mar 312014
 

akirasaitoOs kanjis são representações de elementos da natureza em formas de ideogramas, que formam o idioma japonês. Nessa oficina prática, os participantes entenderão o significado de alguns kanjis e aprenderão sobre a lógica de sua construção. Além disso, treinarão a escrita Shodo (a pincel) e conseguirão ver que a maneira de escrever altera totalmente o resultado. Trata-se de uma oficina para iniciantes que fornecerá uma base para quem pretende aprender o idioma japonês ou a arte do shodo.

Dia 13 de abril de 2014 (domingo), das 14 às 17 horas, na Associação Cultural Mie Kenjin – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – 1º andar – metrô Vila Mariana, São Paulo.
Com o professor Akira Saito. Discípulo do mestre Nampo Kurachi na arte do Shodo, Saito morou no Japão, onde treinou karatê e se tornou instrutor da matriz da academia em Shizuoka. É professor de karatê graduado no Japão e tem o 5º grau no estilo Goju-ryu e 6º grau de Kenbu e Shibu. Junto com seu irmão, ostenta o título de Campeão Mundial na categoria bunkai-kata-kumite obtido na India em 2013.

A Abrademi, Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações, decidiu criar essa oficina ao constatar que muitas pessoas querem ter a oportunidade de aprender a arte da caligrafia japonesa, mesmo sem dominar o idioma, ou querem entender a lógica da construção dos kanjis sem saber escrever katakanas ou hiraganas.

Taxa única: R$ 40,00 (incluindo papel, pincel simples, tinta para treino e certificado)

Informações: cursos@abrademi.com – Inscrições pelo Sympla (no link “inscreva-se”) até o dia 10/4/2014 (quinta-feira)

Para saber mais sobre o Shodô e sua difusão no Brasil, veja o nosso link.

mar 282014
 

mayumi_itoAlguns traços rápidos à lápis já definem as características do desenho. São os esboços, que são a fase inicial de qualquer trabalho mais complexo. A questão é saber como fazer esses traços de maneira correta, para melhorar o resultado final.

Dia 13 de abril de 2014, das 9 às 12 horas, na Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil, Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – metrô Vila Mariana, em São Paulo/SP.

A professora Mayumi Ito é formada em Desenho Industrial pela Universidade Mackenzie e estudou Graphic Design no Junior College of Aizu, no Japão. Ela é professora da Escola de Desenho Atelier há 14 anos.
Taxa única: R$ 35,00 (incluindo certificado da Abrademi)
Material necessário: lápis macio, papel e borracha. Aula recomendada para acima de 10 anos de idade.
Inscrições antecipadas pelo Sympla ou no próprio local da aula, com a Amélia. Para maiores informações: abrademi.com

mar 272014
 

1984 foi um ano incrível, que marcou o surgimento de três associações bem diferentes entre os nipo-brasileiros. O mais incrível é que em 2014, as três entidades continuam firmes, e estão comemorando os aniversários.
A ABEUNI – Aliança Beneficente Universitária é uma entidade de voluntários que promove atividades filantrópicas e que incentiva a formação de lideranças e o trabalho em equipe. Seus 30 anos foram comemorados com uma festa na Associação Hokkaido, em São Paulo, no dia 15 de março.
A ABJICA – Associação dos Bolsistas Jica, é uma entidade que congrega mais de 1.400 pessoas que receberam bolsa da JICA e estudaram no Japão. Sua bonita festa de 30 anos ocorreu no auditório da CETESB, em São Paulo, no dia 20 de março, com homenagens e lançamento do livro sobre a sua história, sob o comando do presidente Guenji Yamazoe.
A ABRADEMI – Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações é uma entidade cultural sem fins lucrativos, que programou várias atividades comemorativas este ano, e a festa de aniversário está sendo preparado para o segundo semestre. Está prevista a edição de um livro contando os 30 anos da entidade e a história do mangá no Brasil.
Do outro lado do mundo, o Festival Internacional de Animação de Hiroshima também está completando seu 30º aniversário, promovendo o 15º Festival, que é bienal, para agosto de 2014.

mar 212014
 
Yukatas © Personal archive

Yukatas © Yukatayasan

YUKATA é um quimono de passeio em algodão, fechado por uma faixa especial de gorgurão chamada OBI, que é amarrada com nós decorativos nas costas.

Há poucas décadas toda dona de casa japonesa fazia Yukatas para sua família. Infelizmente esse conhecimento prático que havia no Brasil caiu no esquecimento; está quase perdido.
Por ironia, nos últimos anos o Yukata voltou à moda no Japão. Quimono versátil, que varia do tradicional ao fashion, o Yukata atraiu uma nova geração e através da Internet vem também conquistando jovens no exterior.
Para difundir e preservar o quimono no Brasil, a Associação Brasileira de J-Fashion, em parceria com a ABRADEMI – Assoc. Bras. de Desenhistas de Mangá e Ilustrações e a Associação da Província de Mie (Mie Kenjinkai) vai realizar o WORKSHOP inédito “COMO FAZER O VERDADEIRO YUKATA JAPONÊS” em São Paulo.

Antigamente o YUKATA era uma roupa simples para ser usada em casa e posteriormente tornou-se um traje de passeio, muito usado nos festivais de verão. Nos últimos anos o YUKATA ganhou sofisticação e tomou as ruas como um quimono fashion, caindo no gosto dos e das jovens no Japão. A popularidade do street fashion japonês na Internet vem difundindo o YUKATA pelo mundo.
O YUKATA NÃO é um robe ou saída de banho, que são muito pequenos e de caimento ruim devido ao uso de tecidos moles. Apesar de ser fácil no corte e na costura, existem “manhas” que dão ao YUKATA a amplitude e a forma elegante que se usa no Japão.
Os pequenos segredos de como se faz um legítimo YUKATA, antes restritos a poucas famílias japonesas, serão revelados no workshop COMO FAZER O VERDADEIRO YUKATA JAPONÊS. Serão abordados temas como dicas de modelagem e adaptação de medidas para os tecidos disponíveis no Brasil.

O WORKSHOP será composto por:
– Apresentação (Introdução e Estilismo de Yukatas) por Cristiane A. Sato, presidente da Associação Brasileira de J-Fashion
– Aula “Como Fazer o Verdadeiro Yukata Japonês”, ministrada por Ryuka Sensei,  formada pela Kyoto Kimono Gakuin College e professora de dança clássica japonesa pela tradicional Escola Hanayagi Ryu
– Demonstração prática: “Como Vestir Corretamente um Yukata” (Yukata no Kitsuke)

O workshop será dado em português e japonês, com tradução da profa. Rosa Sato.

Os participantes deverão levar o seguinte material para a Oficina de Yukata:

1) tesoura comum
2) agulha de costura
3) linha de costura comum – qualquer cor exceto branco (para alinhavo sobre tecido branco)
4) cola em bastão
5) fita métrica ou metro de costura
6) material de anotação.

Taxa única: R$ 35,00 – Data: 10/maio/2014 (sábado) – Horário: das 14 às 17 horas

Local: Associação Cultural Mie Kenjin – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – Estação Vila Mariana do metrô, São Paulo/SP.

Inscrições antecipadas no próprio local com a Amélia, ou pelo Sympla:

Veja matéria completa sobre o Quimono

mar 202014
 

O uniforme escolar feminino japonês, conhecido como sailor fuku, foi derivado do uniforme da escola naval européia e está em uso desde o final do século 19. Os trabalhadores também usam seus uniformes e todos se sentem pertencer a um determinado grupo. O programa Begin Japanology produziu um belo documentário sobre o uso de uniformes no Japão. Esse programa pode ser visto semanalmente na TV NHK do mundo inteiro, mas no Brasil só passa de vez em quando.

Para quem lembra de 'Sound of Music' com a Julie Andrews. há a famosa cena com os uniformes das crianças

Para quem lembra de ‘Sound of Music’ com a Julie Andrews, há a famosa cena com os uniformes das crianças

mar 202014
 

A Fundação Japão em São Paulo e a Faculdade Santa Marcelina (FASM) promovem, em 27 de março, às 19h, o Tokyo Fashion Festa (TFF) São Paulo~Brasilicious!~. O evento contará com a palestra do empresário Nichi Kashihara e um desfile de moda urbana contemporânea de Tóquio.
A palestra, com tradução simultânea, será uma excelente oportunidade para saber um pouco mais sobre a criatividade e a originalidade que circulam pelas ruas de Tóquio.
Os looks virão diretamente do Japão através da loja conceito idealizada por Kashihara, Madame-Killer, em Nova Iorque. Passarão pela passarela exemplares das marcas Motonari Ono, Neb aaran do, Yukihero Pro-Wrestling e Dress and Tights. O evento contará com a participação dos alunos da FASM como modelos.

moda tokyofesta2014

Motonari Ono – O estilista que dá nome à grife tem sido destaque do Tokyo Fashion Week. Atualmente, é um dos estilistas top de Tóquio.

Neb aaran do – A grife oferece um toque urbano a uniformes de colegiais.

Yukihero Pro-Wrestling – Na moda de Tóquio, esta é uma marca ímpar que tem como inspiração a luta-livre.

Dress and Tights – Como o próprio nome diz, vestidos e meias-calças são os produtos desta singular grife conceitual.

Tokyo Fashion Festa
A primeira edição do evento aconteceu em 2010, em Nova Iorque, em parceria com a escola de moda Fashion Institute of Technology (FIT), apresentado estilos como Gothic e Gyaru (Girl) atraindo centenas de veículos da imprensa especializada.
Depois disso, com o trágico acidente que devastou o Japão em 2011, quando foi acometido por terremoto e tsunami, Kashihara decidiu levar o evento para outros países, em prol daqueles que passavam necessidades em sua terra natal.
Foi assim que o TFF veio a São Paulo, trazendo não apenas os diversos aspectos culturais do país, como também auxiliando na recuperação da indústria japonesa. Com o sucesso, diversos outros países passaram a solicitar as suas próprias edições. Costa Rica foi um deles, que teve o TFF inserido no Costa Rica Fashion Week, no verão de 2012. Ainda em 2012, o TFF esteve em Moscou, na Rússia. Em 2013 esteve no Chile e na Argentina apenas com palestras TFF.

Tokyo Fashion Festa São Paulo~Brasilicious!~
Data: 27 de março de 2014 – Horário: 19h
Local: Faculdade Santa Marcelina (FASM) – Rua Dr. Emílio Ribas, 89 – Perdizes, São Paulo/SP

A entrada é gratuita e as vagas limitadas. As inscrições podem ser feitas enviando nome completo e telefone para: info@fjsp.org.br

mar 192014
 

ocarinaOcarina é um instrumento musical de sopro. Esse tipo de instrumento é muito antigo e pode ter surgido na região da Mesopotâmia, há mais de 10 mil anos, mas o modelo atual é mais recente e teria surgindo na Itália há 150 anos. Da Itália avançou pela Europa e dali para a Ásia e para o Japão, onde o instrumento ganhou companhia de taikô e brilhou em apresentações do músico Sojiro Nomura. Recentemente, ocarina tem chamado a atenção de jovens, fazendo parte de trilhas de desenhos animados (animês), como Dragon Ball Z, Pokémon e Tonari no Totoro.

O instrumento ganhou mais destaque quando a Nintendo lançou o game “The Legend of Zelda: Ocarina of Time”, onde ocarina é o item central do jogo. Veja o video promocional do distribuidor americano de ocarina, baseado no game “The Legend of Zelda: Ocarina of Time”, com Lena Leclaire tocando ocarina:

No Brasil, o japonês Kotaro Hashimoto, que aprendeu no Japão a técnica para tocar e fabricar a ocarina, montou um estúdio no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, onde ministra seu curso. Para ele, o próprio músico deve moldar a ocarina, que é feita de argila e vai ao forno, tal qual a porcelana. A vantagem é que o custo é muito baixo e o instrumento e seus furos têm que sair na dimensão adequada para cada pessoa, para assim, se obter o melhor som possível. Segundo ele, em três meses, com uma aula por semana, já é possível tocar e fazer sua própria ocarina. É claro que você pode pedir para trazer um do Japão, pois existe até ocarina de plástico, mas não é o ideal, pois aprendendo a fazer, você poderá fazer quando e como quiser, em sua casa.

Maiores informações sobre o curso de ocarina, envie e-mail para: cursos@abrademi.com

mar 192014
 
kozaburo tamamura

Celebração do Ano Novo de 1906 em Kobe. Segundo o autor, no 15º dia de janeiro, os enfeites do Ano Novo são retirados das casas e levados para os templos xintoistas, onde são queimados numa cerimônia para afastar o mal e as doenças.

Atendendo ao pedido de uma editora norte-americana, o fotógrafo Kozaburo Tamamura produziu belíssimas fotos do Japão, há 100 anos, para o livro “Japanese Views and Characters” e outros. São as primeiras imagens que tiveram como objetivo divulgar o turismo do Japão, e devem ter sido alvos de muita curiosidade, uma vez que o Japão esteve isolado do mundo por mais de dois séculos. Fotos de várias cidades fazem parte dessa montagem, compondo um conjunto nostálgico e um registro relevante da vida daquela época. Há uma curiosa imagem do já rico bairro de Ginza, em 1880, e também uma rua comercial de Kobe, em 1906. Há também fotos de Nova Iorque de um século atrás, que serve como comparação entre as duas metrópoles.

Kozaburo Tamamura nasceu em 1856 e abriu seu estúdio fotográfico no bairro de Asakusa, em Tóquio, em 1874, quando a cidade começava a se transformar com a abertura dos portos ocorrida em 1854. Depois se transferiu para Yokohama, e mais tarde, para Kobe.

mar 192014
 

hanamatsuri elefanteO tradicional Hanamatsuri será realizado no período de 7 a 12 de abril de 2014. Entre os dias 7 e 11, no horário das 10 às 16 horas, o público pode oferecer um banho de chá à imagem do pequeno Buda, e é servido gratuitamente o ama-chá (chá adocicado) nas tendas montadas na Praça da Liberdade. Esse chá é abençoado com a sabedoria de Buda, segundo conta a tradição. No último dia, 12, sábado, a partir das 10 horas, a praça contará com a solenidade religiosa, músicas infantis e distribuição de ramalhetes de flores às autoridades convidadas. Às 11h30, haverá o cortejo do elefante branco, que sairá da praça da Liberdade, acompanhado pelas crianças vestidas como na corte da Era Heian, seguirá pelas ruas Galvão Bueno, Américo de Campos e Avenida Liberdade, 365, sede da ACAL.

O Hanamatsuri é uma homenagem ao nascimento de Buda, daí a simbologia do elefante branco que carrega um Buda criança. Conta-se que a mãe de Buda, a rainha Maya, que tinha dificuldade em se engravidar, teve um sonho onde um elefante branco surgia e entrava em seu corpo. E isso foi visto como um bom presságio, e de fato, ela deu a luz ao Siddharta Gautama, que mais tarde seria conhecido como Buda Xaquiamuni. Isso teria ocorrido por volta de 560 a.C. na Índia. Conta-se que no momento do seu nascimento, uma música celestial ecoou e as flores desabrocharam ao mesmo tempo, e do céu caiu uma suave chuva de néctar. O banho com o chá simboliza essa chuva de néctar.

O 48º Hanamatsuri é uma promoção da Federação das Escolas Budistas do Brasil e da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade.

Para saber mais sobre a tradição do Hanamatsuri.

Para entender melhor o budismo.

mar 182014
 

yamatophoto-m3O grupo Yamato foi fundado em 1993 na província de Nara e já fez mais de 2.500 apresentações em 51 países. Seus integrantes passam a maior parte do ano viajando, mas são rigorosos no preparo físico e o dia começa com uma corrida de 10 km, e estão sempre prontos para tocarem um taikô gigante de 500 kg. Esse ano, o grupo Yamato já fez turnê pela Alemanha, Áustria e Suiça. No Brasil, fazem quatro apresentações no Teatro Anhembi Morumbi, em São Paulo, e depois retornam ao Japão para uma turnê que passará por 23 províncias. Seguem depois para Alemanha, República Checa, Hungria, Croácia, Rússia e Ucrânia!

2, 3, 5 e 6 DE ABRIL DE 2014 – TEATRO ANHEMBI MORUMBI – Dia 2 às 20h30, dia 3 às 20h30, dia 5 às 13h30 e dia 6 às 13h30.

INGRESSOS DE R$65,00 A R$250,00

Informações e ingressos: http://www.yamatonobrasil.com.br/

Corra, porque parte dos ingressos já está esgotada!