jun 232015
 

O 50º Gueinosai, Festival de Música e Dança Folclórica Japonesa, foi realizado nos dias 20 e 21 de junho de 2015, no Grande Auditório da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, no bairro da Liberdade, em São Paulo.

Trata-se do maior encontro entre os praticantes dessas artes no Brasil, e por isso é muito respeitado.  A programação é composta de várias modalidades, como “kayo buyo” – dança tradicional com música popular, “minyo” – música folclórica, “buyo kouta” – dança com música de ozashiki, “nagauta” – canto tradicional, “ryukyu buyo” – dança de Okinawa,  mas há também “shibu” – dança dos samurais, “wadaiko” – tambores, “hougaku” – música clássica japonesa e “minbu” – dança folclórica.

As fotos são de sábado. As fotos desta matéria podem ser utilizadas, mas é obrigatória a colocação de link ou a citação da fonte: www.culturajaponesa.com.br
Obs. A presença do “karaokê” como modalidade é estranha, quando se canta música comum e sem usar trajes típicos. Porém, há que reconhecer que os cantores selecionados são ótimos. Há também uma modalidade chamada “youbu” – que pode ser traduzida como danças do Ocidente, mas é estranho assistir a uma dança de tango num evento de cultura japonesa. Mesmo assim, é importante manter esse evento tradicional da coletividade nipo-brasileira. É fundamental que a comunidade assista e incentive esses dedicados artistas, alguns dos quais jovens e crianças, para que essas artes tenham continuidade. Parabéns aos organizadores e patrocinadores.

 

out 022014
 

ESCOLHIDO provaÉ a primeira vez que as principais manifestações folclóricas japonesas são reunidas num só evento. O 1º Festival MIN será realizado no dia 11 de outubro de 2014, na Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo). No evento, jovens de diversas regiões do Estado de São Paulo divulgarão a música folclórica japonesa por meio de danças folclóricas e canto acompanhado de instrumentos tradicionais, como o Shamisen, Shakuhachi, Koto, Sanshin e Taiko.

O evento permitirá, conhecer os traços marcantes de ritmos musicais, hábitos e tradições de diversas regiões. Representando a província de Okinawa, haverá participações especiais dos grupos Ryukyu Minyo Hozon Kai e Saito Satoru Ryubu Dojo.

Workshop – Após o Festival, será realizado um workshop de Shamisen, Shakuhachi e Minyo. O workshop é indicado para pessoas acima de 8 anos e não requer nenhum conhecimento prévio.

Destaques do programa

A programação inclui apresentações tradicionais de diferentes províncias japonesas. Soran Bushi, por exemplo, é uma das músicas mais famosas e tradicionais do Minyo, proveniente de Hokkaido, cantada pelos pescadores da região norte do Japão. Esashi Oiwake, também da mesma província é considerada uma das músicas mais difíceis, chamada popularmente de “O rei do Minyo”. De Kumamoto, vem Otemoyan, dança típica que ainda hoje pode ser apreciada nas ruas da cidade, durante o verão. Enquanto cantam, os artistas utilizam o dialeto de Kumamoto, sempre carregadas com o sotaque local.

Ainda no 1º Festival MIN, a famosa dança de chapéus giratórios, Hanagasa Ondo, de Yamagata, originária da nivelação da terra para um projeto de agricultura em 1918. Os chapéus, utilizados como proteção do Sol e das chuvas, retratam o trabalho braçal. Hatoma Bushi, de Okinawa, destaca agilidade e leveza, com base no karatê, luta típica do reino de Ryukyu. O evento traz também apresentações provenientes de Aomori, Akita, Miyazaki, Tottori, Toyama e Miyagi.

Minyo – a Música Folclórica Japonesa

A música folclórica japonesa traz como tema principal a transmissão do ritmo da vida e sentimentos do cotidiano do povo, o trabalho dos agricultores e pescadores, celebrações e até mesmo as histórias dos itinerantes. Em suas canções, os trabalhadores encontravam a força e perseverança para suas árduas jornadas, enaltecendo as glórias alcançadas e expressando as dores cotidianas, sendo um retrato fiel do sentimento e da alma do povo japonês. Veja e ouça um exemplo de Minyo no nosso post sobre o vulcão Monte Ontake!

Festival MIN – a nova geração da música folclórica japonesa (200 lugares)
Data: 11 de outubro de 2014 (sábado) – Início: 17h
Local: Pequeno Auditório – Bunkyo (do corredor que vai para o estacionamento, pegue o elevador e desça no 3º andar), Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – metrô São Joaquim, São Paulo/SP. Estacionamento pago File Park entrando no prédio pela Rua Galvão Bueno.
Classificação: Livre – Ingressos: R$ 10,00 (antecipado) e R$ 15,00 (no dia)
Informações: (11) 99426-5123 (Alexandre Yamasaki)

Workshop de shamisen, shakuhachi, koto e minyo (200 lugares)
Data: 11 de outubro de 2014 (sábado) – Horário: 19h
Local: Pequeno Auditório – Bunkyo (do corredor que vai para o estacionamento, pegue o elevador e desça no 3º andar), Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – metrô São Joaquim, São Paulo/SP. Estacionamento pago File Park entrando no prédio pela Rua Galvão Bueno.
Classificação: 8 anos – Ingressos: R$ 10,00
Informações: (11) 99426-5123 (Alexandre Yamasaki)

ago 052014
 

A famosa base branca usada pelas gueixas e pelos atores do teatro Kabuki é da principal fabricante de cosméticos profissionais para teatro e cinema do Japão: a MITSUYOSHI.

A base branca é símbolo dos artistas no Japão. Ela deixa o rosto como uma folha de papel em branco, permitindo ao (à) artista criar expressões e efeitos diferentes com outras cores e aplicação de acessórios. Com os séculos a base branca evoluiu para símbolo de beleza tradicional e típica do Japão. Na Internet make-up artists como a japonesa Minori vêm popularizando o SHIRONURI entre jovens pelo mundo inteiro.

Chamada de SHIRONURI ou OSHIROI, a base branca da Mitsuyoshi é a preferida das Maikos (gueixas aprendizes) e dos atores do teatro Kabuki devido sua qualidade, que permite um acabamento uniforme e sedoso.

INSTRUÇÕES DE USO:
1) Lave a pele com sabonete líquido para o rosto, retirando vestígios de maquiagem anterior, óleo e suor.
2) Tonifique a pele passando um algodão embebido em loção tonificante e prepare a pele com creme hidratante.
3) Com uma esponjinha descartável aplique a base branca SHIRONURI / OSHIROI da Mitsuyoshi sobre a pele. A aplicação da base pura gera um efeito visual mais “sólido” (como uma máscara de Kabuki).
Para um efeito mais suave, pode-se diluir uma colher de chá da base num pires com um pouco de água mineral (uma colher de chá), deixando a base meio líquida. Neste caso, aplica-se a base sobre a pele com um pincel chato, fino e largo.
4) Retire o excesso da base com um pufe para pancake. Se quiser, dê acabamento com pó de arroz ou pó translúcido (existe em tons de pele e transparente).

TUTORIAIS:

Como fazer maquiagem de gueixa com os produtos Mitsuyoshi – em japonês
http://mitsuyoshi-makeup.com/step/make001.html

Como fazer maquiagem teatral para dança clássica (Nihonbuyou) com os produtos Mitsuyoshi – em japonês
http://mitsuyoshi-makeup.com/step/make002.html

Como fazer maquiagem de noiva tradicional com os produtos Mitsuyoshi – em japonês
http://mitsuyoshi-makeup.com/step/make003.html

Como fazer maquiagem teatral estilo Takarazuka (Otokoyaku) com os produtos Mitsuyoshi – em japonês
http://mitsuyoshi-makeup.com/step/make011.html

Maiko aplicando maquiagem (filmagem integral)

ago 242013
 
Escola de Biritiba Mirim com o naruko durante o Festival Yosakoi Soran

Escola de Biritiba Mirim com o naruko durante o Festival Yosakoi Soran

A loja Daiso Japan, da rua Direita, no Centro de São Paulo, recebeu um lote de “naruko”, aquele instrumento tipo castanhola, que é usado para dançar Yosakoi Soran. Saiba mais sobre essa dança jovem e contagiante no nosso arquivo de informações. Quanto ao preço do “naruko”, é R$ 5,99, como todos os itens vendidos pela loja Daiso.

Daiso Japan – Rua Direita, 247,  no Centro Velho de São Paulo. Metrô Estação Sé. A empresa prepara uma nova loja, no bairro do Tucuruvi, mas por enquanto essa é a única.
Veja outros produtos da Daiso no nosso post anterior.

mar 122013
 

A Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de São Carlos, que é uma entidade bastante ativa, possui vários grupos próprios, entre os quais o Kaizen Yosakoi Soran, Yanagui Taiko, Daisuki Karaokê e o Tomo no Kai. Este último é um grupo de odori (dança) tradicional, que agora está comemorando seu 10º aniversário, no dia 6 de abril, com festa no Instituto Cultural Ítalo Brasileiro, no horário das 18 às 23 horas. A entrada é franca e o público poderá apreciar comida japonesa, karaokê, taiko, bon odori, além do show do grupo Tomo no Kai.

Tomo no Kai São Carlos