Cultura Japonesa

jul 022019
 

Em 2019, o 23º Festival das Cerejeiras Bunkyos será realizado em DOIS FINAIS DE SEMANA! Venha ver as flores de cerejeiras, curtir nossa programação de shows e atividades culturais gratuitas, bem como aproveitar as delícias da culinária japonesa preparadas pelas entidades locais na ampla Praça de Alimentação, além de conhecer nossos Bazaristas – que trazem produtos diversos, com venda de verduras, flores e hortaliças produzidas na região.

O evento faz parte do Calendário Turístico de São Roque e, como nos anos anteriores, haverá ônibus para ida ao Festival, com saída do bairro da Liberdade, em São Paulo. Os interessados devem adquirir as passagens (R$ 40, ida e volta) antecipadamente junto à Secretaria do Bunkyo (na Liberdade: Rua São Joaquim, 381). Quem for de carro poderá dar uma esticada até o Roteiro do Vinho de São Roque, que é um belo passeio.

23º Festival das Cerejeiras Bunkyos – Sakura Matsuri
Quando: dias 6, 7, 13 e 14 de julho, das 10h às 17h (sábados e domingos)
Local: Centro Esportivo Kokushikan Daigaku – São Roque-SP
Estrada do Carmo, 801, Bairro do Carmo, São Roque-SP
Entrada Franca (contribuição por veículo R$ 30,00 – concorra ao sorteio de uma TV)

Se você estiver em São Paulo, há ônibus saindo da sede do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Rua São Joaquim, 381, Liberdade, São Paulo-SP / próx. Metrô São Joaquim). Informações: (11) 3208-1755

Veja abaixo, os horários da viagem:

Dias 6 e 7 de julho (sáb. e dom.)
1 – Saída 8h e retorno 16h
2 – Saída 9h e retorno 17h

Dia 13 de julho (sáb.)
1 – Saída 8h e retorno 16h
2 – Saída 8h30 e retorno 16h30
3 – Saída 9h e retorno 17h

Dia 14 de julho (dom.)
1 – Saída 8h e retorno 16h
2 – Saída 8h15 e retorno 16h15
3 – Saída 8h30 e retorno 16h30
4 – Saída 9h e retorno 17h

Passagem: R$ 40,00
Informar: Nome, Telefone e RG
Ponto de saída/retorno: em frente à sede do Bunkyo – Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – São Paulo – SP – (próximo à Estação São Joaquim do Metrô)
Informações: (11) 3208-1755, com Aurora – Horário de atendimento da Secretaria: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30

https://www.facebook.com/events/335767797289109

jun 202019
 

A Japan House de São Paulo realiza até dia 17 de julho de 2019, a exposição “Japão 47 artesãos”. Trata-se de uma oportunidade para ver as artes tradicionais japonesas das 47 províncias feitas por 47 talentosos artistas jovens. Aproveitando a ocasião, cada província apresentará uma palestra ou atividade na Japan House durante o período da exposição.

A província de Ishikawa, reconhecida por possuir uma cidade da época dos samurais preservada, realizará no dia 25 de junho, uma palestra falando da história e apresentando as suas artes tradicionais, das 17 às 20h30. A entrada é franca, mas como são 100 lugares, é recomendável chegar com certa antecedência ao local. A apresentação está à cargo do ex-bolsista Caio Yuzo Higashino e dos professores de história do Japão, Francisco Noriyuki Sato e Cristiane A. Sato, que levarão, com certeza, muitas informações interessantes.

JAPÃO 47 ARTESÃOS
Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52 (2º andar)
De 22 de abril a 17 de julho de 2019
Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h

Palestra sobre Ishikawa
Japan House São Paulo
Dia 25 de junho de 2019 – terça-feira – 17 às 20h30
Entrada gratuita

jun 202019
 

Acontece em 2 de julho, no Espaço Cachuera!, a etapa brasileira do projeto Encontros: “Reison Kuroda” toca música brasileira e japonesa ao shakuhachi. Enviado Especial da Cultura Japonesa pela Agência da Cultura do governo do Japão de 2019 (Japan Cultural Envoy – Bunkachou Bunkakouryushi), o músico Reison Kuroda fará uma apresentação de shakuhachi (flauta tradicional japonesa). Veja no vídeo Reison Kuroda tocando Forever Love da banda X-Japan!

No programa, serão apresentadas músicas brasileiras e japonesas tradicionais, com a participação especial de dois músicos brasileiros, Shen Ribeiro (shakuhachi) e Gabriel Levy (piano).

Workshop de shakuhachi com Reison Kuroda

No dia seguinte, 3 de julho, haverá um encontro do músico com tocadores e estudantes de shakuhachi, com o apoio da Aliança Cultural Brasil-Japão.

O objetivo é promover a troca de conhecimentos e experiências, em um momento de descontração. Serão apresentados os três estilos das músicas tradicionais de shakuhachi e uma nova técnica, que está sendo desenvolvida pelo próprio Kuroda.

Para participar, é necessário trazer o seu próprio shakuhachi.

O evento acontece no Centro Cultural Aliança – Unidade Pinheiros, com vagas limitadas. As inscrições devem ser realizadas através do e-mail: info@fjsp.org.br, inserindo na linha de assunto: “Workshop do Kuroda”. No corpo do e-mail, enviar nome completo, telefone para contato, idade, qual estilo pratica e há quanto tempo.

 Os músicos

Reison KurodaShakuhachi 

​Músico de talento raro, trabalha pela expansão das possibilidades do Shakuhachi, percorrendo uma ampla variedade de gêneros musicais, do clássico ao moderno, passando pelo jazz e até mesmo pelo improviso.

Iniciou os estudos com o professor Reibo Aoki, considerado tesouro nacional vivo de shakuhachi, e Shoji Aoki, no Japão. Graduado em Ciências Humanas pela Universidade de Waseda, em 2007, concluiu mestrado no Departamento de Música Tradicional Japonesa da Universidade de Artes de Tóquio, em 2013.

Iniciou sua carreira integrando o grupo Hougaku Quartet, em 2011, com o qual se apresentou ao lado de jovens compositores, revitalizando a música japonesa dos anos 70 e 80 e interpretando clássicos do período Edo. É também integrante do grupo Muromachi, vencedor do Prêmio Keizo Saji, em 2013. ​Em 2014, participou do Park Bum-Hoon’s Shakuhachi Concert, no Korea Kudara Festival, e em Gongju, na Coreia.

Sua primeira performance para o público aconteceu no Kazutomo Yamamoto’s Shakuhachi Concert, com “Roaming Liquid for Shakuhachi and Orchestra”. Com o Hougaku Quartet, participou de diversas apresentações e performances independentes, entre elas o programa “Hogaku no Hitotoki”, da emissora de rádio japonesa NHK FM. Também foi capa da revista “Hogaku Jorunal”, em 2015. Passou em audição para músicas japonesas do canal NHK, em 2015, e realizou uma apresentação solo no “Hogaku no Hitotoki”, do NHK FM.

​Em 2016, foi premiado no concurso de Instrumentos Tradicionais Japoneses Hidenori Tone, transmitido pelo programa Nippon no Geinoh, da NHK Educational TV. Também participou do festival de música moderna na Bélgica, em 2016; e venceu o principal concurso mundial de shakuhachi, em Londres.


Shen Ribeiro

Natural de Botucatu, recebeu uma educação musical tradicional até 1987, quando partiu para o Japão para estudar shakuhachi. Ingressou na Universidade de Belas Artes de Tóquio e foi convidado a tocar para o Imperador do Japão. Foi discípulo direto do Mestre Goro Yamaguchi, tesouro nacional vivo do Japão.

Tem seis CDs gravados, entre eles Brazilian Music for the Shakuhachi, projeto que uniu a flauta tradicional japonesa à música popular brasileira. Retornou ao Brasil em 2003 – desde então é diretor do Estúdio Salaviva da Associação Cultural Cachuera!.

Como concertista, vem se apresentando em salas do Brasil, Japão e Europa, interpretando um repertório que mescla temas clássicos, populares e tradicionais.

Gabriel Levy

Acordeonista, arranjador, compositor, educador e produtor musical, tem atuado em shows e CDs ao lado de artistas como Palavra Cantada, Fortuna, Ceumar, Ivaldo Bertazzo, Jacques Morelenbaum, Luis Tatit, José Miguel Wisnik, Ná Ozzeti, Toninho Carrasqueira, Ballet da Cidade de São Paulo, entre outros. Integrou orquestras para acompanhar artistas internacionais, como Os Três Tenores (Pavarotti, Domingo e Carreras).

Com sua banda Mafuá, tocou ao lado de Dominguinhos e Tom Zé. Como co-diretor da Orquestra Cometa Gafi, esteve ao lado de Jair Rodrigues, Paulo Moura, Zé Renato e Pedro Luis. Foi um dos acordeonistas retratados no filme O Milagre de Santa Luzia. Como compositor, teve obras interpretadas por artistas mundiais, como o Duo Assad, o cellista americano Yoyo Ma ou o clarinetista cubano Paquito d’Rivera.

Também se dedica à música japonesa, atuando em grupos como Bonsai Romã, Gaijin no Me, Trio Kagurazaka, Seiha e Waon, além de ter atuado ao lado da mestra do koto Yoko Nishi.

SERVIÇO

Apresentação de Reison Kuroda

Data: 2 de julho de 2019 (terça-feira)
Horário: 19h30 (duração 60 minutos)
Local: Espaço Cachuera!
Endereço: R. Monte Alegre, 1094 – Perdizes, São Paulo – SP
Capacidade: 100 lugares
Ingressos: gratuitos (As senhas serão distribuídas no local, a partir das 18h30, com limite de dois ingressos por pessoa, por ordem de chegada)
Classificação: Livre

Workshop de shakuhachi com Reison Kuroda
Data: 3 de julho de 2019 (quarta-feira)
Horário: das 19h às 20h30
Local: Centro Cultural Aliança – Unidade Pinheiros
Endereço: R. Dep. Lacerda Franco, 328
Pré-requisito: Trazer seu próprio shakuhachi no dia do workshop

Inscrição: devem ser realizadas através do e-mail: info@fjsp.org.br, inserindo na linha de assunto: “Workshop do Kuroda”. No corpo do e-mail, enviar nome completo, telefone para contato, idade, qual estilo pratica e há quanto tempo. A confirmação da inscrição será enviada aos participantes, por e-mail.

Evento gratuito, com vagas limitadas

jun 102019
 

A Japan House de São Paulo realiza até dia 17 de julho de 2019, a exposição “Japão 47 artesãos”. Trata-se de uma oportunidade para ver as artes tradicionais japonesas das 47 províncias feitas por 47 talentosos artistas jovens. Aproveitando a ocasião, cada província apresentará uma palestra ou atividade na Japan House durante o período da exposição.

A província de Mie, famosa por sua tradição ninja e por possuir o maior e mais visitado santuário do Japão, apresentará sua história e turismo no dia 14 de junho, juntamente com a vizinha província de Wakayama, das 19 às 20h30. A entrada é franca, mas como são 100 lugares, é recomendável chegar com certa antecedência ao local. A apresentação de Mie está à cargo dos professores de história do Japão, Francisco Noriyuki Sato e Cristiane A. Sato, que levarão, com certeza, muita informação interessante.

JAPÃO 47 ARTESÃOS
Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52 (2º andar)
De 22 de abril a 17 de julho de 2019
Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h

Palestra sobre Mie e Wakayama
Dia 14 de junho de 2019 – sexta-feira
19 às 20h30
Entrada gratuita

jun 042019
 

O 20º Bunkasai – Festival da Cultura Japonesa da Associação Ishikawa-ken do Brasil será realizado nos dias 8 e 9 de junho de 2019. Exposição de peças artísticas de professores e alunos dos cursos de aquarela, cerâmica, etegami e ikebana, com venda das peças.

O evento será aberto com a apresentação de canto clássico japonês – Utai, e de Kôto (instrumento musical de cordas japonesa).  No sábado, também teremos a já tradicional venda do Moti (bolinhos de arroz de puro motigomê), além do Karê Rice no almoço, preparado pelo Seinen-bu – departamento jovem.

Serviço:

20º Festival da Cultura Japonesa – Bunkasai da Associação Ishikawa-ken do Brasil

Endereço: Rua Tomás Carvalhal, 184 – Paraíso, São Paulo – (próximo à estação Paraíso do metrô)

Data: 08 e 09 de junho de 2019 – Horário: das 10h às 17h

Workshops gratuitos (vagas limitadas):

Sábado dia 08/06:

11h00 – 17h00: Etegami

13h00 – 14h00: Ikebana

15h00 – 16h00: Aquarela

Domingo dia 09/06:

10h00 – 16h00: Etegami

11h00 – 12h00: Aquarela

14h30 – 15h30: Aquarela

Palestra: Arte e Arquitetura no Japão

Palestrante: Marina Pereira de Lacerda – Domingo às 10h30

Inscreva-se para as oficinas gratuitas pelo telefone: (11) 3884-8698. Participe!

maio 132019
 


Mayu Miyazaki guardou as bagagens e se acomodou na apertada poltrona do Boeing da Qatar, em Narita, com destino a São Paulo. Olhou para cima e viu outros passageiros, todos desconhecidos, assentando suas bolsas, mochilas e sacolas. Cada passageiro tinha sua história, é claro, e o dia do embarque deve ter sido corrido para a maioria, mas esse dia 10 de abril tinha sido muito longo para essa menina de apenas 16 anos de idade.

No momento do famoso discurso

Há apenas algumas horas ela estava deixando o centro do palco do grande salão do Kokuritsu Gekijô (Teatro Nacional), de Tóquio, sob uma salva de calorosos aplausos, com um público de mais de 1800 pessoas, formado por deputados, professores e grandes empresários do país. Ela, uma brasileira, trineta de japoneses (5ª geração – gosei) por parte da mãe, e neta (3ª geração – sansei) por parte do pai, discursou naquele ambiente solene, para todo o Japão. Era a Cerimônia de Celebração pelos 30 anos de Entronização do Imperador Akihito, na verdade, um evento de despedida e homenagem ao casal imperial, que em 20 dias deixaria o trono para o príncipe Naruhito.

Mayu foi a última a ser chamada para discursar, aumentando o nervosismo da espera. Antes dela, oito pessoas discursaram, todos homens, e nenhum deles era jovem ou inexperiente. Pelo contrário, eram destacados formadores de opinião, como o professor Shinya Yamanaka, prêmio Nobel de Medicina, e o ator e diretor de cinema Takeshi Kitano. O primeiro-ministro Shinzo Abe e o Hiroaki Nakanishi, presidente da poderosa Federação Econômica (Keidanren) também falaram antes dela.

É certo que todos os convidados desfilaram belos discursos, mas a Mayu foi a única pessoa a falar sem levar o texto escrito. Na escola em São Paulo, ela teve a chance de praticar a oratória em japonês, mas nunca falou para um público tão grande e nunca se preparou para falar durante cinco minutos. E se o público esperava um discurso cheio de palavras e entonações erradas, ficou muito surpreso com a perfeição da dicção e a escolha cuidadosa das palavras. Foi um discurso impecável, e ao contrário dos discursos mornos que jovens japoneses costumam fazer, ela conseguiu transmitir emoção, talvez uma manifestação do seu lado brasileiro. Representando a comunidade japonesa de fora do país, ela disse que seus antepassados trabalharam duro, mas nunca puderam retornar ao Japão e presenciaram situações tristes em sua vida no Brasil. Mas graças a eles, ela pôde ter uma vida melhor e estudar. Lembrando a visita que fez ao casal de imperadores, ela disse: “Se os meus antepassados tivessem tido a oportunidade de falar com o casal imperial certamente se encheriam de lágrimas de felicidade. As mãos quentes da imperatriz e o olhar gentil do imperador nos deram coragem e força”. Ao final de suas palavras, ela diz “Eu sou brasileira e amo o Brasil, mas o Japão está dentro de mim”.

A apresentadora de TV e jornalista internacional, Kaori Arimoto, assistiu à Cerimônia e se emocionou com o discurso de Mayu. Ela conseguiu autorização junto ao comitê organizador do evento para exibir a apresentação da brasileira no seu programa Toranomon News, e lamentou que nenhuma outra emissora tenha exibido esse trecho do evento, que ela considerou o mais valioso daquele dia.

Depois de mais de 30 horas de viagem, foram apenas quatro dias no Japão, o que é muito cansativo, mas Mayu sabia que tinha mesmo valido a pena. Na viagem de volta, ela sentiu principalmente o alívio por ter cumprido a maior missão de sua vida: representar o Brasil, a comunidade nikkei e a comunidade brasileira que vive no Japão.

Tudo começou muito antes

Mayu na formatura do curso de japonês

Apesar do convite para a participação da Mayu Miyazaki naquele memorável evento tenha chegado no mês de março, tudo começou muito tempo atrás. Atual estudante do 3º ano do Colégio Etapa, ela estudou no Colégio Oshiman e estuda o idioma japonês na Escola Shokaku, do mesmo grupo. O colégio Oshiman realiza uma excursão a cada dois anos para o Japão, sempre no final do ano. Mayu fez parte do último grupo, que viajou em dezembro de 2018. Antes disso, a professora pediu para que a Mayu escrevesse uma mensagem ao casal imperial para mandar para o Japão. A jovem estava no período de férias e confessou que estava com preguiça, mas acabou escrevendo uma mensagem de felicitações pelo ano novo, avisando que iria integrar o grupo de 32 alunos da escola que visitaria o Palácio Imperial, e que gostaria de se encontrar com o casal. Ela levou o texto para a escola e a professora corrigiu. Voltou e reescreveu por cinco vezes e depois passou a limpo, caprichando bem nas letras.  A carta foi lida pelo Imperador, e no dia dois de janeiro deste ano, o grupo foi recepcionado pelo próprio casal imperial, o que só havia acontecido uma única vez em 22 visitas feitas em 44 anos pela escola. 27 mil pessoas estavam no jardim do Palácio Imperial para ver de longe o breve discurso e aceno do imperador. E o grupo do Oshiman foi convidado a entrar no salão do Palácio. Durante essa visita, a imperatriz Michiko chamou a Mayu Miyazaki pelo nome e fez questão de falar com ela. “Na hora eu estava muito nervosa, não sabia que seria chamada pela imperatriz, e só consegui agradecer”, explica a estudante.

A imperatriz Michiko comentou que “no idioma japonês o kanji é difícil e as palavras também são difíceis, mas deve se esforçar para aprendê-los. E agradeça a seus pais e seus antepassados por esse aprendizado”. Já o imperador Akihito falou “Espero que seus sonhos se realizem. Soube que quer ser uma médica”. “Foi muita emoção. Percebi que o imperador e a imperatriz são pessoas muito generosas. Todo o mundo estava chorando no final, tal a emoção em poder encontrar com eles”, conta Mayu.

Como resultado desse encontro, a Mayu recebeu depois um convite para participar da Cerimônia de Celebração pelos 30 anos de Entronização do Imperador Akihito. A professora Mayumi Kawamura Madueño Silva chefiou a delegação da Oshiman e também  acompanhou a Mayu na Cerimônia de Celebração.

Durante um campeonato de Kendô representando a província de Mie com o irmão Shogo.

O caminho para a fluência no idioma

“Tudo o que você planta você colhe, um dia terá retorno. Eu acho que todos os jovens precisam estudar”, disse Mayu numa entrevista ao vivo no canal Afrodeks TV de Leandro Neves dos Santos, quando ele pediu uma mensagem aos jovens brasileiros que trabalham no Japão.

De fato, conforme explica o pai, Carlos Yukito Miyazaki, estudar tem sido uma rotina na vida, não só da Mayu, mas de toda a família Miyazaki. Carlos e Márcia, os pais, são ambos descendentes de originários da província de Kumamoto e ex-bolsistas da JICA – Japan International Cooperation Agency, da turma de 1996~1998. Carlos havia sido bolsista também em 1991, e a Márcia acaba de retornar da bolsa de curta duração de revitalização através da culinária na comunidade nikkei, também da JICA.

Presbítero da Igreja Evangélica Holiness, Carlos conta que o casal assistiu a uma palestra onde se ressaltava a importância das pessoas serem bilíngues. Resolveram ser radicais para aplicar esse conceito. Em casa, passaram a se falar somente em japonês. A Mayu tinha então três anos de idade. “A primeira providência foi colocar os filhos no yochien (jardim da infância) do Colégio Itatiaia, e pedimos que eles ficassem junto com as crianças japonesas, filhos de expatriados. Em poucos meses ela ficou fluente. Depois mantivemos o hábito de somente assistir TV japonesa (animês, novelas, etc). Essa regra foi mantida até a Mayu completar dez anos”, comenta Carlos.  “Fizemos questão que ela estudasse japonês seguindo os livros utilizados nas escolas japonesas”, completa o pai, demonstrando a dedicação para que seus filhos, Mayu (16 anos), Shogo (15) e Aya (13) ficassem fluentes em japonês. No caso da Mayu, o seu êxito precisa ser dividido com uma grande figura, a professora Marico Kawamura, hoje com 91 anos de idade. Desde o início, essa fundadora do Colégio Oshiman acreditou no potencial da Mayu e fez questão de dar aulas de japonês pessoalmente, nos últimos seis ou sete anos, ensinando os detalhes de cada ideograma e seus significados nos poemas clássicos.

Fora isso, a família frequenta a igreja onde a maioria é nikkei. A Mayu treina kendô na Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil, onde conseguiu o segundo “dan”. E, pela Associação Mie, ajuda todos os anos no estande de alimentação do Festival do Japão.

Com toda essa ligação com a comunidade nikkei, Mayu pensa em fazer o curso superior no Japão, ou mesmo a pós-graduação, e pretende trabalhar como médica no Brasil e no Japão. Vamos torcer para que os sonhos dela se concretizem. Capacidade e torcida ela têm.

Francisco Noriyuki Sato

Jornalista e editor, professor de História do Japão.

abr 092019
 

A Associação Beneficente dos Provincianos de Osaka Naniwa-Kai realiza no dia 14 de abril (domingo), a sua festa Udon Matsuri .

Além do Udon propriamente dito, haverá venda de doces japoneses como yogashi, castela cake, mochi e manju, trufas e ovos de páscoa, produtos e roupas importadas do Japão, bordados, crochê, artesanatos diversos, cosméticos e bijuterias

Na praça de alimentação, o público poderá degustar de nossos pratos típicos da culinária japonesa, como tempura udon, tirashi sushi, makizushi, shiruko, fukujinzuke e takenoko em conserva!

Associação Beneficente Osaka Naniwa-Kai – Rua Domingos de Morais, 1581 – +info: 11 5549 7226 | osakananiwakai@gmail.com

Entrada franca

mar 262019
 

A bolsa de estudos e/ou estágio da JICA tem o nome de “Programa de Treinamento Nikkei”, porém, há quatro cursos de curta duração abertos aos interessados em geral, desde que atenda aos requisitos estabelecidos. São eles:

Cursos que não exigem ascendência japonesa:  (* favor verificar condições no manual)

C07: Saúde, assistência médica e assistência social comunitário – Métodos para aproveitamento de recursos sociais existentes em idosos com necessidade de cuidados;
C12: Educação infantil e atividades sobre cultura japonesa;
C14: Ensino de língua japonesa como língua de herança;
C20: Programa de intercâmbio para promover novas parcerias entre museus nikkeis.

A inscrição deve ser feita até o dia 12 de abril de 2019. A faixa de idade para todos os cursos acima é de 21 a 50 anos. Os pré-selecionados serão entrevistados entre 3 e 9 de maio de 2019, nas cidades de São Paulo, Brasília ou Belém. Todos os detalhes da bolsa, descrição dos cursos e os formulários estão no link: https://www.jica.go.jp/brazil/portuguese/office/activities/nikkeis01_01_01.html

Quem estiver interessado deverá correr, pois são muitos os documentos, que incluem exames médicos.

mar 012019
 

O curso é gratuito, aberto a participantes de todo o país, que desejam aprender japonês, mas nunca estudaram o idioma. As inscrições estarão abertas até o dia 17 de março

A Fundação Japão promove, de 22 de março a 25 de junho, um curso on-line de japonês para aqueles que não conhecem ainda o idioma. O Curso de Japonês Online Marugoto A1-1 (Katsudoo & Rikai) é gratuito e inclui seis aulas ao vivo com professor-tutor, com interação com os demais alunos, correção de tarefas e certificado de conclusão do curso.

O curso é voltado àqueles que tem o sonho de trabalhar ou estudar no Japão, ou apenas visitar o país ou compreender animes e mangás, bem como se comunicar no idioma.

É uma grande oportunidade especialmente para aqueles que não têm tempo ou condições financeiras para participar de um curso presencial. 

O curso utilizará o site Marugoto Japanese Online Course para a realização de tarefas, que serão corrigidas individualmente pela professora-tutora.

As aulas ao vivo acontecerão a cada duas semanas, sempre às terças-feiras, das 20h às 20h40 (horário de Brasília), nas seguintes datas: 26 de março, 9 de abril, 23 de abril, 7 de maio, 21 de maio e 4 de junho.

As inscrições estarão abertas a partir das 12h do dia 1º de março de 2019, até a meia-noite de 17 de março de 2019. Interessados deverão acessar o site https://minato-jf.jp, bem como preencher o cadastro no site  https://fjsp.org.br/site/wp-content/uploads/2018/09/panfletoMINATO_com_link.pdf.

Como as vagas são limitadas, após efetuar a inscrição, interessados deverão aguardar um e-mail com a confirmação da inscrição.

fev 212019
 

Numa época em que ninguém sabia o que era mangá, a não ser os japoneses e os descendentes que dominavam o idioma, um grupo iniciou um trabalho voluntário de divulgação dessa cultura pop como arte japonesa. A Abrademi surgiu da junção da comissão de exposição de quadrinhos e ilustrações da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa (Bunkyo) com a Associação dos Amigos de Mangá, fundada dentro da Universidade de São Paulo pela professora Dra. Sonia Maria Bibe Luyten, a pioneira a tocar nesse assunto nos meios acadêmicos.

Roberto Kussumoto, Kimil Shimizu, José Yukuo Oki, Noriyuki, Roberto Higa e Margarete Shibuya Itai, três anos antes da fundação da Abrademi, na entrada lateral do Bunkyo.

Dubladores: Ulisses Bezerra, Letícia Quinto e Élcio Sodré no MangáCon

Incentivada pelo sr. Masuichi Omi, então presidente do Bunkyo, que via no mangá a facilidade de divulgação da cultura japonesa, a Abrademi começou, em fevereiro de 1984, realizando aulas de desenho e exposições. O mestre Tezuka Osamu, Deus do Mangá, visitou o Brasil no final de setembro daquele ano. Os grandes jornais deram destaque e as suas palestras foram bastante concorridas, assim como os desenhos animados de Tezuka exibidos no MASP. A Abrademi coordenou a parte brasileira dessa exposição no MASP, com artes originais de artistas como Júlio Shimamoto, Eugênio Colonesse, Jorge Kato, Osnei Furtado, Louis Chilson, Jayme Cortez, Cláudio Seto, Roberto Higa, Eduardo Vetillo, Novaes, Paulo Fukue, Watson Portela, Roberto Kussumoto, Seabra, Vilachã, Rodval Matias, Mozart Couto, Gedeone Malagola, Rodolfo Zalla, Flávio Colin, Franco de Rosa, Kimil Shimizu, Michio Yamashita, e muitos outros, além de desenhistas amadores da Abrademi. Na ocasião, Tezuka Osamu ministrou uma aula para a Abrademi, no Bunkyo da Liberdade.

Caravana do Rio coordenada pelo Allen.

A Abrademi publicou fanzines (Clube do Mangá e outros), promoveu debates, e já na década de 1990, começou a organizar eventos de mangá e animê, sendo a MangáCon, a pioneira em eventos desse tipo, com shows de dubladores, cantores, lojinhas, exposição de posters, exibição de vídeos, concurso de cosplay, animê-kê e anime dance. A última MangáCon foi em 2000. Mais sobre a Abrademi.

Dia 17 de março de 2019 – Domingo – Das 10 às 17 horas.

Local: Associação Cultural Mie – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – bem na saída do metrô Vila Mariana. Há estacionamento pago no local. As inscrições são feitas pelo Sympla, pelo link: https://www.sympla.com.br/festa-dos-35-anos-da-abrademi__457100

Será servido um Brunch (Buffet a partir das 12h00) , com: café( doce e amargo)/água mineral com e sem gás/ leite ou chá / 03 tipos de frutas da época (mamão, abacaxi, melão ou melancia)/ mini-croissant recheado de presunto e catupiry ou presunto / mini-gravatinhas( massa folhada) de parmesão e gergelin/ lanches utilizando mini-pão francês com cobertura de parmesão, gergelin, mini-integral recheados com queijo fresco, blanquet de peru, salame e presunto / salgadinhos: mini-esfihas de carne ou calabreza ou queijo, quibe ou risolis misto ou coxinha/ strudel de maçã ou mini-carolinas de chocolate / sucos naturais de laranja, abacaxi/ refrigerantes ( guaraná e cola, nas versões normal e zero e/ou light). E um bolo de aniversário, é claro!

Aula do mestre Tezuka Osamu para a Abrademi em São Paulo. Jo Takanashi traduziu tudo na hora. Jal e Franco de Rosa estão na foto.

 

  • Haverá apresentação de slides com a história da Abrademi.
  • Exibição de videoclipes do AnimeDance e exibição de vídeos históricos, como os momentos marcantes da MangáCon.
  • Recortes de jornais e materiais históricos serão expostos.
  • Haverá um painel na parede para os desenhistas exercitarem sua arte.

    Tezuka Osamu – Ribon no Kishi

  • Exposição Tezuka Osamu – Este ano completam 30 anos sem Tezuka e 35 anos da vinda do Deus do Mangá ao Brasil
  • O desenhista Guilherme Raffide, do álbum “Nikkei” fará retratos em caricatura de mangá dos presentes o desenhista Francisco de Assis fará caricaturas dos presentes (ambos sem cobrar).

     

     

     

  • Bate-papo com o editor, roteirista e desenhista Franco de Rosa e outros profissionais

     

     

  • O desenhista Marco Antonio Cortez estará expondo e vendendo seus trabalhos
  • Show especial do cantor Diogo Miyahara interpretando temas de animê tokusatsu.

– A Abrademi estará colhendo depoimentos para o livro comemorativo que será lançado ainda este ano. Venha participar e compartilhar sua experiência com os amigos e com os demais colegas de outras fases da Abrademi!

Arte de Guilherme Raffide

 

Arte de Francisco de Assis

Franco de Rosa

No valor do ingresso já está incluído o brunch, bem como as bebidas e bolo descritos acima. A Abrademi está custeando a

Arte de Marco Antonio Cortez

locação do salão e os voluntários farão os preparativos, e os participantes só estão pagando o brunch. O INGRESSO será vendido por lotes. O ingresso Antecipado 2 poderá ser adquirido até o dia 12/03/2019. Menores de 10 anos terão desconto na compra antecipada até o dia 12/03/2019. Na porta do evento, o ingresso será vendido sem desconto, ou seja, por R$ 50,00 e R$ 25,00 (menores de 10 anos).

Show Diogo Miyahara na Abrademi

As inscrições são feitas pelo Sympla, pelo link: https://www.sympla.com.br/festa-dos-35-anos-da-abrademi__457100

Venha comemorar conosco neste evento que vai, com certeza, ficar na história!