dez 242012
 

Busca no Memorial do Imigrante

Projeto Ashiato

Passados 104 anos desde o início da imigração japonesa no Brasil, muitas famílias querem saber como o seu avô ou bisavô chegou ao Brasil, e quem veio com ele. Para facilitar essa busca, duas entidades possibilitam a localização gratuita desses dados. Será preciso fazer a pesquisa de várias maneiras e ter paciência, pois ambos os mecanismos são falhos.
O Memorial do Imigrante, que fica no bairro do Bras, em São Paulo, é onde ficavam os imigrantes que desembarcavam no Porto de Santos, os quais, depois de passarem por exame médico, aguardavam o trem que os levariam para as respectivas fazendas. Permaneciam por vários dias no local, junto com imigrantes de outras etnias. Aqui eram feitos os registros de todos os imigrantes.
O site do Memorial permite que você localize o imigrante pelo nome, sobrenome, ano de chegada e/ou o nome do navio. Como há falhas na digitação na conversão do documento manuscrito, é preferível tentar apenas com um desses dados. Mas a grande falha desse banco de dados é a completa ausência de imigrantes que chegaram entre os anos de 1931 a 1935, justamente o período anterior à 2ª Guerra, em que vieram mais estrangeiros ao Brasil.
O outro site é do “Ashiato“, um grande e árduo trabalho de levantamento de dados feito para a comemoração do Centenário da Imigração Japonesa, em 2008. Aqui, como é óbvio, só existem dados de japoneses, e permite-se pesquisar em idioma japonês também. Ao encontrar o nome do imigrante, com um clique no nome dele pode-se encontrar outros dados, como a grafia em japonês do nome e sobrenome, outras pessoas que vieram nesse grupo, e para onde foram primeiro (ou disseram que iam).

A base de dados é o mesmo livro da chegada dos imigrantes, mas a interpretação da grafia pode não ser igual. Na dúvida, o site do Memorial oferece o documento original (página do livro) em PDF. Lembre-se que o sobrenome pode ter a grafia mudada (ex: Uyemura para Uemura), e pessoas que vieram como filho adotivo numa família.

A história da imigração japonesa no Brasil, fotos e os endereços dos museus de imigração japonesa estão no www.imigracaojaponesa.com.br

  22 Responses to “Como buscar os seus antepassados imigrantes japoneses”

  1. Gostaria de saber sobre meus antepassados japoneses que desembarcaram em SP.

    Grata

    • Olá Valéria. Você pode pesquisar pela internet. Você pode pesquisar pelo primeiro nome, sobrenome, nome do navio ou ano de chegada. Observe que a grafia da época pode ser diferente da atual, ou pode haver erro de digitação uma vez que o registro de desembarque do navio era feito à mão. Veja no site: http://www.imigracaojaponesa.com.br/

  2. Gostaria de saber qual foi a 1 Colonia Japonesa no Brasil? Grata.

    • Os imigrantes que chegaram no primeiro navio, o Kasato Maru, se estabeleceram em vários locais no interior paulista, mas não constituíram uma “colônia” propriamente dita, porque eram trabalhadores contratados temporariamente por fazendeiros brasileiros, entendendo que “colônia” significa um agrupamento fixo de pessoas num local diferente do seu local de origem. Assim, creio que poderia apontar a Colônia Hirano, na cidade de Cafelândia, fundada por Unpei Hirano em 1915 como a primeira colônia japonesa.
      Para entender mais sobre isso, recomendo “A mata das ilusões”, ou “Mori no Yume” do autor Masao Daigo. Um livro imprescindível e bem escrito sobre os imigrantes daquela época que construíram a colônia Hirano.

  3. Agradeço IMENSAMENTE a todos que construíram essa forma de busca sobre imigrantes japoneses. Deus os abençoe MUITO, MUITO!!!! SEMPRE!!!
    Teruko Okagawa Monteiro, nissei, mariliense, criadora de comemorativos, documentos/monumentos, retratos. Diretora na Associação Nikkei do Rio de Janeiro desde 1989, integrante do Rio Bikoo-kai desde 1989.

  4. olá!
    gostaria de ter alguma informação sobre uma pessoa, que no caso é irmão de uma amiga de minha irmã.
    essa pessoa é cidadão japonês, de Okinawa.
    ele e a irmã foram ao Brasil, mas houve um desencontro.
    ele voltou ao Japão, e ela no Brasil.
    o problema é que só se tem o nome completo dele e uma foto.
    naquela época não entendiam muito bem como as coisas funcionavam no Brasil e creio que existe um kossekitohon (戸籍謄本) constando dados dessa pessoa, mas é de um período que moravam aqui no Japão, e hoje está bem diferente, certamente.
    como tiveram esse desencontro, um não teve informações do outro para contato, e assim permanece até hoje. (creio que houve aquele casamento do tipo “miay” e ela não teve chance de contactar o irmão, ou houve algum outro tipo de problema).
    basicamente é isso; com o nome completo da pessoa e o kosseki antigo, existe alguma possibilidade de ter informações dessa pessoa?
    valeu! muito obrigado!

    • A Associação Cultural de Okinawa do Brasil pode ter a relação de seus associados. Se for imigrante do pós-guerra, será mais fácil encontrar os dados, mas precisaria de mais informações sobre a pessoa.

  5. Por gentileza, consultei no site Ashihato e obtive informações sobre um tio que chegou ao Brasil, seis anos após sua mãe.
    Perdemos contato com sua família ao longo desses anos, tenho possibilidade de encontrar seus descendentes?

    Morito Kishimoto – chegou no Brasil 1932, região de Aracatuba SP, onde sua mãe estava.
    Filho Tetsushi Kishimoto

    Província de Hiroshima,

    grata,

    Sueli

    • Vamos ver se algum morador de Araçatuba ou a Associação Nipo-Brasileria pode informar a respeito dele. Quando tiveram última notícia dele?

      • Conseguimos alguns dados sobre o sr. Morito Kishimoto, atraves do sie family search, inclusive consta o seu endereço como sendo Rua Cezar, 14, Agua Funda, SP, no ano de 1970, porem nao conseguimos localizar tal endereço (mudou de nome)?. Atraves desses dados, solicitamos se possivel, mais informações, sobre seus descendentes e sua localização.
        Aguardo resposta;
        Grata

        • Na Água Funda existe uma pequena rua chamada César Batista, talvez o endereço esteja incompleto e a numeração também pode ter mudado. Várias ruas de São Paulo tiveram a ordem da numeração invertida. Talvez na AJAB – Associação Japonesa do Jabaquara, na ACE Saúde ou na Associação São Judas Tadeu exista alguém que se lembre dos moradores da região.

  6. Olá! Estou tentando construir minha árvore genealógica e tenho um probleminha com o meu sobrenome japonês. Meu finado pai, quando foi ao Japão para trabalhar, descobriu que seu sobrenome não existia lá. Que provavelmente o correto seria “Ooe”.Meu pai Lauro Naokazu Ohye era filho de Naota Ohye e Hatsuko Honda Ohye. O pai dele veio do Japão antes da segunda guerra (mas não sei o nome do navio, nem a data correta), era nascido em 21/09/1912 e depois de se estabelecer, casou-se com Hatsuko Honda, já nascida no Brasil, aqui perto de Alvares Machado. Os nomes que constam na certidão de nascimento do meu pai são: pai Naota Ohye, mãe Hatsuko Honda Ohye, avós paternos Tashiti Ohye e Sue Ohye, avós maternos Caminassa Honda e Chiono Honda. Meu pai nasceu em Londrina-PR e seus pais se casaram em Curitiba.
    Existe algum meio de descobrir como deveria ser meu sobrenome japonês? E os parentes?
    Desde já agradeço muito!

  7. Oi por favor estou tentando entrar no site ashihato mas a página está em branco, gostaria de saber onde meu avô nasceu no Japão sei que ele é de kobe mas não sei de onde se puder ajudar a como abrir o site agradeço

  8. Olá procuro parentesco da família Shiratori desde já obrigado

  9. Olá. Gostaria de saber sobre os pais dos meus avôs maternos. Eles chegaram ao Brasil em fevereiro de 1928 da província de Kumamoto, Tem algum site de busca para descobrir? Agradeço desde já. Obrigada!!!

    São eles Inohachi Tomita e Etsu Tomita.

  10. Olá, gostaria de saber se os imigrantes japoneses registravam casamentos, nascimento dos filhos e falecimento no Japão tbm, se sim,gostaria de saber onde devo procurar. Meus avós vieram no Kasato- Maru em 1908, minha avó nasceu em 10/09/1807, casou-se em 20/12/1928 e faleceu em 09/03/1938. No site de busca diz que a Província é Kagoshima e vieram pra São Paulo, depois pro interior.Avó: Sae Suenaga . Avô: Tsunenori Ikegami, gostaria muito de saber se eles enviaram registro de nascimento dos filhos para o Japão,

    • Os primeiros imigrantes, como no caso de seus avós, registravam sim os nascimentos e casamentos no Japão, porque pretendiam retornar.Esses registros estão no Japão, na cidade onde a família morava. Você pode requerer esses registros contratando um despachante japonês, ou pelo site da cidade, no caso, em japonês.

  11. Olá, há um tempo atrás visitei um site no qual era possível visualizar a foto do imigrante que ingressou no país aproximadamente a partir da década de 50. Bastava colocar o nome e o sobrenome para fazer a busca. Porém esqueci de anotar o endereço…Alguém conhece o site e tem o endereço…?
    Obrigado,

  12. Olá, teria algum meio de encontrar minha árvore genealógica remanescente no Japão? Meu bisavô veio ao Brasil e teve filhos. Minha avó e minha mãe voltaram ao Japão, mas não encontraram nenhum parente do meu bisavô na cidade onde moravam. Teria algum meio de encontrar tal informação na internet?

  13. Cultura Japonesa

    Feliz 2017.
    Estou procurando Sr. Wataru Nakamura, aportou em 1958/06/15, veio com Navio Brasil Maru e soube que foi para Cooperativa Agricola de Cotia em Campo Mourão-PR.
    Os parentes do Japão perderam contato.
    Yoroshikuonegaishimasu

    Yoshio Hinata
    yoshiohinata@gmail.com

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)