jul 242017
 

No dia 21 de julho de 2017, o deputado federal Mikio Shimoji, do Japan Innovation Party, esteve palestrando no salão nobre da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo) sobre o visto para descendentes de japoneses da quarta geração.

Atualmente, os descendentes da segunda geração (nisseis) e da terceira geração (sanseis) podem receber o visto de longa permanência e a ideia do projeto é que os da quarta geração (yonseis) também possam receber o mesmo tratamento. No momento, os yonseis conseguem vistos para entrar e permanecer no Japão somente se forem filhos biológicos, menores e solteiros, de pais sanseis que vivem no Japão como residentes com visto de permanência como Residente de Longo Período.

Pelo projeto, que está em estudo e deverá seguir tramitação na Câmara dos Representantes a partir de novembro de 2017, prevê-se também a concessão de visto para que o yonsei possa estudar e trabalhar no Japão durante o período de três anos, e depois solicitar visto para residir no país. Essa modalidade, conhecida como Working Holiday, já é aplicada para cidadãos de 18 países (é um acordo bilateral), porém, o período é de um ano e não inclui os brasileiros. Segundo o deputado, pretende-se também oferecer aos familiares (esposa e filhos) do yonsei, esse visto temporário de 3 anos.

Sem dúvida, é um passo para tentar resolver o problema da diminuição da população ativa no Japão, mas é uma providência tardia e tímida. Se em 1948, o Japão registrou o nascimento de mais de 2,5 milhões de crianças, em 2016, o número despencou para menos de 1 milhão, o que faz com que a população total diminua cada vez mais nos próximos anos. Nos últimos seis anos, o país perdeu 6 milhões de habitantes. Com a base da pirâmide social invertida, onde poucos estão na idade ativa para trabalhar enquanto muitos estão aposentados e com possibilidade de viver bastante, é claro que a conta não fechará nunca. Será preciso abrir outras portas imediatamente, mas isso não quer dizer que o Japão será capaz de atrair tantos imigrantes para suprir a demanda. É preciso ver se há emprego para todos e condições mínimas para eles permanecerem no solo japonês a vida inteira.

  3 Responses to “Visto de Longa Permanência para Yonseis no Japão”

  1. É um anseio grande de muitas familias que já estão la no Japão.
    Porem, conforme experiencias desde os primeiros dekaseguis não é fácil a mudança cultural mesmo sendo niseis, sanseis o que dira yonsei no caso de obter admissibilidade.
    Yonsei (4 geração) tera que se preparar muito bem nas minimas condições culturais da sociedade japonesa.
    Vejamos as migrações internas no pais, as diferenças culturais de Estado para Estado e temos exemplos no nosso territorio, mesmo falando a mesma lingua as graves distorções sociais.
    Não é o lado de lá só e somente que tem que oferecer as condições, o principal é o preparo do hospede que irá para um pais com seu modo de vida e lingua diferente e cabe a nos a obrigação de assimilar e se tornar um cidadão exemplar.
    Yoshio Hinata
    yoshiohinata@gmail.com

    • Agradecemos pelo comentário. De fato, qualquer pessoa para ir trabalhar num outro país precisa se preparar antes e saber pelo menos um pouco do idioma local.

  2. Boa tarde Francisco Sato, bem na minha opinião, esse visto para yonseis é como uma faca de dois gumes, porque ao mesmo tempo que o Japão precisa de pessoas para trabalhar, não tem uma certeza se todos os imigrantes vão ter trabalho e moradia para ficar no Japão, e outra, se a população está ficando mais velha, acredito que os japoneses mais velhos não vão ver o visto para yonseis com bons olhos, porque eles não vão considerá-los japoneses, fora o problema que os próprios brasileiros da geração sansei já cometeram crimes ai no Japão, queimando ainda mais a imagem do povo brasileiro, que já é um povo sem educação e corrupto por natureza. Claro que não podemos generalizar, mas muitos acabam fazendo coisa errada. Apesar disso, é bom saber que finalmente estão dando oportunidade também para os yonseis.

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)