nov 142018
 

A Constituição Japonesa, que foi preparada pelos americanos em 1947, não permite que o Japão se defenda ou se envolva em guerra. Os testes dos norte-coreanos com os mísseis, que atingiram a costa japonesa, e a China fazendo exercícios militares no Mar do Japão, são indícios de que a paz poderá não durar.

Sem poder formar um exército, é a “Jieitai”, a Força de Defesa do Japão, que faz treinamentos acanhados para um eventual confronto. Essa Força de Defesa é chamada toda vez que alguma localidade é atingida por desastres naturais, o que ocorre com muita frequência, e a tropa é convocada para fazer ajuda humanitária em áreas de conflito internacional, mas a Jieitai não é um exército. Para a Jieitai poder atuar numa guerra é necessário alterar o artigo 9 da Constituição.

Em 2016, após uma série de discussões e manifestações públicas contrárias, foi aprovada pela Dieta uma resolução (releitura) sobre o artigo 9, possibilitando que o Japão possa fazer a autodefesa e até enviar tropas para o exterior, mas ainda falta escrever isso na Constituição.

O atual governo do primeiro-ministro Shinzo Abe se empenha em conseguir aprovar a reforma, mas não está sendo fácil. A rede de TV NHK realizou uma pesquisa e constatou que 29% dos entrevistados acham que a reforma é necessária, mas 27% não acham. A grande maioria, 39% não tem opinião sobre o assunto. Dentre os que são contra, a maioria tem mais de 70 anos, ou seja, conviveu mais de perto com a guerra.

A questão da Jieitai, mesmo que a Constituição seja alterada e a Força de Defesa possa atuar numa guerra, esbarra num outro problema: O envelhecimento da população. Não haverá muitos jovens dispostos a entrar na Jieitai.

Esses e outros assuntos bem atuais serão apresentados na próxima aula de história do Japão.

História do Japão – Aula 9 – Período Heisei e a História de Okinawa

A nona e última aula será composta por dois assuntos diferentes: a metade da aula será destinada ao Período Heisei (1989 ~ 2019), ou seja, a história recente e os assuntos atuais. Na outra metade será abordada a História de Okinawa, que se tornou província japonesa em 1879 e foi ocupada pelos americanos de 1945 a 1972. Mesmo quem não assistiu as anteriores poderá se inscrever e participar.

Aula 9 – História do Japão. Dia 01/12/2018, sábado, das 9 às 12 horas.

As inscrições são realizadas por aula. Cada aula tem o valor de R$ 35,00 (mais a taxa do Sympla de R$ 3,50).

Não haverá reembolso por desistência. Quando não houver mais vaga, o interessado poderá enviar e-mail para ficar na lista de espera.

Local: Associação Cultural Mie, na Avenida Lins de Vasconcelos, 3352, Vila Mariana, na saída da Estação Vila Mariana do metrô. Há estacionamento pago no prédio. Atenção: por causa do serviço de manutenção da Eletropaulo na região, esta aula será ministrada no Centro Brasileiro de Língua Japonesa – Rua Manoel Paiva, 45 – entre as estações Ana Rosa e Vila Mariana do metrô (mais perto da Ana Rosa – 5 minutos a pé). Data e horário são os mesmos acima.

As vagas são limitadas. A sala está equipada com ar condicionado, projetor e microfone. As aulas são avulsas, portanto, não é necessário ter assistido as anteriores para participar desta. Neste dia 01/12/2018, logo após o término da aula, serão entregues os certificados aos alunos que participaram de pelo menos 7 das 9 aulas ministradas.

Os professores são:
– Cristiane A. Sato, formada em Direito pela USP, autora do livro JAPOP – O Poder da Cultura Pop Japonesa e presidente da Associação Brasileira de J-Fashion, palestrante em universidades, entidades, embaixada e consulado geral do Japão, foi bolsista da JICA em 2016, na Universidade de Kanazawa.
– Francisco Noriyuki Sato, formado em Jornalismo pela USP, autor dos livros História do Japão em Mangá, Banzai – História da Imigração Japonesa no Brasil, entre outros, e é presidente da Abrademi e editor do site culturajaponesa.com.br. Foi também bolsista da JICA, em 2014, e ministrou palestras em universidades e museus do Japão em 2016.

apoio: Fundação Japão e Centro Brasileiro de Língua Japonesa

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)