobre moda japonesa. Ministrou palestras em eventos no Centro Cultural Itaú, Sesi, Sesc, Senac, USP, Fundação Japão, Embaixada e Consulado Geral do Japão, entre outros. Foi bolsista da JICA na Universidade de Kanazawa, onde participou de cursos e oficinas sobre tecidos, confecção e uso do quimono, técnicas de arte tradicional, etc.
out 212014
 
http://www.kimono-yamato.co.jp/ekiren/kanazawa

http://www.kimono-yamato.co.jp/ekiren/kanazawa

Vestir um yukata ou quimono não é uma tarefa fácil, mesmo para as japonesas. A conservação dessas peças exige um cuidado especial, e carregar na viagem é um outro problema que desencoraja muitas pessoas.

Percebendo o crescimento do interesse das moças pelo quimono e yukata, a rede “Kimono Yamato” iniciou uma promoção ousada, nas suas lojas de Osaka, Tóquio e Kanazawa. Todas essas lojas estão estrategicamente instaladas em estações de trem, onde chega a maior parte dos turistas.

A promoção recebeu o nome de “Ekiren”, que é uma abreviação de “Eki”, estação, e “Ren” de rental, aluguel. É simples. A jovem chega de viagem de trem e visita a loja sem sair da estação. Escolhe e aluga um dos modelos de quimono e paga 5.000 ienes (50 dólares). No valor estão incluidos todos os acessórios, menos a meia tabi (que pode ser vendida a parte se você não tiver), e o trabalho de vestir (kitsuke). A preparação do cabelo e a maquiagem não fazem parte. Em Kanazawa, como tudo fica perto, pode-se passear pelo belo Castelo de Kanazawa e caminhar pelo parque Kenrokuen, ou visitar a vila dos samurais com suas ruelas estreitas e restaurantes típicos. Na hora de devolver o quimono, se a pessoa gostou, poderá ficar com ele, apenas devolvendo o Obi (cinto) e os acessórios! No caso, a promoção é para o quimono de poliéster, que é bonito do mesmo jeito. O estabelecimento só aluga quimonos femininos.

ekiren 2 kanazawaA promoção é válida todos os meses do ano. De outubro de 2014 a maio de 2015, a locação é do quimono. De junho a setembro de 2015, o aluguel é de yukata, para combinar com o clima da época.

A loja ministra cursos de como vestir quimono e yukata, e divulga no site alguns ensinamentos básicos, como mostram os vídeos abaixo:

Como vestir Yukata sozinha:

Como fazer o Bunko Obi (Obi de Meia Largura):

Para saber mais, site em japonês da Kimono Yamato

jul 082014
 
Tanabata com quimono - foto Laika Ac

Tanabata com quimono – foto Laika Ac

A Associação Brasileira de J-Fashion promove um passeio de pessoas usando quimono (yukata, hakama e outros tipos) pelo bairro da Liberdade, em São Paulo.

A ideia é resgatar o costume de utilizar essa vestimenta nas ruas, principalmente em dias de eventos de cultura japonesa. O quimono existe há muito tempo, mas não deve ser objeto de decoração ou de uso ocasional em apresentações de odori (dança japonesa). Deve ser usado em várias ocasiões, como acontece no Japão. É o que dizem os representantes da J-Fashion.

Podem participar do encontro qualquer pessoa (homem, mulher, criança ou idoso) e não há nenhuma taxa e nem inscrição prévia. Pede-se apenas registrar interesse no facebook da J-Fashion, para os organizadores terem uma ideia do número de participantes.

Os interessados deverão comparecer na frente da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade, que fica na Avenida Liberdade, 365, ao lado do Sogo Plaza e da praça da Liberdade (metrô Liberdade), às 10 horas do dia 19 de julho de 2014 (sábado). O grupo dará um giro pela praça da Liberdade e rua Galvão Bueno. Será um simples passeio em grupo que deverá terminar até 12h30.

O 36º Tanabata Matsuri – Festival das Estrelas terá início às 14 horas, portanto, o encontro dos apreciadores de quimono terminará antes disso. A ideia é evitar o público aglomerado que impossibilita a circulação, pois nesse evento parte da praça da Liberdade é interditada para apresentação de danças típicas. A vantagem é que as ruas estarão desde cedo decoradas com os enfeites de tanabata nos bambus, e poderá render boas fotos. Quem quiser, é claro, poderá continuar na região depois das 14 horas para apreciar o festival.

Uma outra ideia da Associação Brasileira de J-Fashion é conseguir um bom desconto nos restaurantes japoneses para quem estiver trajando um quimono completo. Assim, o restaurante estará contribuindo para incentivar o uso do quimono e ao mesmo tempo estará se beneficiando da beleza típica dos quimonos em seu estabelecimento.

 

mar 212014
 
Yukatas © Personal archive

Yukatas © Yukatayasan

YUKATA é um quimono de passeio em algodão, fechado por uma faixa especial de gorgurão chamada OBI, que é amarrada com nós decorativos nas costas.

Há poucas décadas toda dona de casa japonesa fazia Yukatas para sua família. Infelizmente esse conhecimento prático que havia no Brasil caiu no esquecimento; está quase perdido.
Por ironia, nos últimos anos o Yukata voltou à moda no Japão. Quimono versátil, que varia do tradicional ao fashion, o Yukata atraiu uma nova geração e através da Internet vem também conquistando jovens no exterior.
Para difundir e preservar o quimono no Brasil, a Associação Brasileira de J-Fashion, em parceria com a ABRADEMI – Assoc. Bras. de Desenhistas de Mangá e Ilustrações e a Associação da Província de Mie (Mie Kenjinkai) vai realizar o WORKSHOP inédito “COMO FAZER O VERDADEIRO YUKATA JAPONÊS” em São Paulo.

Antigamente o YUKATA era uma roupa simples para ser usada em casa e posteriormente tornou-se um traje de passeio, muito usado nos festivais de verão. Nos últimos anos o YUKATA ganhou sofisticação e tomou as ruas como um quimono fashion, caindo no gosto dos e das jovens no Japão. A popularidade do street fashion japonês na Internet vem difundindo o YUKATA pelo mundo.
O YUKATA NÃO é um robe ou saída de banho, que são muito pequenos e de caimento ruim devido ao uso de tecidos moles. Apesar de ser fácil no corte e na costura, existem “manhas” que dão ao YUKATA a amplitude e a forma elegante que se usa no Japão.
Os pequenos segredos de como se faz um legítimo YUKATA, antes restritos a poucas famílias japonesas, serão revelados no workshop COMO FAZER O VERDADEIRO YUKATA JAPONÊS. Serão abordados temas como dicas de modelagem e adaptação de medidas para os tecidos disponíveis no Brasil.

O WORKSHOP será composto por:
– Apresentação (Introdução e Estilismo de Yukatas) por Cristiane A. Sato, presidente da Associação Brasileira de J-Fashion
– Aula “Como Fazer o Verdadeiro Yukata Japonês”, ministrada por Ryuka Sensei,  formada pela Kyoto Kimono Gakuin College e professora de dança clássica japonesa pela tradicional Escola Hanayagi Ryu
– Demonstração prática: “Como Vestir Corretamente um Yukata” (Yukata no Kitsuke)

O workshop será dado em português e japonês, com tradução da profa. Rosa Sato.

Os participantes deverão levar o seguinte material para a Oficina de Yukata:

1) tesoura comum
2) agulha de costura
3) linha de costura comum – qualquer cor exceto branco (para alinhavo sobre tecido branco)
4) cola em bastão
5) fita métrica ou metro de costura
6) material de anotação.

Taxa única: R$ 35,00 – Data: 10/maio/2014 (sábado) – Horário: das 14 às 17 horas

Local: Associação Cultural Mie Kenjin – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – Estação Vila Mariana do metrô, São Paulo/SP.

Inscrições antecipadas no próprio local com a Amélia, ou pelo Sympla:

Veja matéria completa sobre o Quimono

mar 052013
 

Hinamatsuri Hinaningyo

O departamento feminino da Associação Okayama Kenjin realizará, no dia 10 de março de 2013, a partir das 11 horas, o Hinamatsuri, em sua sede social, à Rua da Glória, 734, Liberdade, São Paulo. Uma bela plataforma de sete andares apresentam o “hinaningyo”, bonecas da família imperial, e serão servidos o “sen chá”, chá verde, e doces japoneses, confeccionados pela Associação Sencha-do Seifuryu. Haverá oficinas de origami e kiriê, e poderá experimentar a sensação de vestir um yukata (quimono de verão) e tirar fotos se quiser.

No salão do subsolo, haverá a área de alimentos típicos, com chirashi sushi, sekihan e zenzai sendo vendidos a R$ 10,00. O evento, realizado desde 1988, é recomendado para crianças, meninos ou meninas.

O que é: O Hinamatsuri simboliza o Dia das Meninas, que por ser realizado na época em que desabrocham flores de pessegueiros, é também conhecido como o Festival do Pêssego (Momo no Sekku). A celebração tem esse formato desde o século XIX. A característica do Hinamatsuri são as bonecas tradicionais.
Plataformas dispostas em forma de uma escada são cobertas com um tecido vermelho. Nessas plataformas são colocadas as pequenas bonecas que representam o imperador, a imperatriz, senhoras da corte e músicos, todos com as mais finas vestimentas da corte do passado. Um jogo completo terá cerca de 15 bonecas, além de objetos de decoração, uma laranjeira e uma cerejeira, um espelho, instrumentos musicais, utensílios de mesa e equipamentos utilizados na corte.
As bonecas muitas vezes são presenteadas pela família da mãe da menina, quando esta vai realizar o seu primeiro Hinamatsuri.
No dia 3 de março, no Japão, a menina convida seus amiguinhos para um chá na frente das bonecas, ocasião em que ela oferece aos convidados o hishimochi (um bolinho doce de arroz com formato de diamante), e o sakê sem álcool. Sendo a anfitriã, a menina poderá cantar uma música antiga para entreter seus amigos. Apesar de ser composto por belíssimas peças, as bonecas do Hinamatsuri só ficam expostas durante no máximo duas semanas. Depois, segundo a tradição, devem ser cuidadosamente empacotadas e guardadas, caso contrário, diz-se que as garotas da casa demorarão para se casar. Mais informações sobre a história do Hinamatsuri, veja aqui