jul 102024
 

O 25º Festival do Japão contará com algumas palestras diferentes e elas acontecerão na salinha que fica na parede à esquerda de quem passa pela catraca do pavilhão.

No domingo, às 11 horas, o grupo Study in Japan estará falando sobre as oportunidades para ir estudar no Japão. O Study in Japan é um grupo formado por universidades japonesas públicas e privadas lideradas pela Universidade de Tsukuba. Fazem palestras de divulgação e esclarecem dúvidas do público.

Logo depois, às 12 horas, o jornalista e professor de história do Japão, Francisco Noriyuki Sato, presidente da Associação Fukushima Kenjin do Brasil, estará ministrando uma palestra com o tema: “Fukushima: do Desastre Natural à Reconstrução”, sobre os preparativos do Japão para os desastres naturais que acontecem o ano todo e como foi o terremoto seguido de tsunami de 2011, e como está Fukushima hoje.

Programação de Palestras – FJ2024 (2)

25º FESTIVAL DO JAPÃO
Data: 12, 13 e 14 de julho de 2024
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, São Paulo

Horários:
12/07 – sexta – 11 às 21 horas
13/07 – sábado – 09 às 21 horas
14/07 – domingo – 09 às 18 horas

Atenção: Este ano, o transporte gratuito de ônibus sai do metrô São Judas, das 6 às 21h30. Quando passar pela catraca, pegue a saída do lado esquerdo. Haverá voluntários sinalizando o caminho.

jul 102024
 

A gastronomia é sempre um grande atrativo do Festival do Japão. Este ano, a Associação Fukushima estará servindo o Kitakata Lámen importado de Fukushima, e o Aizu Sauce Katsudon, outro prato típico do lugar. Além disso, estará servindo Muguichá (saboroso chá de cevada torrada do Japão), e as novíssimas bebidas de pêssego: Flaming Peach (sem álcool) e Passion Peach (com álcool), preparadas com capricho. O estande do Fukushima fica no fundão da praça de alimentação, bem perto da entrada do Palco Principal.

25º FESTIVAL DO JAPÃO
Data: 12, 13 e 14 de julho de 2024
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, São Paulo

Horários:
12/07 – sexta – 11 às 21 horas
13/07 – sábado – 09 às 21 horas
14/07 – domingo – 09 às 18 horas

Atenção: Este ano, o transporte gratuito de ônibus sai do metrô São Judas, das 6 às 21h30. Quando passar pela catraca, pegue a saída do lado esquerdo. Haverá voluntários sinalizando o caminho.

jun 112024
 

Uma viagem cultural por Fukushima no Ibirapuera

A Associação Fukushima Kenjin do Brasil em conjunto com a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social promovem o evento Viagem Cultural: Fukushima, nos dias 15 e 16 de junho de 2024, no Pavilhão Japonês do Parque do Ibirapuera em São Paulo.

São várias atividades apresentando a província de Fukushima, que é a terceira maior província do Japão, que reúne uma paisagem bastante variada e tem muita história para contar. É o lugar de onde surgiram, provavelmente, os primeiros samurais. É cenário de mangás como Kimetsu no Yaiba, e tem o museu de Eiji Tsuburaya, criador de Ultraman, Ultraseven e Godzilla, que nasceu em Fukushima. A província é famosa por ser o berço do Kitakata Lámen, um dos três principais tipos de lámen do Japão, e por produzir o melhor saquê do país.

O evento vai das 10 às 17 horas nos dois dias. Há uma exposição de objetos típicos de Fukushima, pôsteres de locais turísticos, palestras e apresentações culturais. Confira a programação:

Sábado:
11 h – Yosakoi e oficina de bon odori de Fukushima com o grupo Ryo Kochi Yosakoi
13 h – palestra “Fukushima: do desastre à recuperação” c/Ricardo Sasaki, ex-vice-cônsul do Brasil no Japão e diretor de relações empresariais da Associação Fukushima.
14 h – Yosakoi e oficina de bon odori de Fukushima com o grupo Ryo Kochi Yosakoi
15 h – palestra “A Cultura do Saquê” com degustação c/Hiroshi Kawazoe, importador
Domingo:
10h – Passeio de Yukata pelo Parque do Ibirapuera
11h – Oficina de bon odori da Associação Fukushima de Atibaia
13h – palestra “História dos Desastres Naturais do Japão” c/Francisco Noriyuki Sato, presidente da Associação Fukushima
14h – Oficina de bon odori da Associação Fukushima de Atibaia
15h – palestra “A Cultura do Saquê” com degustação c/Hiroshi Kawazoe

As atividades são gratuitas, porém, para ingressar no Pavilhão Japonês, é cobrado um ingresso de R$ 15,00 e R$ 7,00 para a manutenção do pavilhão. Ele é uma réplica do Castelo de Katsura de Kyoto, que foi a residência de verão da família imperial japonesa. Pode-se conhecer a arquitetura típica do século 16, com estrutura de madeira, ver e alimentar as carpas coloridas. O local conta com uma cafeteria Nanaya. https://www.bunkyo.org.br/br/pavilhao-japones/

fev 282024
 

A Associação Fukushima Kenjin do Brasil está promovendo o evento “A Cultura do Saquê”, no domingo, dia 3 de março de 2024, das 9 às 11 horas, na sua sede social na Rua da Gloria, 721, Bairro da Liberdade, em São Paulo. Palestras de Kazunori Sato, fabricante de saquê da 9ª geração, Keiichi Muto, diretor internacional da Yamatogawa Sake Brewery, de Fukushima, e Hiroshi Kawazoe, importador de saquê, com tradução para português. Haverá degustação de tipos de saquê.

A base de alimentação do Japão é historicamente o arroz. E do arroz se faz o saquê, que é considerado a bebida dos deuses, fazendo parte das oferendas em datas festivas. A técnica de fazer a bebida com a fermentação do arroz é muito antiga, e provavelmente começou junto com a chegada do cultivo do arroz, por volta de 500 a.C., evoluindo através do tempo e melhorando o seu sabor. A mais antiga fábrica de saquê ainda em funcionamento é a Sudo Honke, que fica na cidade de Kasama, na província de Ibaraki. A documentação mostra que essa empresa foi fundada no ano de 1141! Comparando com isso, a Yamatogawa de Fukushima é uma empresa nova porque foi fundada em 1790…

A província de Fukushima possui mais de 50 fabricantes de saquê, e é considerada a província que produz o melhor saquê do Japão, vencendo há muito tempo o concurso anual contribuindo para isso o seu clima, o solo propício para o cultivo do arroz do saquê e a água que vem das montanhas geladas.

O evento é gratuito e não há necessidade de fazer inscrição antecipada, mas a participação fica limitada à capacidade do salão.

Conheça um pouco da Yamatogawa Sake.

fev 282024
 

A Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações – ABRADEMI, que foi fundada em 3 de fevereiro de 1984, está comemorando seu 40º aniversário com uma exposição no Museu da Imigração Japonesa, em São Paulo.

Numa época em que não se falava em mangá, a ABRADEMI procurou divulgá-lo desde o início, tratando o mangá como parte da cultura japonesa, e não como algo de consumo. Foi pioneira em evento de animê e mangá com o MangáCon, realizado por cinco anos consecutivos, onde valorizou dubladores nacionais, deu espaço para os cosplayers, criou o Anime Dance, o Anime-kê (karaokê de temas), apresentou shows de taikô e de esportes como kendô, homenageou os desenhistas veteranos e premiou desenhistas amadores com o Abrademi Contest.

A ABRADEMI também foi pioneira no curso de desenho de mangá, de roteiros de HQ, de introdução ao desenho animado, e até convidou o cineasta Zé do Caixão para ensinar a criatividade para roteiros.

No mesmo ano de sua fundação, o Brasil recebeu, em setembro de 1984, a visita do “Deus do Mangá”, Osamu Tezuka, convidado pela Fundação Japão. A ABRADEMI já havia realizado exposições, editado fanzines e participado de eventos, quando chegou o desafio maior: fazer uma exposição desenhistas de Histórias em Quadrinhos do Brasil para ser exibido no Museu de Arte São Paulo – MASP, junto com a mostra do mestre Osamu Tezuka.

Essa história da visita de Tezuka ao Brasil, bem como exposição original, está apresentada na Exposição 40 anos da Visita de Osamu Tezuka ao Brasil. Haverá palestras nos dias 17 e 24 de março de 2024, no período da tarde.

As palestras previstas são:

  1. Os desenhistas nikkeis de mangá – O escritor, desenhista e editor Franco de Rosa (Editora Press, Mythos, Opera Graphica e outros) e convidados – Dia 17/3 – 14h
  2. A História da Abrademi – Francisco Noriyuki Sato – presidente da Abrademi, presidente da Associação Fukushima, professor de História do Japão e autor de História do Japão em Mangá e de Banzai, História da Imigração Japonesa no Brasil – Dia 17/3 – 15h30
  3. MangáCon, o evento pioneiro de mangá e animê da América Latina – Cristiane A. Sato – autora do livro Japop – O Poder da Cultura Pop Japonesa – Dia 24/3 – 14h
  4. Os ensinamentos de Osamu Tezuka – profa. Sonia Maria B. Luyten, doutora em Comunicação Social pela USP, lecionou na USP, e na Universidade de Estudos Estrangeiros de Osaka e Tóquio, professora da Universidade Real de Utrecht (Holanda) e professora convidada da Universidade de Poitiers (França). Na década de 70, fundou na USP o primeiro núcleo de estudos de mangá – Dia 24/3 – 15h30
Osamu Tezuka e profa. Sonia Luyten no Japão

As exposições permanecerão no Museu da Imigração Japonesa entre 20/2 até 24/3/2024.

O Museu fica na Rua São Joaquim, 381, com bilheteria no 7º andar. Exposições no 8º e 9º andares. Palestras na sala Hiroshi Saito, no 8º andar. O museu funciona de terça a domingo, e na quarta-feira a entrada é franca. Horário: das 10 às 17 horas (a última entrada às 16 horas).

O museu tem uma pequena livraria e um bom café Nanaya com belos doces no 9º andar.