jul 292019
 

Muitos discos da bossa nova foram lançados no Japão e não no Brasil. Esse gênero musical foi praticamente esquecido no país de origem, mas continua bastante vivo no Japão, onde as emissoras de TV costumam usar bossa nova como fundo musical de seus documentários sobre o Japão, tal a sua aceitação em solo nipônico.

A razão da aceitação da bossa nova tem muito a ver com a cantora Lisa Ono, aliás, seria mais correto creditar o mérito ao seu pai, Toshiro Ono. Esse japonês imigrou para o Brasil na segunda metade da década de 1950 e abriu um clube noturno no estilo japonês em São Paulo. Criou vínculo e até gravação do famoso músico jazzista Sadao Watanabe com músicos brasileiros. Levou a bossa nova para o Japão através de artistas como Cláudia e Baden Powell e fez um grande esforço de divulgação. Apesar de Sérgio Mendes ser considerado o pioneiro na difusão do gênero no Japão, foi o Trio Tambatajá, levado por Ono, o primeiro a se apresentar no Japão, antes mesmo do nascimento da clássica “Garota de Ipanema”, de Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes, de 1962. Trio Tambatajá se apresentou em várias regiões japonesas. Em 1974, Ono abriu um restaurante brasileiro em Tóquio, o Saci Pererê, onde se ouvia ao vivo, evidentemente, bossa nova. Esse restaurante continua firme ainda hoje. Lisa Ono, a mais velha das filhas de Toshiro, começou sua carreira cantando aqui ainda bem jovem. Depois, ela se tornou uma espécie de embaixadora da música brasileira no Japão, tendo se apresentado com os maiores nomes da MPB no Brasil e no Japão. Ela tem mais de 30 discos gravados e faz muito sucesso em várias partes do mundo onde se apresenta constantemente.

A TV NHK produziu esse belo documentário (clique no link abaixo) sobre os 60 anos da bossa nova, com entrevistas e show da Lisa Ono, e tudo está em português. O vídeo é On Demand, mas está disponibilizado gratuitamente. Vale a pena ver para aprendermos sobre a beleza da bossa nova, tão esquecida em terras brasileiras.

https://www3.nhk.or.jp/nhkworld/pt/ondemand/video/2045024/

fev 212019
 

Numa época em que ninguém sabia o que era mangá, a não ser os japoneses e os descendentes que dominavam o idioma, um grupo iniciou um trabalho voluntário de divulgação dessa cultura pop como arte japonesa. A Abrademi surgiu da junção da comissão de exposição de quadrinhos e ilustrações da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa (Bunkyo) com a Associação dos Amigos de Mangá, fundada dentro da Universidade de São Paulo pela professora Dra. Sonia Maria Bibe Luyten, a pioneira a tocar nesse assunto nos meios acadêmicos.

Roberto Kussumoto, Kimil Shimizu, José Yukuo Oki, Noriyuki, Roberto Higa e Margarete Shibuya Itai, três anos antes da fundação da Abrademi, na entrada lateral do Bunkyo.

Dubladores: Ulisses Bezerra, Letícia Quinto e Élcio Sodré no MangáCon

Incentivada pelo sr. Masuichi Omi, então presidente do Bunkyo, que via no mangá a facilidade de divulgação da cultura japonesa, a Abrademi começou, em fevereiro de 1984, realizando aulas de desenho e exposições. O mestre Tezuka Osamu, Deus do Mangá, visitou o Brasil no final de setembro daquele ano. Os grandes jornais deram destaque e as suas palestras foram bastante concorridas, assim como os desenhos animados de Tezuka exibidos no MASP. A Abrademi coordenou a parte brasileira dessa exposição no MASP, com artes originais de artistas como Júlio Shimamoto, Eugênio Colonesse, Jorge Kato, Osnei Furtado, Louis Chilson, Jayme Cortez, Cláudio Seto, Roberto Higa, Eduardo Vetillo, Novaes, Paulo Fukue, Watson Portela, Roberto Kussumoto, Seabra, Vilachã, Rodval Matias, Mozart Couto, Gedeone Malagola, Rodolfo Zalla, Flávio Colin, Franco de Rosa, Kimil Shimizu, Michio Yamashita, e muitos outros, além de desenhistas amadores da Abrademi. Na ocasião, Tezuka Osamu ministrou uma aula para a Abrademi, no Bunkyo da Liberdade.

Caravana do Rio coordenada pelo Allen.

A Abrademi publicou fanzines (Clube do Mangá e outros), promoveu debates, e já na década de 1990, começou a organizar eventos de mangá e animê, sendo a MangáCon, a pioneira em eventos desse tipo, com shows de dubladores, cantores, lojinhas, exposição de posters, exibição de vídeos, concurso de cosplay, animê-kê e anime dance. A última MangáCon foi em 2000. Mais sobre a Abrademi.

Dia 17 de março de 2019 – Domingo – Das 10 às 17 horas.

Local: Associação Cultural Mie – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – bem na saída do metrô Vila Mariana. Há estacionamento pago no local. As inscrições são feitas pelo Sympla, pelo link: https://www.sympla.com.br/festa-dos-35-anos-da-abrademi__457100

Será servido um Brunch (Buffet a partir das 12h00) , com: café( doce e amargo)/água mineral com e sem gás/ leite ou chá / 03 tipos de frutas da época (mamão, abacaxi, melão ou melancia)/ mini-croissant recheado de presunto e catupiry ou presunto / mini-gravatinhas( massa folhada) de parmesão e gergelin/ lanches utilizando mini-pão francês com cobertura de parmesão, gergelin, mini-integral recheados com queijo fresco, blanquet de peru, salame e presunto / salgadinhos: mini-esfihas de carne ou calabreza ou queijo, quibe ou risolis misto ou coxinha/ strudel de maçã ou mini-carolinas de chocolate / sucos naturais de laranja, abacaxi/ refrigerantes ( guaraná e cola, nas versões normal e zero e/ou light). E um bolo de aniversário, é claro!

Aula do mestre Tezuka Osamu para a Abrademi em São Paulo. Jo Takanashi traduziu tudo na hora. Jal e Franco de Rosa estão na foto.

 

  • Haverá apresentação de slides com a história da Abrademi.
  • Exibição de videoclipes do AnimeDance e exibição de vídeos históricos, como os momentos marcantes da MangáCon.
  • Recortes de jornais e materiais históricos serão expostos.
  • Haverá um painel na parede para os desenhistas exercitarem sua arte.

    Tezuka Osamu – Ribon no Kishi

  • Exposição Tezuka Osamu – Este ano completam 30 anos sem Tezuka e 35 anos da vinda do Deus do Mangá ao Brasil
  • O desenhista Guilherme Raffide, do álbum “Nikkei” fará retratos em caricatura de mangá dos presentes o desenhista Francisco de Assis fará caricaturas dos presentes (ambos sem cobrar).

     

     

     

  • Bate-papo com o editor, roteirista e desenhista Franco de Rosa e outros profissionais

     

     

  • O desenhista Marco Antonio Cortez estará expondo e vendendo seus trabalhos
  • Show especial do cantor Diogo Miyahara interpretando temas de animê tokusatsu.

– A Abrademi estará colhendo depoimentos para o livro comemorativo que será lançado ainda este ano. Venha participar e compartilhar sua experiência com os amigos e com os demais colegas de outras fases da Abrademi!

Arte de Guilherme Raffide

 

Arte de Francisco de Assis

Franco de Rosa

No valor do ingresso já está incluído o brunch, bem como as bebidas e bolo descritos acima. A Abrademi está custeando a

Arte de Marco Antonio Cortez

locação do salão e os voluntários farão os preparativos, e os participantes só estão pagando o brunch. O INGRESSO será vendido por lotes. O ingresso Antecipado 2 poderá ser adquirido até o dia 12/03/2019. Menores de 10 anos terão desconto na compra antecipada até o dia 12/03/2019. Na porta do evento, o ingresso será vendido sem desconto, ou seja, por R$ 50,00 e R$ 25,00 (menores de 10 anos).

Show Diogo Miyahara na Abrademi

As inscrições são feitas pelo Sympla, pelo link: https://www.sympla.com.br/festa-dos-35-anos-da-abrademi__457100

Venha comemorar conosco neste evento que vai, com certeza, ficar na história!

ago 092018
 

O 7º To-Sa Matsuri acontece nos dias 18 e 19 de agosto, sábado e domingo, no Parque da Água Branca (perto do metrô Barra Funda). É um evento aberto e gratuito. Diversas atrações ocuparão o palco, como danças típicas e taikô. Para o público jovem, as principais atrações serão o Concurso de Cosplay, com a seletiva para o Cosplay World Masters, a Banda Gaijin Sentai e o cantor Diogo Miyahara, com seus temas de tokusatsu e animê. O Cosplay terá, como todos os anos, um espaço próprio, com várias atividades coordenadas pela dupla Cleiton e Bruna.

Na área de alimentação, diversas barracas com pratos variados, inclusive o imperdível “Katsuo no Tataki”, prato típico de To-Sa (antigo nome da província de Kochi, terra de samurais bravos). Trata-se de um sashimi levemente grelhado, que recebe um molho especial.

A Abrademi, Associação Brasileira de Mangá e Ilustrações, estará presente no Espaço Cultural e da Criança, com oficina de mangá, de origami, de shodô, de karuta, entre outros. Participação especial do editor Franco de Rosa, que estará fazendo um bate-papo sobre mangá e histórias em quadrinhos. Outros profissionais como o Marco Antonio Cortez e a professora Mayumi Ito estarão prestigiando o acontecimento.

Sábado e domingo, das 9 às 19h30. No Parque da Água Branca. Se vier de carro, é mais fácil estacionar num dos estacionamentos pagos (valor fixo) do outro lado da entrada principal do Parque, na Avenida Francisco Matarazzo.

Só um passeio dentro desse belo parque em estilo europeu já vale a visita!

Acompanhe no facebook do evento: https://www.facebook.com/ToSaMatsuri/

jul 242018
 

Esse vídeo faz muito mais sucesso do que o vídeo oficial das Olimpíadas Tokyo 2020. Tokyo Bon 2020 (Makudonarudo) é uma mistura de ritmo e instrumentos tradicionais japoneses com o bom humor do estrangeiro, que ao pedir informações sobre restaurantes em Tóquio, se depara com palavras em inglês com pronúncia bem estranha: o “japanglish”. Quem já foi ao Japão sabe bem o que é isso. “Dizunilando” é Disneyland, “Kitto Katto” é Kit-Kat e “Makudonarudo” é Mc Donalds. Essas e muitas outras palavras formam a incrível letra de Tokyo Bon 2020 apresentadas pelo compositor e cantor Namewee, e a atriz e cantora japonesa Meu Ninomiya. A produção teve a participação do grupo Cool Japan TV. Em apenas dois dias, em novembro de 2017, esse vídeo atingiu a marca de 12 milhões de visualizações. Agora já ultrapassa 31 milhões, o que é um fenômeno mundial.

Namewee, nasceu na Malásia com o nome de Wee Meng Chee, de família originária do Sul da China, e se formou em Taiwan. Seu primeiro sucesso representou problemas para o artista. Em seu vídeo “I love country Negarakuku”, que seria um tema para apresentar Malásia para os turistas, ele abordou temas como a corrupção policial, serviços públicos ineficientes e políticas governamentais equivocadas, citando também as práticas muçulmanas (num país cuja maioria segue essa religião). Logo ele recebeu críticas, por falar mal do seu país e pela baixa qualidade do vídeo, feito com montagens de fotos e outros vídeos. Embora tenha tirado do ar e pedido desculpas em público, recebeu um processo do Ministério da Informação de seu país. Não foi preso por isso, por morar fora do país, mas as emissoras de rádio e tv locais pararam de exibir aquele trabalho. Por um outro trabalho crítico, chegou a ser preso na Malásia em 2016. Namewee compõe músicas  e produz filmes, atuando principalmente em Singapura, Taiwan e Coreia do Sul, tendo já conquistado vários prêmios na Ásia.

A atriz Meu (leia Me-u) Ninomiya (二宮芽生), apesar de jovem (nasceu em 1992) é uma artista experiente. Já protagonizou vários filmes, como “1000 years Princess”, com o qual venceu o prêmio de melhor atriz revelação no Festival de Cinema da Ásia, no ano passado, em Taiwan. Ela nasceu em Okinawa, no Japão, mas como seu pai é professor de artes, se mudou várias vezes, morou na infância na Alemanha e Austrália, e terminou seus estudos em Yokohama, e fala o alemão.

Tokyo Bon 2020 – Makudonarudo

Ohayo Tokyo Konichiwa
Sumimasen I’m foreigner
I don’t speak Japanese
But I love Aoi Sora
When you say Wakarimashita
I say Hitachi Toyota
Kawasaki Nintendo
Canon Sony Honda

I’m losing my way
Obasan where should I go?
Shinjuku so big
I need a Doraemon
You speak Japanglish
And show me body language
What can I do?
Where should I go? No nonono

Makudonarudo
(McDonald)
Guguru Toiletto
(Google toilet)
Kitto Katto
(Kit Kat)
Dizunilando
(Disneyland)
Takushi go Hoteru
(Taxi go Hotel)
Sebun Elebun Miruku
(7-11, Milk)
Basu Biru
(Bus, Beer)
Sutabakkusu
(Starbucks)

fev 192018
 

Mostra de Cinema: Mulheres do Japão, de 21 de fevereiro a 5 de março de 2018, promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo, com apoio e curadoria da Fundação Japão em São Paulo. São filmes japoneses protagonizados por mulheres, ressaltando valores como determinação, perseverança, união, amizade e laços familiares. Também na programação dramas que trazem as dificuldades enfrentadas pela mulher japonesa em diferentes épocas e aspectos da vida. Os filmes, pertencentes ao acervo da filmoteca da Fundação Japão, serão exibidos no CCBB São Paulo, localizado na rua Álvares Penteado, 112, Centro, com entrada gratuita e aberta ao público.

Programação e classificação indicativa no site http://culturabancodobrasil.com.br/portal/sao-paulo (até dia 19/2 não aparecia nada)

SINOPSES

VIDA DE CASADO (16mm)

Hatsunosuke e sua esposa Michiyo mudaram-se de Tóquio para um humilde bairro em Osaka. Embora tenham se casado por amor, a paixão abrandou-se com o passar dos anos. Não tendo filhos para cuidar, torna-se cada vez maior a insatisfação de Michiyo com o seu dia-a-dia. Cansada de sua rotina e descontente com a chegada de uma prima do marido, Michiyo abandona sua casa e volta para Tóquio, onde tenta iniciar uma nova vida. O filme é baseado numa obra inacabada da popular escritora Fumiko Hayashi. A refinada composição dramática do roteiro e a descrição precisa dos mais íntimos sentimentos de uma mulher são os elementos centrais dos estudos psicológicos típicos do diretor Mikio Naruse. Vida de Casado é um excelente exemplo de sua habilidade para revelar os sofrimentos que se escondem sob a superfície tranquila do cotidiano. Após um longo período de fracassos, Naruse conquistou um grande sucesso com este filme, tendo-se tornado a partir daí, o mais popular diretor de temática feminina no Japão.

Ano: 1951 | Direção: Mikio Naruse | Duração: 97 min | Gênero: Drama | Legendas: Português | Classificação: 10 anos

AS IRMÃS MAKIOKA (16mm)

Baseado em um dos maiores clássicos da literatura japonesa, As Irmãs Makioka, de Junichiro Tanizaki e adaptado ao cinema pelo famoso diretor Kon Ichikawa. O filme retrata de forma sutil o final dos anos 1930 e começo dos anos 1940, época de grande turbulência no Japão e de muitas mudanças. Os tempos estavam mudando, um país aberto ao ocidente mas que ainda resistia com sua cultura própria, fazendo nascer assim, a “cultura híbrida” que viria a eclodir após a II Guerra. As Irmãs Makioka retrata a vida de uma abastada família da região de Kyoto e Osaka, no oeste do país. As quatro irmãs (Tsuruko, Sachiko, Yukiko e Taeko) tentam resolver juntas seus problemas familiares e arranjar um casamento para a terceira das irmãs, Yukiko, uma mulher de crenças tradicionais que aos trinta anos ainda não conseguiu se casar.

Ano: 1983 | Direção: Kon Ichikawa | Duração: 140 min | Gênero: Drama | Legendas: Português | Classificação: livre

O FERRÃO DA MORTE (16mm)

Um drama doméstico que traça um retrato realista do caráter do povo japonês no pós-guerra. A história se passa em Tóquio onde vivem Toshio, sua esposa Miho e os dois filhos do casal. Juntos há dez anos, eles enfrentam sua primeira crise quando um caso de Toshio com outra mulher vem à tona. Durante muito tempo Miho orgulhou-se da fidelidade do marido, mas agora é preciso enfrentar a brutal realidade de sua infidelidade.

Ano: 1990 | Direção: Kohei Oguri | Duração: 115 min | Gênero: Drama | Legendas: Português | Classificação: 12 anos

VAMOS NESSA (16mm)

Nos anos 70, Etsuko, uma jovem adolescente de 15 anos, e mais três colegas enfrentam todos os desafios para levar adiante o time de remo de sua escola. Com o lema “Remar é tudo para mim”, Etsuko encara os mais intensos treinamentos e o descaso das pessoas à sua volta, até conhecer Masako, que apresenta novos rumos para a vida das jovens.

Ano: 1998 | Direção: Itsumichi Isomura | Duração: 120 min | Gênero: Drama, esportes | Legendas: Português | Classificação: livre

O AMOR DE NABI (DVD)

Nanako se demite do emprego em Tóquio para voltar à sua ilha natal no arquipélago de Okinawa, onde ainda vivem seu avô Keitatsu e sua avó Nabbie. Nabi tem 79 anos e vive tranquilamente com seu marido. Mesmo casada há vários anos, ela nunca esqueceu SunRa, sua primeira paixão, que conheceu aos 19 anos. Sessenta anos depois, SunRa retorna à ilha e reencontra-se com Nabbie que decide então viver com seu grande amor, mesmo que para isso tenha que ir contra seus costumes e contra todos os moradores da ilha.

Ano: 1999 | Direção: Yuji Nakae | Duração: 92 min | Gênero: Drama | Legendas: Português | Classificação: 12 anos

SWING GIRLS (DVD)

Um grupo de uma escola secundária em Yamagata, norte do Japão, que fica em recuperação em matemática no verão, buscam como todo adolescente, algo interessantes para passar o tempo. A história começa quando Tomoko tenta convencer as amigas a fazer coisas diferentes, em um dia que a banda instrumental da escola ia se apresentar em um jogo de baseball e acaba conhecendo Takuo, um componente da banda que planeja sair da banda para compor uma nova banda instrumental. Tomoko e suas amigas resolvem ajudar Takuo com a nova banda e fogem das aulas de matemática o verão inteiro. Não há mais nenhum membro para formar a banda, Takuo decide criar então um grande grupo de swing. As meninas estão mais interessadas na diversão do que realmente em praticar. Com a ajuda de Takuo, Tomoko consegue envolver as demais meninas. Então começam a praticar e aos poucos começam a tocar. The Swing Girls (e um menino) nasce.

Ano: 2004 | Direção: Shinobu Yaguchi | Duração: 105 min | Gênero: Comédia, música | Legendas: Português | Classificação: livre

A GAROTA QUE SALTAVA NO TEMPO (16mm) – Animê

Makoto Kono é uma adolescente comum chamada que sempre com pressa e lutando contra o relógio para não perder a hora da escola. Ela vive numa família comum e feliz, e de acordo com suas próprias palavras, é uma garota de sorte e com boa intuição, pois mesmo não sendo burra e nem genial, sempre se dá bem em tudo que faz: tira boas notas, quase não se machuca e comete poucas bobagens. No terceiro ano do ensino médio passa por eventos estranhos e desco­bre que tem a capacidade de viajar através do tempo. Assustada com seu novo poder e novas experiências Makoto confia em seus amigos Chiaki Mamiya, e Kousuke Tsuda. Os dois inicialmente não acreditam em tal façanha. Com o tempo, ela tenta usá-lo para sua vantagem e como meio de ajudar o presente, mas logo descobre que adulteração do tempo pode levar a grandes consequências. Junto dos amigos, ela se encontra naquela difícil fase de decidir o que fazer da vida no futuro, de escolher a profissão na qual cada um trabalhará, provavelmente pelo resto de seus dias.

Ano: 2006 | Direção: Mamoru Hosoda | Duração: 98 min | Gênero: Animê, Drama | Legendas: Português | Classificação: livre

 KABEI: NOSSA MÃE (DVD)

A vida da pacífica família Nogami subitamente muda quando o pai, Shigeru, é preso e acusado de ser um comunista. Sua esposa Kayo trabalha da manhã à noite para manter sua família e educar suas duas filhas, com a ajuda de Hisako, irmã de Shigeru, e de Yama­zaki, ex-aluno de Shigeru. Mas seu marido não retorna. A Segunda Guerra Mundial estoura e lança sombras escuras em todo o país. Mas Kayo ainda tenta manter sua alegre determinação e sustenta a família com seu amor. Este é um drama emocional de uma mãe e uma eterna mensagem para a paz.

Ano: 2008 | Direção: Yamada Yoji | Duração: 133 min | Gênero: Drama, família | Legendas: Português | Classificação: 14 anos

A ESPOSA DE VILLON (DVD)

O filme mostra uma Tóquio pós-guerra ainda sofrendo os acontecimentos destrutivos da II Guerra Mundial, explorando temas como a masculinidade japonesa e o ideal feminino. A Esposa do Villon retrata o relacionamento de uma mulher sofredora com seu marido, um escritor brilhante, mas autodestrutivo. Baseado num romance semiautobiográfico publicado em 1947 de Osamu Dazai, a história centra o firme compromisso de Sachi, brilhantemente interpretada por Takako Matsu, que ganhou o Oscar de Melhor Atriz japonesa por este papel. Depois que seu marido Otani rouba 5.000 ienes de um casal de meia-idade que possui um bar, Sachi chega ao estabelecimento como uma garantia para o dinheiro roubado. Sua beleza e simpatia genuína, contra um pano de fundo de derrota implícita do Japão na Segunda Guerra Mundial, logo se destacam. Apesar das constantes humilhações causadas por Otani (Tadanobu Asano), a devoção de Sachi para com ele não diminui. A relação entre Sachi e Otani se aprofunda e muda com o crescimento da capacidade de Sachi.

Ano: 2009 | Direção: Kichitaro Negishi | Duração: 114 min | Gênero: Drama | Legendas: Português | Classificação: 12 anos

DEPOIS DAS FLORES (DVD)

“Depois das flores” é baseado em um conto do falecido Shuhei Fujisawa (O Crepúsculo do Samurai, Amor e Honra, etc). O filme é estrelado por Keiko Kitagawa, como Ito, membro de um pequeno clã na região de Tohoku. Um dia ela conhece um jovem espadachim de uma casta inferior socialmente chamado Magoshiro e desafia-o para um duelo amigável com espadas de bambu. A partida emocionante produz sentimentos entre os dois, mas Ito já está prometida em casamento a outro homem e decide colocar Magoshiro fora de sua mente e aguarda seu noivo para retornar de seus estudos em Edo. No entanto, quando Magoshiro é forçado a cometer “seppuku” devido a um nobre covarde, Ito decide tomar para si a busca de justiça.

Ano: 2010 | Direção: Kenji Nakanishi | Duração: 107 min | Gênero: Drama, época | Legendas: Português | Classificação: 10 anos

 BUSHIDO SIXTEEN (DVD)

O filme é baseado em best-seller de Tetsuya Honda e narra o dia a dia de Kaori e Sanae, duas meninas praticantes de Kendo. Kaori faz questão de vencer, enquanto Sanae pratica Kendo por prazer. Após sentir muitos dilemas entre ideais diferentes, elas aprendem o sentido e o prazer de lutar pela vitória.

Ano: 2010 | Direção: Tomoyuki Furuyama | Duração: 109 min | Gênero: Drama, esporte | Legendas: Português | Classificação: livre

AS GAROTAS DO SHODÔ (DVD)

Baseada em fatos reais, a história aborda os sentimentos de estudantes de ensino médio que participarão do Campeonato de Performance de Shodo. Satoko Hayakawa é filha de um mestre em caligrafia e presidente de um grupo de caligrafia que está para se desfazer por falta de harmonia entre os participantes. Um novo professor introduz aos membros do grupo uma apresentação performática, escrevendo ao som de música. A partir daí, Kiyomi, outra integrante do grupo, tem a ideia de fazer uma performance para a abertura da nova loja de papelaria de sua família, e contará com a ajuda de Satoko.

Ano: 2010 | Direção: Ryuichi Inomata | Duração: 120 min | Gênero: Drama, comédia | Legendas: Português | Classificação: livre

Mostra de Cinema: Mulheres do Japão – Data: De 21 de fevereiro a 5 de março de 2018

Local: CCBB São Paulo – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro | São Paulo – SP

Capacidade: 70 lugares – Horários e classificação indicativa no site – Entrada Gratuita

Ingressos: serão distribuídos a partir de uma hora antes de cada sessão, na bilheteria do local

Funcionamento da bilheteria: de quarta a segunda, das 9h às 21h. Informações: (11)3113-3651 | (11) 3113-3652

ccbbsp@bb.com.br  |  www.bb.com.br/cultura  |  www.twitter.com/ccbb_sp  | www.facebook.com/ccbbsp | www.instagram.com/bancodobrasil

Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física // Ar-condicionado // Loja // Café Flashback Estacionamento conveniado: Estapar Estacionamentos – Rua Santo Amaro, 272, Centro – R$ 15,00 pelo período de 5 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB.Translado gratuito: Uma van faz o translado gratuito entre o estacionamento e o CCBB. No trajeto de volta, tem parada no Metrô República. Embarque e desembarque: Rua Santo Amaro, 272 e Rua da Quitanda, próximo à entrada do CCBB.

fev 052018
 

Os jovens da Associação Kochi Ken e o grupo de dança Yosakoi promovem, no dia 18 de fevereiro, o 1º Kochi no Okyaku. Trata-se uma festa que apresenta a cultura japonesa, incluindo o workshop da dança Yosakoi, e a comida típica de Kochi, que é o “Katsuo no Tataki” (sashimi levemente grelhado e com molho especial). Para quem não quer “Katsuo”, há a opção de yakisoba.

Os convites antecipados podem ser adquiridos por R$ 25,00, e dão direito a 1 porção de “Katsuo no Tataki”, 1 tigela de arroz e missoshiru à vontade. São só 150 convites à venda. Adquira já o seu: kochiseinen.br@gmail.com

Endereço: Kochi Kenjinkai – Rua das Miranhas, 196, Pinheiros, São Paulo. 15 minutos do metrô Faria Lima. Essa rua é curtinha e fica atrás do Instituto Tomie Ohtake.

O grupo Yosakoi, de Kochi, sob orientação da professora japonesa Shizuka Kanno, ensaia às quintas-feiras a partir das 20 horas, no bairro da Liberdade. R. da Glória, 734. Quem estiver interessado em participar poderá pedir maiores informações para kochiseinen.br@gmail.com

 

dez 282017
 

O escritor Yusaku Furuya, de 40 anos, teve uma ideia estranha ao usar o tema “unko”, que significa literalmente “merda”, para uma coleção de cadernos de atividades para se aprender o kanji, ideograma japonês. A coleção tem 6 volumes, uma para cada ano do ensino fundamental. As crianças japonesas, ao longo dos seis anos do fundamental precisam aprender o total de 1006 kanjis, o que não é nada fácil.

Assim, Furuya criou um desenho simples de uma “bosta” com bigode, que seria o professor. Como as crianças nessa idade acham graça só de falar a palavra, Furuya caprichou na dose e escreveu a palavra 3.018 vezes dentro dos textos dos cadernos. O texto é bastante criativo, ao colocar sempre o excremento como um ser ou objeto. Por exemplo: a camiseta com a estampa do “unko” é sucesso de vendas. Fui ao museu ver o “unko” do elefante de Naumann.

Os cadernos foram lançados em março de 2017 e, no final do ano, a publicação havia alcançado 2,8 milhões de exemplares vendidos, o que representa 40% de todos os cadernos de atividades de kanji vendidos no Japão para o ensino fundamental. A editora Bunkyosha está contabilizando os lucros dessa ousada iniciativa. Isso prova que uma ideia inovadora, que conta com o respaldo de uma empresa que aposta na ousadia, pode-se tornar um grande sucesso comercial em pouquíssimo tempo.

dez 282017
 

Chega ao Brasil no dia 20 de janeiro de 2018 a missão do diretor de arte e artista plástico japonês Sebastian Masuda. Denominada Time after Time Capsule, a cápsula do tempo tem viajado pelo mundo desde 2014, com o objetivo de difundir a cultura japonesa, em especial a chamada cultura kawaii.

Trata-se de um movimento bastante popular no mundo inteiro, inclusive no Brasil, de compartilhar o amor por meio desta cultura pop, na qual cores, formas, objetos, figurinos e acessórios infantis resgatam a inocência, a pureza e a alegria de adeptos de todas as idades. Para Masuda, sua cápsula do tempo é um projeto participativo global, que convida as pessoas a compartilhar o amor em uma série de atividades, abertas a todas as pessoas, independentemente de sexo, idade, origem ou nacionalidade.

“Ao conhecer que uma parte das novas gerações no mundo cultuam a cultura de Harajuku fervorosamente, constatei que esse fato ultrapassa fronteiras de países, etnia e gênero, e que é um conceito indispensável para a atualidade”, revela Masuda, sobre sua motivação para o projeto.

A cada parada, são promovidos workshops e diversas atividades ao redor de um enorme personagem transparente elaborado especialmente para esta ocasião. Ao longo do dia, os participantes poderão participar de uma palestra ministrada por Sebastian Masuda, e depois terão à sua disposição papéis, canetas coloridas e diferentes materiais para produzir, em um workshop, cartas decoradas, que serão inseridas na escultura gigante. O conteúdo contido nas cartas será direcionado a seus próprios autores, que no futuro terão a oportunidade de rever suas mensagens.

Isso porque, após percorrer diversos países, a cápsula retorna ao Japão em 2020, permanecendo em Tóquio durante a realização dos Jogos Olímpicos. A partir de 2035, as cápsulas iniciarão uma viagem de retorno, para reencontrar, em cada país onde havia estado, os participantes de cada um dos eventos e devolver-lhes suas cartas, para que possam relembrar as mensagem ali deixadas.

Até 2020, terão recebido as cápsulas do tempo de Sebastian Masuda, além do Brasil, as cidades norte-americanas de Miami, Nova Iorque, Seattle, Washington DC, São Francisco, Los Angeles e Alasca, e também Paris, Londres, Cingapura, África do Sul (Cidade do Cabo), Angola e Bolívia.

A cultura Kawaii no Brasil 


Uma de suas mais recentes passagens com a cápsula do tempo, Sebastian Masuda esteve na África, em Angola. A passagem surpreendeu o artista pela quantidade de informações que os residentes locais tinham sobre o Japão e a cultura pop, por meio do acesso à internet, principalmente através de sites brasileiros.

Esta popularidade no Brasil também pode ser percebida por Masuda pelas visitas de brasileiros à sua loja, 6%DOKIDOKI, em Harajuku, bem como pelas mensagens que recebe no Facebook.

“Há algum tempo sabia que a cultura Kawaii é popular na América do Sul, no entanto ainda não havia tido oportunidade de visitar esses países. Agora, com a minha nomeação como Embaixador da Cultura, visitarei o Brasil para verificar a comentada popularidade com meus próprios olhos.”

Esta será a sua primeira vinda ao país, e sua expectativa com a realização da palestra e do projeto de arte é que os brasileiros tenham a oportunidade de se aproximar do Japão, mais e mais.

Sebastian Masuda


O diretor de arte e artista plástico Sebastian Masuda nasceu em 1970, na província de Chiba, no Japão. Após atuar no universo do teatro e da arte contemporânea, inaugurou em 1995, em Harajuku, a “6%DOKIDOKI”, uma loja de temática Kawaii.

Em 2009, iniciou a turnê internacional “Harajuku Kawaii Experience”, para divulgar a cultura de Harajuku ao mundo. Recebeu destaque mundial ao produzir o videoclipe “PONPONPON”, para o lançamento do single de estreia da Kyary Pamyu Pamyu, ícone do pop japonês.

Atua ativamente na promoção da cultura kawaii de Harajuku como artista e diretor de arte. Também criou um restaurante-conceito, o “KAWAII MONSTER CAFÉ”.

Sua primeira exposição individual, “Colorful Rebellon – Seventh Nightmare”, foi realizada em Nova Iorque, em 2014. Em 2015, recebeu o Prêmio New Wave, no Yubari International Fantastic Film Festival.

Em maio último foi nomeado Embaixador da Cultura pela Agência de Assuntos Culturais do Governo do Japão. Atualmente também atua como professor visitante nas Universidades de Arte e Design de Quioto e de Yokohama.

Mais informações sobre o artista podem ser encontradas em seu site oficial: http://m-sebas.com ou em sua página no Facebook: https://www.facebook.com/sebastian.m.art/

Serviço: Data: 20 de janeiro de 2018 (sábado)

Horário:
• Palestra: das 11h às 13h (em japonês, com tradução consecutiva)
• Workshop: das 15h às 18h

(A palestra tem vagas limitadas. As senhas para participação serão distribuídas uma hora antes, no local)

Local: Japan House São Paulo – Av. Paulista, 52, São Paulo

out 162017
 

Fato histórico: Cristiane A. Sato, da Associação de J-Fashion, ladeada pelos organizadores do evento, apresenta o Manifesto pró-Cultura Kawaii, no V Meeting Nacional Secret Garden, na Mansão Hasbaya, em São Paulo, no dia 14 de outubro de 2017.

“A beleza está nos olhos de quem vê. Abençoadas são as pessoas que apreciam a inocência, que protegem a infância e que praticam a ingenuidade e a lealdade no mundo de hoje. Paz é o privilégio das pessoas de boa vontade.

Poluição, violência, crime, corrupção, terrorismo, guerra, preconceito, xenofobia, sofrimento e solidão. É esse o mundo que queremos?

Por um mundo mais gentil, mais compreensivo, solidário e próspero, onde as pessoas possam se dar ao luxo supremo de recuperar parte da infância na vida adulta, queremos assimilar a Cultura Kawaii originada no Japão e difundi-la como instrumento de paz global. Sendo uma manifestação cultural única, livre de doutrinação política ou religiosa e que independe de um idioma para estabelecer comunicação, a Cultura Kawaii se mostra como o instrumento certo para unir povos e gerações diferentes mundo afora.

Manifestamo-nos em prol da Cultura Kawaii sabendo que é a primeira vez no mundo que isso ocorre. Aqui é o Brasil, o lugar mais distante do Japão no mundo. Mas é aqui, na “terra do tudo junto e misturado” que há espaço para assimilação e convívio. Aqui corações separados por oceanos, fronteiras e culturas se unem para gerar algo novo em conjunto.

Nós reconhecemos que a Cultura Kawaii é parte da Cultura Japonesa, que está integrada no cotidiano japonês, e que ela é parte da identidade japonesa há séculos. Nós vemos beleza nos netsuke, nas mulheres que vestem quimonos com desenhos de pintinhos e coelhos, nos doces wagashi e nas estátuas de jizõu e inari espalhadas por estradas e ruas.

Nós nos inspiramos no trabalho de artistas como Yumeji Takehisa, Junichi Nakahara, Riyoko Ikeda, Yumiko Igarashi, Macoto Takahashi e Eico Hanamura.

Nós entendemos que o sofrimento fez parte de fenômenos da Cultura Kawaii, e a importância dos efeitos terapêuticos do kawaii.

Só compreendemos a importância da Cultura Kawaii ao lembrar da dor que o confisco das bonecas Kewpie doll para fabricação de pólvora causou nas crianças durante a 2ª Guerra Mundial, e como a volta das bonecas após a guerra trouxe alento aos jovens sobreviventes durante a difícil reconstrução do Japão.

Ao saber que as 222 meninas-enfermeiras Himeyuri mantinham como tesouros em estojos escolares fotos de família e ilustrações da revista Shõjo no Tomo, pouco antes de se suicidarem durante a guerra.

Ao lembrar que uma criança em tratamento de câncer comoveu uma geração ao contar que a boneca Hello Kitty foi sua melhor amiga no hospital por ter ficado dias e noites ao seu lado.

Ao constatar que sobreviventes do Terremoto com Tsunami de 2011 e pacientes de doenças neurológicas respondem positivamente ao tratamento com o robô filhote de foca Paro.

Sim, acreditamos que a Cultura Kawaii é expressão de arte, estética, comunicação, e de cura da alma.

A Cultura Kawaii NÃO é fetiche ou apologia à pedofilia. Criminosos vêem malícia em tudo e todos. Denegrir ou proibir a Cultura Kawaii é censurar a arte e um ato de preconceito. Reduzir o espaço da infância penaliza social e culturalmente as pessoas boas que deviam ser livres. Somente o fim da impunidade e o afastamento dos criminosos da sociedade permitirá a todos liberdade de expressão e a queda de preconceitos.

Por essas razões, e para que o trabalho idealizado por Takamasa Sakurai não seja esquecido, lançamos o MANIFESTO PRÓ CULTURA KAWAII.

Aprenderemos, cultivaremos, divulgaremos e defenderemos a Cultura Kawaii. Toda beleza verdadeira começa na gentileza, na compreensão, na solidariedade e na inocência. Toda paz tem essa beleza.

Kawaii Forever!”

São Paulo, Brasil, em 14 de Outubro de 2017.

Assinaram inicialmente o manifesto:

Bianca Rocha – organização, V Meeting Nacional Secret Garden

Érika Barbosa – organização, V Meeting Nacional Secret Garden

Layla Carvalho – organização, V Meeting Nacional Secret Garden

Lea Dias – organização, V Meeting Nacional Secret Garden

Willian Souza – organização, V Meeting Nacional Secret Garden

Cristiane A. Sato – presidente, Associação Brasileira de J-Fashion

Francisco Noriyuki Sato – presidente, ABRADEMI Assoc. Bras. de Desenhistas de Mangá e Ilustrações, e editor do site www.culturajaponesa.com.br e professor de História do Japão

Dra. Makiko Matsuda – professora de Cultura Japonesa da Universidade de Kanazawa e professora visitante da Universidade de São Paulo – USP

Prof. Yoshikazu Shiraishi – professor no Tokyo Edo Culture Center e professor visitante da Universidade de São Paulo

Dra. Patrícia M. Borges – professora, Pontifícia Universidade Católica PUC-SP e Universidade de Osasco

Manifesto em inglês.   Manifesto em japonês.

jun 302017
 

A Fundação Japão apresenta, nos dias 8 e 9 de julho, o grupo de dança TRIQSTAR. Vindo diretamente do Japão, os quatro jovens dançarinos trazem ao Brasil o seu lema “do Japão para o mundo”. As apresentações acontecem dentro da programação do 20º Festival do Japão, nos dias 8 e 9 de julho, às 16h50 e 12h10, respectivamente. O festival acontece no São Paulo Expo, em São Paulo.

Após o evento, TRIQSTAR também realizará uma apresentação exclusiva no MASP Auditório, na terça-feira, 11 de julho, às 19h30, com ingressos gratuitos, que deverão ser retirados com antecedência na bilheteria local.

Com um estilo único que mistura movimentos de robô, slow-motion, waving e moonwalk, mais conhecido como Animation Style, ou Triqdance, o TRIQSTAR tornou-se mundialmente conhecido, especialmente na Ásia, após sua participação no programa Asia’s Got Talent. https://www.youtube.com/watch?v=rP9PqiyPr-0

Em 2015, a participação dos japoneses no programa reuniu fãs no mundo inteiro, colocando o grupo entre os 6 finalistas dentre os mais de mil inscritos daquela edição.

Nem mesmo a diva pop Madonna poupa elogios quando se trata de TRIQSTAR. Muito antes de tornarem-se mundialmente conhecidos, a cantora assistiu a alguns vídeos de suas performances e rapidamente trouxe Da-Yoshi (líder do grupo) para a sua equipe. Ele ficou encarregado de produzir coreografias, selecionar assistentes e elenco para seis canções da turnê mundial “Sticky & Sweet”, de 2008. Veja o grupo no Xperia Dance Live Japan: https://www.youtube.com/watch?v=ejSTmJvvkZE

Ao longo de sua carreira, TRIQSTAR esteve ao lado de outros importantes artistas japoneses, como AKB48, SMAP e Kyary Pamyu Pamyu, tanto em trabalhos de coreografia como atuando como dançarinos exclusivos (backup dancers).

Seu estilo “animation” de dança inclui movimentos inspirados nos teatros “Kabuki” e “Noh”, que transmitem o orgulho que têm de suas origens e a vontade de levar a cultura da dança tradicional japonesa para o resto do mundo.

No 20º Festival do Japão – Data e horário:
Sábado, 8 de julho de 2017, às 16h50
Domingo, 9 de julho de 2017, às 12h10
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Endereço: Rod. dos Imigrantes, km 1.5 – São Paulo

Ingressos:
R$ 22 (antecipado) | R$ 25 (no dia) | R$ 12 (meia-entrada)
Entrada gratuita:
Crianças até 08 anos | Mulheres acima de 60 anos | Homens acima de 65 anos
Informações: www.festivaldojapao.com


Apresentação no MASP – Data e horário:

Terça-feira, 11 de julho de 2017, às 19h30
Local: MASP Auditório – Museu de Arte de São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista, São Paulo

Classificação: livre – Capacidade: 374 lugares

ENTRADA FRANCA (Distribuição de ingressos na bilheteria do local 2 horas antes da apresentação. Limite de 2 ingressos por pessoa. Sujeito à lotação do espaço.)