ago 082017
 

Estão abertas as inscrições para o Exame de Proficiência em Língua Japonesa. O exame será realizado no dia 03/12/2017 (domingo). Saiba como é o exame no nosso post anterior. Na hora de preencher o formulário de inscrição, a dica é deixar anotada a senha que você mesmo vai criar em local de fácil acesso. A senha permitirá acesso ao resultado do exame antes do envio do mesmo pelo correio.

Período de Inscrição: 01/08 (terça) a 02/09/2017 (sábado)
Taxa de Inscrição (Manual incluso):
N1 = R$ 180,00
N2 = R$ 150,00
N3 = R$ 140,00
N4 = R$ 130,00
N5 = R$ 120,00

Locais de Inscrição:
※ Será possível enviar pelo correio o formulário de inscrição que estará disponível à partir de 01 de agosto aos residentes em áreas distantes dos locais de inscrição. Neste caso solicitamos contatar as seguintes instituições:

INFORMAÇÕES E LOCAIS DE INSCRIÇÃO
① CBLJ – Centro Brasileiro de Língua Japonesa
Rua Manoel de Paiva, 45 – Vila Mariana – São Paulo – SP CEP 04106-020
Tel.: (11) 5579-6513
Site: www.cblj.org.br
E-mail: info@cblj.org.br

② Aliança Cultural Brasil-Japão
R. Vergueiro, 727 5º and. – São Paulo – SP, Cep.01504-001
Tel.:(11)3209-6630
R. São Joaquim, 381 6º and. – São Paulo – SP, Cep.01508-001
Tel.:(11)3209-9998
E-mail: alianca@aliancacultural.org.br
Site: www.aliancacultural.org.br

③ Associação Pan-Amazônia Nipo-Brasileira
Trav. 14 de Abril, 1128 – Belém – PA, CEP: 66060-460
Tel.: (91) 3229-4435
E-mail: escritorio@apanb.org.br / mami@apanb.org.br

④ Associação Nipo Brasileira da Amazônia Ocidental
R. Terezina, 95 – Adrianópolis – Manaus – AM, CEP: 69057-070
Tel.: (92) 3234-7185
E-mail: nippakumanaus@gmail.com / nippaku@netium.com.br

⑤ Associação  Estudos da Língua Japonesa de Brasília
SGAN 611 Módulo A. Bloco C – Brasília – DF, CEP: 70830-501
Tel.: (61) 3711-0721 / (61) 3703-1503
E-mail: aeljbdf@gmail.com

⑥ Federação Cultural Nipo Brasileira da Bahia
R. Campinas de Brotas, 104-E – Salvador – BA, CEP: 40275-160
Tel.: (71) 3359-5946 / (71) 98819-5030 / (71) 99129-1256
E-mail: fcnbb@hotmail.com

⑦ Associação Cultural Esportiva Nipo-Brasileira do Estado do Rio de Janeiro
Av. Franklin Roosevelt, 39 sala 919 – Castelo
Rio de Janeiro – RJ – CEP:20021-120 – Tel.: (21) 2533-0047
E-mail: renmei@nethall.com.br

⑧ Aliança Cultural Brasil-Japão do Paraná
R. Paranaguá, 1782 – Londrina – PR, CEP: 86015-030
Tel.: (43) 3324-6418
E-mail: aliancalon@gmail.com / alianca.cultural@hotmail.com

⑨ Associação da Cultura Japonesa de Porto Alegre
Centro de Estudos da Língua Japonesa de Porto Alegre
R. Gomes Jardim, 497 – Porto Alegre – RS, CEP: 90620-130
Tel.: (51) 3219-2664
E-mail: acj-poa@acj-poa.com.br

O Formulário de Inscrição também poderá ser retirado (apenas retirado) nos seguintes locais:

O exemplo da prova do Exame de Proficiência em Língua Japonesa poderá ser visto no site: www.jlpt.jp

jul 122017
 

Estamos realizado um curso completo de História do Japão, com aulas uma vez por mês, aos domingos, em São Paulo. A iniciativa é da Abrademi em conjunto com a Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil.

Gueixa - Historia do JapaoO objetivo é facilitar a compreensão da cultura japonesa através de explicações sobre o passado do Japão. O público alvo são as pessoas que apreciam ou têm curiosidade sobre o Japão, e aqueles que pretendem visitar o país no futuro, seja como turista, a negócios ou como estudante, para que tenham maior proveito da oportunidade à partir do conhecimento de sua história. Não é necessário ter participado da aula anterior para participar. No final de cada aula haverá um tempo para perguntas dos participantes.

O curso é gratuito e realizado na Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil, na Av. Lins de Vasconcelos, 3352, Vila Mariana (na saída da Estação Vila Mariana), São Paulo.

As próximas aulas são as seguintes:
Dia 13/08/2017 – História do Japão 5 – Período Edo (isolamento do Japão)
Dia 24/09/2017 – História do Japão 6 – Período Edo final (abertura dos portos)
Dia 29/10/2017 – História do Japão 7 – Períodos Meiji e Taisho
Dia 26/11/2017 – História do Japão 8 – Período Showa até a Guerra
Dia 10/12/2017 – História do Japão 9 – Período Pós-Guerra até hoje
Horário: sempre das 9 às 12 horas.
Reserve sua vaga (grátis) no Sympla. As inscrições são realizadas por aula. Essa inscrição refere-se somente à aula do dia 13/08/2017, domingo.

Os professores são:
– Cristiane A. Sato, formada em Direito pela USP, autora do livro JAPOP – O Poder da Cultura Pop Japonesa e presidente da Associação Brasileira de J-Fashion, palestrante em universidades, entidades, embaixada e consulado geral do Japão, foi bolsista da JICA em 2016, na Universidade de Kanazawa.
– Francisco Noriyuki Sato, formado em Jornalismo e em Publicidade pela USP, autor dos livros História do Japão em Mangá, Banzai – História da Imigração Japonesa no Brasil, entre outros, é presidente da Abrademi, diretor cultural da Associação Cultural Mie e editor dos sites culturajaponesa.com.br, imigracaojaponesa.com.br e kanazawa.net.br. Foi também bolsista da JICA, em 2014, e ministrou palestras em universidades e museus do Japão em 2016.

Apoio: Fundação Japão – Café Mitsuo Nakao, Loja Enman e Rancho da Traíra

jul 112017
 

Promovido pela Abrademi e a Associação Cultural Mie Kenjin, com o apoio da Japan Foundation, o Curso de História do Japão vem alcançando muito sucesso em São Paulo. Realizada uma vez por mês, a aula do dia 25 de junho de 2017 reuniu, como sempre, mais de 200 participantes.

Nessa, que foi a quarta aula do curso, os temas foram os Períodos Kamakura e Muromachi, quando o Japão foi governado por samurais.
 
Foi exibido um vídeo de 10 minutos da aula enviada pelo professor Hiroshi Yamamoto da Universidade de Kanazawa, onde ele fala especificamente sobre samurais. Como é uma aula para alunos estrangeiros, ele falou em inglês e foi legendado em português especialmente para esta exibição.
 
No coffee break, foi mostrado um vídeo turístico da província de Mie em português, produzido pela NPO Aidensha, ligada ao governo de Mie. Foi vendido o cookie de chá de Ise da Associação Cultural Mie, foram distribuídos folhetos da Universidade de Tsukuba e foram sorteados 10 livros ilustrados sobre Ninomiya Kinjiro em japonês. No dia, foram recolhidos alimentos não perecíveis para a Casa da Esperança – Kibô-no-Iê, no total de 77 kg, que foram entregues no mesmo dia.
 

Quando os voluntários estavam acabando de retirar as cadeiras para limpar o salão, a cantora japonesa de ópera, Mieko Tsuruzawa, apareceu de surpresa e cantou três músicas (incluindo os hinos nacionais do Japão e do Brasil). Foi uma grata surpresa, que encantou os sortudos voluntários, que ainda concorreram ao sorteio de belas orquídeas oferecidas pelo Orquidário Sorocamirim. Enfim, foi um dia de imersão em cultura japonesa. A próxima aula será no dia 13/8 – Curso de História do Japão – abordando o Período Edo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

jun 302017
 

A Fundação Japão apresenta, nos dias 8 e 9 de julho, o grupo de dança TRIQSTAR. Vindo diretamente do Japão, os quatro jovens dançarinos trazem ao Brasil o seu lema “do Japão para o mundo”. As apresentações acontecem dentro da programação do 20º Festival do Japão, nos dias 8 e 9 de julho, às 16h50 e 12h10, respectivamente. O festival acontece no São Paulo Expo, em São Paulo.

Após o evento, TRIQSTAR também realizará uma apresentação exclusiva no MASP Auditório, na terça-feira, 11 de julho, às 19h30, com ingressos gratuitos, que deverão ser retirados com antecedência na bilheteria local.

Com um estilo único que mistura movimentos de robô, slow-motion, waving e moonwalk, mais conhecido como Animation Style, ou Triqdance, o TRIQSTAR tornou-se mundialmente conhecido, especialmente na Ásia, após sua participação no programa Asia’s Got Talent. https://www.youtube.com/watch?v=rP9PqiyPr-0

Em 2015, a participação dos japoneses no programa reuniu fãs no mundo inteiro, colocando o grupo entre os 6 finalistas dentre os mais de mil inscritos daquela edição.

Nem mesmo a diva pop Madonna poupa elogios quando se trata de TRIQSTAR. Muito antes de tornarem-se mundialmente conhecidos, a cantora assistiu a alguns vídeos de suas performances e rapidamente trouxe Da-Yoshi (líder do grupo) para a sua equipe. Ele ficou encarregado de produzir coreografias, selecionar assistentes e elenco para seis canções da turnê mundial “Sticky & Sweet”, de 2008. Veja o grupo no Xperia Dance Live Japan: https://www.youtube.com/watch?v=ejSTmJvvkZE

Ao longo de sua carreira, TRIQSTAR esteve ao lado de outros importantes artistas japoneses, como AKB48, SMAP e Kyary Pamyu Pamyu, tanto em trabalhos de coreografia como atuando como dançarinos exclusivos (backup dancers).

Seu estilo “animation” de dança inclui movimentos inspirados nos teatros “Kabuki” e “Noh”, que transmitem o orgulho que têm de suas origens e a vontade de levar a cultura da dança tradicional japonesa para o resto do mundo.

No 20º Festival do Japão – Data e horário:
Sábado, 8 de julho de 2017, às 16h50
Domingo, 9 de julho de 2017, às 12h10
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Endereço: Rod. dos Imigrantes, km 1.5 – São Paulo

Ingressos:
R$ 22 (antecipado) | R$ 25 (no dia) | R$ 12 (meia-entrada)
Entrada gratuita:
Crianças até 08 anos | Mulheres acima de 60 anos | Homens acima de 65 anos
Informações: www.festivaldojapao.com


Apresentação no MASP – Data e horário:

Terça-feira, 11 de julho de 2017, às 19h30
Local: MASP Auditório – Museu de Arte de São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista, São Paulo

Classificação: livre – Capacidade: 374 lugares

ENTRADA FRANCA (Distribuição de ingressos na bilheteria do local 2 horas antes da apresentação. Limite de 2 ingressos por pessoa. Sujeito à lotação do espaço.)

abr 062017
 

A Fundação Japão disponibiliza vários materiais no que se refere ao ensino do idioma japonês pela internet. Além do já consagrado sistema Marugoto, curso presencial que tem sua versão online, há outros e a entidade disponibilizou todos eles no site Minato (porto).

O mais interessante e prático é o curso “Japanese in Anime and Manga”. As opções de idioma são inglês, espanhol, chinês, coreano e francês. São alguns mangás divididos por temas, e tudo está escrito em japonês. Clicando no texto, você ouve a fala e aparece na barra a tradução no idioma escolhido. Você pode optar para que o texto seja reescrito na barra em japonês na forma de kana, kanji ou romaji (alfabeto romano). Como muitas palavras se repetem, você vai acabar aprendendo de tanto ouvir. Há também algumas informações culturais sobre o assunto daquelas páginas.

Agora, é só entrar, ler o mangá e aprender: anime-manga.jp

jul 252016
 

A Fundação Japão em São Paulo promove, em 30 de julho, um workshop sobre o Exame de Proficiência em Língua Japonesa (JLPT). Serão dois eventos independentes, um às 14h, sobre o nível N5, e outro a partir das 16h, a respeito do nível N4.

Conhecido também como “noryoku shiken”, o JLPT foi modificado em 2010 para avaliar principalmente a capacidade de comunicação linguística no idioma japonês. O workshop é recomendado aos que prestarão pela primeira vez este exame e será apresentado pelos professores do Curso de Japonês Marugoto.

A programação inclui uma explicação sobre a prova, os diferentes tipos de questões e também apresentando aos participantes algumas resoluções de questões para exemplificar. E informamos que não será um simulado de JLPT.

O workshop é gratuito e aberto a todos os interessados. Como as vagas são limitadas, é necessário fazer a inscrição pelo telefone (11) 3141-0110 ou e-mail: info@fjsp.org.br, informando nome completo, telefone, e-mail e nível de interesse. As inscrições estão abertas até o dia 28 de julho de 2016.

JLPT

O JLPT tem o objetivo de avaliar e certificar a proficiência em japonês de não-nativos. O teste é promovido desde 1984 pela Fundação Japão e Japan Educational Exchanges and Services (JEES).

Hoje, o teste é considerado um importante aspecto de qualificação profissional, bastante utilizado como parâmetro para seleção de emprego, resultando em promoções e mudanças de cargos dentro das empresas.

Quando será o teste de 2016?

O JLPT é realizado no mundo inteiro e no mesmo dia. Em alguns países acontecem duas vezes por ano, mas no Brasil acontece apenas um vez e será no dia 4 de dezembro de 2016, em São Paulo, Londrina, Belém, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília, Salvador e Manaus. As inscrições para o teste serão abertos no dia 1° de agosto e vão somente até o dia 03 de setembro. Saiba mais no: http://www.cblj.org.br/exames/exame-de-proficiencia-em-lingua-japonesa/

jul 042016
 
A Fundação Japão traz duas atrações internacional de grande prestígio em todo o mundo. A dupla de street dance japonesa Hilty & Bosch se apresentará pela primeira vez no país nos dias 9 e 10 de julho, no Festival do Japão. No evento, realizado no São Paulo Expo Exibition & Convention Center, os dançarinos se apresentarão no Palco Principal ao som do beatboxer e multivocalista japonês Reatmo.
Já no dia 12 de julho, às 19h30, haverá uma nova performance da dupla, com a participação especial do grupo brasileiro Cia. Discípulos do Ritmo, que fará a abertura do espetáculo. Aberto ao público e com entrada gratuita, a apresentação acontece no Auditório MASP Unilever, e novamente contará com o som de Reatmo.

 
HILTY & BOSCH
Hilty & Bosch é dupla de dança japonesa que vem se apresentando em todo o mundo, surpreendendo pela sincronicidade e leveza de movimentos, mesmo com toda a energia e dinamismo em palco. Formada pelos japoneses YOU e JIN, a dupla tem se tornado cada vez mais popular internacionalmente.
Enquanto YOU traz para a dupla a sensibilidade natural para a música e movimentos versáteis de improviso, JIN é velocidade, potência e movimentos acrobáticos incríveis. Ambos vencedores de diversos campeonatos e batalhas de dança, juntos o sucesso é ainda maior. Somente no YouTube, seus vídeos já somam mais de 20 milhões de acessos.
Com performances já realizadas em mais de 30 países e 150 grandes cidades, dos cinco continentes, a participação da dupla também é bastante requisitada em workshops, programas de TV, concursos de dança, comerciais de TV, desfiles de moda e muito mais.
REATMO
O beatboxer e multivocalista japonês vêm ganhando reputação mundialmente por sua presença viva e dinâmica. Com um equipamento básico, que inclui o software de produção Ableton Live, o aplicativo Lemur em seu iPad e um teclado controlador Korg MIDI, ele é capaz de criar e manipular infinitas variações musicais a partir de sons emitidos exclusivamente por sua boca.
Já aos 19 anos de idade, Reatmo venceu o Beatbox Battle Championship, em Boston, nos Estados Unidos. Desde então, segue aperfeiçoando sua técnica e suas habilidades e incorporando novas tecnologias. Hoje, suas apresentações são incríveis experiências audiovisuais.
Entre os admiradores do beatboxer está o grupo Maroon 5, que entrou em contato com Reatmo após assistir aos covers de suas músicas disponíveis Youtube.
CIA. DISCÍPULOS DO RITMO
Para abrir a apresentação de 12 de julho, no Auditório MASP Unilever, uma atração promete levantar o público de São Paulo. Com o espetáculo “Tá Limpo!”, a Cia. Discípulos do Ritmo traz ao palco o resultado do intercâmbio cultural entre o Brasil e Alemanha, com coreografia e concepção musical do alemão Storm. Nesta grande surpresa, integrantes da Cia. revelam o resultado de uma trilha musical em uma empresa de limpeza com seis faxineiros dançarinos.
jun 302016
 

Tokyo_Olympics_1964_Web_4751Desde que o Japão sediou pela primeira vez os Jogos Olímpicos, em 1964, o país  está prestes a viver um novo marco em sua história. Em 2020, será a sede dos Jogos Olímpicos pela segunda vez.

Para celebrar esta trajetória, relembrar grandes artistas em atuação na década de 60, e comemorar a próxima edição no país, que acontecerá em 2020, a Fundação Japão promove três eventos muito especiais.

A Emergência do Contemporâneo: a Vanguarda no Japão, 1950 – 1970

Inédita no país, a exposição de arte de vanguarda japonesa traz 70 obras produzidas ao longo de 20 anos por artistas como Kazuo Shiraga, Sadamasa Motonaga, Atsuko Tanaka, Genpei Akasegawa, Jiro Takamatsu, Natsuyuki Nakanishi, Arata Isozaki, Yoko Ono, Yutaka Matsuzawa e Kishio Suga. É interessante porque o Japão produziu vários movimentos artísticos na década de 50, dando espaço para artistas como Atsuko Tanaka, cujos trabalhos podem ser vistos no Ashiya Art Museum, em Hyogo.

De 14 de julho a 28 de agosto, no Paço Imperial do Rio de Janeiro, obras do pós-guerra ao auge da economia japonesa estarão expostas baseadas em temas como “Política da Abstração”, “Intervenção Urbana” e “Arte e Engajamento Social”. Algumas delas, inclusive, foram exclusivamente produzidas para esta exposição.

Mostra de Cinema Japonês – Especial Ko Nakahira

Pela primeira vez no Brasil, a mostra de longas-metragens de Ko Nakahira estará em cartaz de 27 de julho a 1 de agosto, no Centro Cultural Banco do Brasil. Um dos principais cineastas atuantes no período dos Jogos Olímpicos de 1964, destaca-se pelo andamento dinâmico e técnicas cinematográficas diversas. Na mostra, oito obras apresentarão o variado universo de Nakahira, incluindo temática juvenil, ação, comédia, suspense e filme de arte.

Concerto POP: Olha pro Céu – Look at the Sky

Dias 29 e 30 de julho, no VIVO Rio, a produção conjunta Brasil-Japão traz uma apresentação de união dos dois países, com a participação de grandes nomes da música japonesa e brasileira. O ponto alto será a apresentação de SUKIYAKI – ue wo muite arukou”, a canção japonesa que conquistou o mundo em 1964. Este momento reunirá, no palco, os artistas japoneses e brasileiros cantando em japonês, inglês e português. Participam do show Vanessa da Mata, Tokyo Ska Paradise Orchestra e Marcia, além do convidado especial Emicida.

Exposição:  A Emergência do Contemporâneo: a Vanguarda no Japão, 1950 – 1970

De 14 de julho a 28 de agosto de 2016

Paço Imperial – Praça Quinze de Novembro, 48 – Centro – Entrada Franca

Realização: Fundação Japão | Paço Imperial | IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional | Ministério da Cultura. Apoio especial: Ishibashi Foundation. Apoio: Lufthansa Cargo AG | Amigos do Paço | Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro | Prefeitura do Rio de Janeiro

Cinema – Mostra de Cinema Japonês – Especial Ko Nakahira

De 27 de julho a 1 de agosto de 2016

Entrada franca (retirada de ingressos 1 hora antes de cada sessão. Limite de 2 ingressos por pessoa.)

Centro Cultural Banco do Brasil – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

Realização: Fundação Japão. Apoio: Centro Cultural Banco do Brasil | Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro | Prefeitura do Rio de Janeiro | Ministério da Cultura

Música – Concerto POP: Olha pro Céu – Look at the Sky

29 e 30 de julho de 2016, às 20h30 (abertura da casa para o público às 19:30)

Ingressos à venda: www.vivorio.com.br ou na bilheteria do Vivo Rio

Vivo Rio – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo

Realização: Fundação Japão, Produção: Sony Music do Brasil. Apoio : Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro |Prefeitura do Rio de Janeiro

mar 142016
 

kasamayaki004Nos dias 29 e 30 de março, duas sessões especiais exibirão o documentário Kasamayaki (Made in Kasama, Japão & EUA, 2014, 78 min, Blu-ray, legendado), seguido de bate-papo com a cineasta japonesa Yuki Kokubo. Os eventos acontecem respectivamente no cinema Caixa Belas Artes, às 19h30, em São Paulo, e no dia seguinte, no auditório municipal do Centro Cultural “Carlos Fernandes de Paiva”, às 15h, na cidade de Bauru.
As duas sessões terão entrada gratuita. Em São Paulo, os ingressos serão distribuídos a partir de 24 de março, na bilheteria do cinema. Mais informações sobre o documentário em: www.kasamayakifilm.com

kasamayaki006Yuki Kokubo – Yuki Kokubo nasceu em Kasama, na Província de Ibaraki, em uma comunidade rural de artistas no Japão. Aos oito anos de idade, partiu com os pais para Nova Iorque, em busca do sonho de viver da arte. Após alguns anos, presenciou o fim dos sonhos de seus pais, que, com dificuldades, decidiram retornar ao Japão, deixando a filha nos Estados Unidos. Yuki, aos 16 anos de idade, começou a fotografar e frequentou a School of the Art Institute, em Chicago. Mais tarde, estudou Social Documentary Film na Escola de Artes Visuais.
Em 2011, assistiu pela imprensa a devastação do terremoto e tsunami e sua terra natal. Com a tragédia ocorrida no Japão, mesmo ressentida pelo suposto abandono de seus pais, Yuki decidiu que era hora de voltar à sua terra natal para visitá-los e ver com os próprios olhos o que restou após a tragédia.
“Senti a necessidade de estar perto de minha família e também de documentar o que estava acontecendo no Japão”, revela.
Foi assim que começou a trabalhar em seu primeiro documentário de longa-metragem, Kasamayaki (Made in Kasama). Em 2013, o filme recebeu financiamento da Fundação Jerome e foi selecionado como um dos dez filmes documentários para o IFP’s Independent Filmmaker Labs. Em 2014, Yuki recebeu uma bolsa individual do Conselho de Estado de Nova Iorque para as Artes por seu trabalho em Kasamayaki.

Kasamayaki (Made in Kasama) – O documentário tem início já no aeroporto, no momento de seu desembarque. Com o passar do tempo, Yuki pressiona seus pais por respostas, em meio ao dia a dia que intercala atividades domésticas e jardinagem a pequenos tremores de terra e a constante preocupação com os níveis de radiação, visto que a cidade está localizada a aproximadamente 140 km dos reatores nucleares de Fukushima. Ao longo do filme, Yuki revela, por meio de diálogos tensos, as complexas ligações e imperfeições de uma família e sua busca por respostas acumuladas ao longo dos anos. Assim, realizando pequenas entrevistas com os pais, lentamente (e relutantemente) percebeu que estar lá era a chance de redescobrir quem eram seus pais e o real motivo do distanciamento da família. “A câmera tornou-se uma ferramenta poderosa, permitindo que eu abordasse temas difíceis que evitávamos havia muito tempo.” Foi assim que percebeu que aquele filme não apenas poderia retratar uma região devastada e o início de sua luta para se reerguer, mas também a reunião e a compreensão de um drama familiar. “Pude perceber a forma como meus pais usam a criatividade para superar dificuldades na vida e assim, finalmente, entendi que o meu filme poderia ser usado para curar não apenas a nossa família, mas também inspirar outras a encontrar a cura em suas próprias vidas.”

Kasamayaki (Made in Kasama, Japão & EUA, 2014, 78 min, Blu-ray, legendado)
29 de março, terça-feira, às 19h30 – São Paulo
Local: Cinema Caixa Belas Artes – Sala Carmen Miranda (96 lugares) – Endereço: Rua da Consolação, 2423 – Cerqueira César – São Paulo, SP – Informações: (11) 2894-5781
Ingressos Gratuitos – Retirada a partir de 24 de março na bilheteria do cinema.

30 de março, quarta-feira, às 15h – Bauru
Local: Auditório Municipal do Centro Cultural “Carlos Fernandes de Paiva” (60 lugares)
Endereço: Av. Nações Unidas, 8-9 – Centro – Bauru, SP – Informações: (14) 3235-1312
Entrada Franca – Sem necessidade de ingresso

Realização – Fundação Japão em São Paulo
Apoio – Caixa Belas Artes – Secretaria Municipal de Cultura de Bauru

fev 222016
 

yumehina-IÚnica sucessora no mundo do mestre Hoichi Okamoto (Hyakki Dondoro), Michika Iida vem ao Brasil para duas apresentações de seu exclusivo Teatro Yumehina. As apresentações acontecem nos dias 12 e 13 de março, no Teatro FECAP, localizado no bairro da Liberdade, em São Paulo. Com entrada franca, os ingressos deverão ser retirados na entrada do Teatro FECAP uma hora antes do início do espetáculo, com um limite máximo de 2 ingressos por pessoa.
Natural da Província de Kagoshima, no Japão, Michika Iida viu sua vida se transformar ao assistir, em 1997, um documentário sobre o mestre Hoichi Okamoto. Na época, aos 25 anos de idade, era funcionária de uma empresa e morava em Kagoshima.
yumehina-Iida MichikaAssim, naquele mesmo ano ingressou no Hyakki Dondoro e, desde então, seguiu os passos do líder do grupo, Hoichi Okamoto, conhecido por apresentações enérgicas ao manipular bonecos de tamanho natural. Como integrante do grupo, participou da criação das peças e dos bonecos, bem como esteve presente em apresentações em diversos países da Europa e inclusive no Brasil.
De uma das vezes em que esteve no país, em 1996, lembra da descontração e entusiasmo do público. “Foram inesquecíveis a sintonia e o entusiasmo do público perante o ‘amor’ retratado nas peças”, recorda.
Debutou nos palcos em 1998. Em 2000, se apresentou em festivais na França, Itália, Grécia. Em 2001, criou o “Yume Ningyo Hiina” para mostrar seu próprio universo, passando a se apresentar por todo o Japão. Em 2006, já independente do Dondoro, começa a trilhar o seu próprio caminho, conquistando novas fronteiras com a confecção e manipulação de seus próprios bonecos e peças. Sua obra foi apresentada ao público pela primeira vez em Tóquio, em 2008. Apresentou-se nos maiores festivais de teatro de bonecos do Japão, em Nova Iorque (EUA), na Turquia, além de participações em projetos colaborativos de TV, cinema, artes tradicionais e jazz.

yumehina-KazeTeatro Yumehina, o teatro de bonecos de Michika Iida
Criado na década de 70, no Japão, o Teatro Dondoro, do Mestre Hoichi Okamoro, ou Hyakki Dondoro, traz como principal característica a utilização de bonecos em tamanho natural, que contracenavam com seu criador. “‘Hyakki’, ou espíritos sem limites, representa a ideia de que “o boneco é um recipiente oco que recebe o espírito do ser humano”, afirmava o Mestre Okamoto, diz Michika.
Embora o Japão apresente tradição em teatro de bonecos, Michiko expica as principais diferenças entre sua arte e as demais existentes no país, como o Bunraku.
“O estilo desenvolvido pelo mestre Hoichi Okamoto não pertence a nenhum outro gênero. Por exemplo, enquanto no Bunraku um boneco é manipulado por 3 pessoas, os meus são manipulados apenas por mim. Também no Bunraku, há o boneco, o recitador e o instrumento shamisen. No meu estilo, exceto em obras específicas, não há texto, somente música. Também no meu caso, não exerço somente o papel de manipuladora. Com o uso de máscaras, para que o corpo fique parecido com o boneco, contraceno com o boneco”.
Após anos de estudos e dedicação ao lado de seu grande mestre, a partir de seu falecimento, em 2010, Michika Iida tornou-se a única representante e sucessora do Teatro Dondoro.
Assim, surgiu o Teatro Yumehina, da união das antigas denominações de ‘Sonho’ (Yume) e ‘Bonecos’ (Hina), hoje também chamado de Teatro de Bonecos de Michika Iida. Em suas apresentações, traz expressões cênicas ímpares, a partir da presença de bonecos de tamanho natural confeccionados pela própria artista.
O processo de confecção, explica a artista, é iniciado pela parte da cabeça, o que acaba determinando o tempo de produção, que gira em torno de 2 meses.
“Normalmente utilizo um boneco por peça, mas cada boneco não se limita a uma única peça, pois trabalho novas combinações de cabeça, corpo e figurino, ampliando as possibilidades de variação de personagens”. Seus bonecos ganham vida no palco, bailando e atuando neste universo mágico e misterioso.

Serviço: Teatro Yumehina, o teatro de bonecos de Michika Iida
Dia 12 de março de 2016 (sábado), às 20h
Programa: 1 – Rocka (A Mulher da Neve) e 2 – Kaze (A Deusa do Vento e o Imperador Criança)
Dia 13 de março de 2016 (domingo), às 18h
Programa: 1 – Rocka (A Mulher da Neve) e 2 – Keshin (A Encarnação)

Teatro FECAP – Av. Liberdade 532, Liberdade, São Paulo – SP
Duração do espetáculo – aproximadamente 70 minutos – Capacidade – 400 lugares
Recomendado para maiores de 12 anos – Entrada franca
Retirar os ingressos na entrada do Teatro FECAP uma hora antes do início do espetáculo. Máximo de 2 ingressos por pessoa, sujeito à lotação do espaço.
Mais informações: Fundação Japão em São Paulo
Realização: Fundação Japão, Apoio: FECAP – Fundação Álvares Penteado