out 292014
 

Inscrições Abertas! Se você deseja tornar-se professor de japonês, seja bem-vindo!

Dedique-se a um trabalho gratificante, servindo de elo entre o Brasil e o Japão! Participem!

Segue informativo sobre o 28º Curso de Formação de Professores de Língua Japonesa de 2015.

O prazo de inscrição vai até 1 de Dezembro de 2014.

http://www.cblj.org.br/cursos-bolsas/28-curso-de-formacao-de-professores-de-lingua-japonesa/

28期日本語教師養成講座開講

日本語教師養成講座を開講します。日本語を教えたい方、日本語教師になりたい方!!大歓迎です!

ブラジルと日本のかけ橋を作る夢のある仕事です。ご応募ください。

2015年第28回日本語教師養成講座の募集のお知らせです。

申込期間は2013121日まで。 お声かけをよろしくお願い致します。

http://www.cblj.org.br/ja/cursos-bolsas/28-curso-de-formacao-de-professores-de-lingua-japonesa/

Centro Brasileiro de Língua Japonesa – ブラジル日本語センター – Tel: (11)5579-6513

out 282014
 

“Ohana Matsumae é uma estudante colegial comum de 16 anos que mora em Tóquio. A vida dela muda quando a sua mãe some com o namorado para fugir das dívidas. Ela precisa se mudar para Yunosagi, perto de Kanazawa, para morar com a avó e trabalhar numa pousada”. Esse é o enredo de “Hanasaku Iroha”, um mangá de P.A.Works e Eito Chida,  publicado pela revista Gagan Joker, de dezembro de 2010 a outubro de 2012. O sucesso o transformou numa série de animê com 26 capítulos, em 2011, com direção de Masahiro Ando, e um longa para cinema foi lançado em 2013. Veja o trailer com a música-tema da série de TV:

hanasaku irohahanasaku festivalA cidade de Yunosagi é fictícia, mas foi espelhada em Yuwaku, cidade vizinha de Kanazawa, na província de Ishikawa, onde existem várias pousadas de banho, como a da protagonista. No mangá aparece um festival chamado “Yunosagi Bonbori Matsuri”, que celebra a data em que o Deus protetor de uma criança volta para a sua nuvem (Izumo) e são escritos pedidos em lanternas de papel para indicar-lhe o caminho (Bonbori significa lanternas). Esse festival não existia, mas depois do sucesso da série, foi criado pela cidade de Yuwaku, e recebeu o nome de”Yuwaku Bonbori Festival”.  No ano de sua criação, em 2011, nove hotéis-pousadas da cidade estavam completamente lotadas de fãs do animê, até acontecer o tsunami de 2011, quando registraram-se muitos cancelamentos, embora a cidade estivesse bem distante da tragédia. Apesar disso, o festival continuou e, neste ano, no dia 11 de outubro de 2014, foi realizado o quarto Yuwaku Bonbori Festival, que alcançou sucesso total.

hanasaku iroha bonbori

O festival bonbori saiu do mangá e agora é realidade

Kanazawa será tema de outro mangá nos próximos meses. O mesmo autor de “Tokyo Shutter Girl”, Kenichi Kiriki, está trabalhando num novo mangá chamado “Kanazawa Shutter Girl”. O autor afirma que pretende seguir o modelo do mangá anterior, que foi transformado em filme live-action para cinema. Na história, estudantes de um colégio feminino de Tóquio, que fazem parte do grupo de fotografia, saem às ruas carregando antigas câmeras com filmes para fotografar e falar com as pessoas.

Para iniciar o trabalho, Kiriki esteve em Kanazawa, com o diretor de fotografia Motoyuki Kobayashi e algumas modelos vestidas como colegiais, e fotografou vários locais históricos da cidade para escolher as cenas. Veja o trailer do filme live-action “Tokyo Shutter Girl”. São três diretores e cada um dirigiu um trecho. Esse trecho é o de Makoto Tezuka, filho do Deus do Mangá.

out 272014
 
Halloween de Tóquio. Foto de Sarah Haynes

Halloween de Tóquio. Foto de Sarah Haynes

Uma festa infantil e ocidental ganhou proporções gigantescas no Japão. Em todas as cidades japonesas é possível ver referências da festa do Halloween, que são lojas anunciando promoção ou de cafeterias e espaços que promovem pequenas festas ou da Tokyo Disneyland. Na cidade de Tóquio é diferente. Há menos de 10 anos, a festa começou a ser realizada no meio da rua, em vários pontos da cidade. Este ano, o evento começou no dia 25 de outubro, às10h30, no Roppongi Hills (um shopping gigante), foi para as ruas e foi a notícia da semana em quase todas as mídias. Embora muitos tenham optado por roupas mais óbvias c0mo de zumbis, houve até o “tema do ano de 2014” para a festa, que foi “cinema”. Assim, fantasias tradicionais como de Batman e Homem Aranha saíram do armário, mas as preferidas foram os personagens de animê e games.

Australianos e americanos entrevistados pela TV japonesa disseram que a festa em Tóquio era a oportunidade para adultos se vestirem como seus personagens preferidos e no meio da rua. Apresentadores da TV comentaram que é provável que tantos turistas venham a Tóquio para o Halloween porque podem se vestir como quiserem sem serem importunados. Todos dizem que na festa japonesa, as fantasias podem ser assutadoras, mas predomina o lado “kawaii” das pessoas.

halloween tokyoA Fuji TV promoveu o evento denominado “T-SPOOK~Tokyo HALLOWEEN PARTY~” em seu grande pátio, onde se apresentaram as estrelas do momento, como Kyary Pamyu Pamyu e Momoiro Clover Z. O evento, realizado nos dias 25 e 26 de outubro, contou com concurso, produtos e desfile cosplay. Outro desfile de rua movimentado acontece na vizinha Kawasaki, onde a festa começou dia 26 e vai até o dia 30. A festa no bairro de Kichioji acontece nos dias 29 e 30, também com desfile. No Shopping Center de Tamagawa, o desfile infantil acontece nos dias 25 a 31. Há também outras festas, muitas delas em clubes noturnos.

Pikachu tendo que se explicar à polícia...

Pikachu tendo que se explicar à polícia…

Tóquio comemora mais um ano de sucesso desse grande evento temático. Os comerciantes e os hoteleiros também. O evento traz japoneses de todo o Japão e também estrangeiros e o volume de negócios é impressionante. Como o Natal não é uma festa tradicional, o Valentine Day (Dia dos Namorados) em fevereiro era a principal data para o comércio local, que movimenta cerca de 1,08 bilhão de dólares. O Halloween deste ano superou essa marca e atingiu 1,1 bilhão de dólares.

Veja fotos do Halloween de Tóquio (2013): tokyofashion.com

out 232014
 
Foto de Marine Perez/Miss Million

Foto de Marine Perez/Miss Million

No mês de outubro, a Times Higher Education, da Inglaterra, revelou os dados do décimo quinto levantamento anual (2014-2015) das universidades a nível mundial. A Universidade de Tóquio é a número 1 da Ásia e se mantém em 23º lugar no mundo.

Como no ano anterior, cinco universidades japonesas estão no ranking das 200 melhores, entretanto, com exceção da Universidade de Tokyo, as demais registraram queda em suas colocações.

O jornal The Japan Times comenta que é quase certo que a iniciativa do Primeiro Ministro Shinzo Abe de levar 10 universidades japonesas à lista dos 100 melhores até 2020 não seja atingida. Além da supremacia das universidades americanas e européias que permanecem no topo, as escolas da China, Coréia do Sul e Hong Kong estão avançando rapidamente.

As escolas japonesas têm contratado professores do exterior, para melhorar a qualidade do ensino, porém, esbarram na questão do custo. Professores americanos de primeira linha ganham em média 270 mil dólares por ano, e eles preferem trabalhar num ambiente onde estejam outros professores estrangeiros do mesmo nível, para poder compartilhar pesquisas usando os dados mais recentes. Há também diferenças culturais quanto à hierarquia no Japão e a adaptação das famílias no País distante e onde poucos realmente falam inglês.

O governo japonês está preocupado com o nível de suas universidades. Nós também.

A melhor universidade brasileira é a Universidade de São Paulo, que tem 5.900 professores, 86 mil alunos, mais de 15.200 funcionários e forma cerca de 2.300 doutores por ano, produzindo em torno de 22% de tudo o que se produz na área acadêmica no Brasil. A USP é a melhor no Brasil, mas é a 215ª do mundo, ficando atrás de cinco universidades do Japão. Mesmo dentre os países do BRICS e países emergentes, a USP está em 11º lugar. A segunda colocada no Brasil é a Unicamp, que é a 338ª do mundo e a terceira, que era a Universidade Federal do Rio de Janeiro em levantamentos anteriores, está fora da lista, porque não está entre as 400.

Obs. Na listagem internacional, a classificação não especifica a colocação das universidades que não ficaram entre as 200 melhores, deixando a USP no bloco das 201 a 225, porém, pela ordem geral, a USP deverá estar na 215ª colocação. A Unicamp está no bloco das 301 a 350, e fazendo a contagem na ordem geral, está em 338º lugar.

Confira você mesmo e saiba a metodologia empregada: Times Higher Education

out 212014
 
http://www.kimono-yamato.co.jp/ekiren/kanazawa

http://www.kimono-yamato.co.jp/ekiren/kanazawa

Vestir um yukata ou quimono não é uma tarefa fácil, mesmo para as japonesas. A conservação dessas peças exige um cuidado especial, e carregar na viagem é um outro problema que desencoraja muitas pessoas.

Percebendo o crescimento do interesse das moças pelo quimono e yukata, a rede “Kimono Yamato” iniciou uma promoção ousada, nas suas lojas de Osaka, Tóquio e Kanazawa. Todas essas lojas estão estrategicamente instaladas em estações de trem, onde chega a maior parte dos turistas.

A promoção recebeu o nome de “Ekiren”, que é uma abreviação de “Eki”, estação, e “Ren” de rental, aluguel. É simples. A jovem chega de viagem de trem e visita a loja sem sair da estação. Escolhe e aluga um dos modelos de quimono e paga 5.000 ienes (50 dólares). No valor estão incluidos todos os acessórios, menos a meia tabi (que pode ser vendida a parte se você não tiver), e o trabalho de vestir (kitsuke). A preparação do cabelo e a maquiagem não fazem parte. Em Kanazawa, como tudo fica perto, pode-se passear pelo belo Castelo de Kanazawa e caminhar pelo parque Kenrokuen, ou visitar a vila dos samurais com suas ruelas estreitas e restaurantes típicos. Na hora de devolver o quimono, se a pessoa gostou, poderá ficar com ele, apenas devolvendo o Obi (cinto) e os acessórios! No caso, a promoção é para o quimono de poliéster, que é bonito do mesmo jeito. O estabelecimento só aluga quimonos femininos.

ekiren 2 kanazawaA promoção é válida todos os meses do ano. De outubro de 2014 a maio de 2015, a locação é do quimono. De junho a setembro de 2015, o aluguel é de yukata, para combinar com o clima da época.

A loja ministra cursos de como vestir quimono e yukata, e divulga no site alguns ensinamentos básicos, como mostram os vídeos abaixo:

Como vestir Yukata sozinha:

Como fazer o Bunko Obi (Obi de Meia Largura):

Para saber mais, site em japonês da Kimono Yamato

out 202014
 
akihabara predios.jpg

Foto de Danny Cho

Decepção para os brasileiros que, em viagem ao Japão, fazem questão de visitar Akihabara, o paraíso dos eletrônicos. Durante a bolha econômica japonesa, nos anos de 1980, esse bairro floresceu ostentando prédios com gigantescos letreiros coloridos e inúmeras lojas, uma do lado da outra, onde incontáveis modelos de câmeras e outros itens ainda pouco conhecidos no mundo estavam empilhados na entrada.

Os letreiros continuam coloridos e a gigante Yodobashi Camera também mantém seu ponto comercial, mas percebe-se que o bairro mudou seu foco, predominando-se lojas e serviços voltados aos fãs de mangá, animê e game. Há muitos Maid Cafe, onde as atendentes estão vestidas como garçonetes francesas do passado, o bar AKB-48 e o bar Gundam, e muitos outros estabelecimentos desse tipo, onde as moças de cosplay distribuem folhetos no meio das ruas. São muitas as lojas que vendem DVDs, games e bonecos para colecionadores. Se esse é o seu objetivo, não haverá decepção.

akihabara maid.jpg

Foto de Carter McKendry

Pedaço de bolo num Maid Cafe

Pedaço de bolo num Maid Cafe.
Foto de Joaquim Rocha

 

Para quem procura notebooks, tablets ou smartphones (conhecidos como Smaho), algumas dessas lojas são Duty Free Shop, ou seja, basta apresentar um passaporte estrangeiro onde possa verificar que vai ficar menos de seis meses no Japão, e não terá que pagar os 8% do imposto de consumo que é aplicado sobre todos os produtos e serviços. É uma grande vantagem. Mas terá que subir escadas apertadas e visitar várias lojas até encontrar o que procura. Há também muitas lojas pequenas que vendem produtos novos junto com usados em ótimo estado, mas têm-se a impressão de estar na Rua Santa Efigênia, em São Paulo. Não que as lojas sejam ruins, mas é possível deparar com etiquetas com dois preços: o preço em destaque, mais baixo, é quando você compra o equipamento (notebook ou tablet) junto com a assinatura do provedor de internet, e o preço escondido é para você que não quer os serviços agregados.

Patrick Macias, jornalista do The Japan Times, escreveu em 2007 que o bairro estava mudando. Depois do boom dos PCs, na década de 1990, Akihabara começou a receber os visitantes chamados de Otaku – fãs e colecionadores de animê, mangá e game -, que têm no consumo de tecnologia eletrônica, um aliado na manutenção de suas fantasias. Passou a ser chamado de Akiba por eles que fizeram a felicidade dos comerciantes que tinham esses produtos. Porém, na disputa pelo concorrido espaço em Tóquio, Akiba perdeu alguns prédios para escritórios de empresas como a NTT, gigante da comunicação, e o espaço passou a ser ocupado por assalariados comuns e otakus.

Na prática, os consumidores passaram a frequentar menos o bairro de Akihabara, porque as grandes redes japonesas de eletrônicos, como a Yamada Denki, estão em suas cidades. E hoje, qualquer cidadão pode pesquisar e comprar pela internet sem medo, porque no Japão o produto é entregue no dia seguinte e sem falta. Akihabara, que começou como mercado negro de produtos elétricos nos primeiros anos do pós-guerra, está em transformação, como acontece sempre no Japão. Aqui, a ordem não é destruir para fazer algo novo. O lema “Renovar e Manter” se aplica mais uma vez.

Para saber mais sobre o comércio de eletrônicos em Akihabara: site oficial

out 182014
 
Foto: yumeyakata.com

Foto: yumeyakata.com

A formatura é no mês de março, mas em setembro do ano anterior as empresas especializadas já distribuem seus catálogos nas faculdades. Custa caro, mas as moças fazem questão de usar quimono no dia da formatura, afinal, é um dia especial, e elas querem se lembrar desse dia feliz.DSCN4268

Na promoção e fazendo reserva com muita antecedência, o pacote que inclui a locação do hakama (da foto ao lado), o arranjo do cabelo, maquiagem e o serviço de vestir a formanda, pode custar 430 dólares, para usar naquele dia. Mas não só as universitárias querem usar essas roupas. As empresas possuem até catálogo para formatura do primeiro grau (no Japão, o primeiro grau dura 6 anos). As lojas, neste mês de outubro, estão promovendo a venda de yukatas para crianças, de 7, 5 e 3 anos, pois é tradição levar crianças dessa idade, nesta época, aos templos para uma bênção.

quimono4193

As jovens de Aichi combinaram passear de quimono num domingo comum

Todas as pessoas possuem ou gostariam de possuir seu próprio quimono. Os rapazes têm menos oportunidade para usá-lo, já as jovens vestem-na quando completam 20 anos, sempre nos primeiros dias do ano. Mas todos apreciam usar o yukata, quimono leve, nos matsuris, festivais tradicionais, que acontecem em vários lugares. Não é pela tradição, mas pela estética, porque yukata combina com matsuri.

quimono4456No Japão contemporâneo, onde o antigo convive com o novo, as pessoas saem com quimono simplesmente porque gostam. E qualquer japonês identifica as vestimentas japonesas como símbolo de elegância. A sra. Takahashi, que pratica a cerimônia do chá e usa quimono no dia-a-dia, conta que na cidade de Kyoto, muitas lojas simplesmente dão um desconto de 5% só porque ela está de quimono. Também na cidade de Kyoto, em determinadas épocas do ano, as passagens de trem e metrô ficam gratuitas para quem usa quimono. Há um esforço por parte de algumas cidades para que o hábito de usar essas vestimentas tipicamente japonesas no dia-a-dia seja adotado por todas as pessoas.DSCN4175

Quando as pessoas, principalmente jovens, usam quimono, yukata, hakama e outras roupas típicas, as pessoas cumprimentam, param para elogiar e tornam aquele momento ainda mais mágico.

out 162014
 
O veterano Asimo, quem diria, no Kennedy Space Center. Foto de Aaron Webb

O veterano Asimo, quem diria, no Kennedy Space Center. Foto de Aaron Webb

Termina nesta sexta-feira em Tóquio, o maior evento de tecnologia do Japão, o Japan Robot Week.

Dentre as invenções que melhoram a produtividade nas indústrias, chama atenção os robôs cuidadores de idosos. Com a preocupação pelo envelhecimento da população, esse tema se tornou proeminente e o Ministério da Economia, Comércio e Indústria criou o espaço chamado “enfermagem” para a exposição de soluções tecnológicas para o setor. Nesse espaço estão as empresas que fabricam, por exemplo, um equipamento que auxilia pessoas com limitação de movimento, e um outro que auxilia pessoas saudáveis a cuidarem do idoso, ajudando-o a levantar peso. Outros não são exatamente máquinas, mas softwares, por exemplo, que monitoram através de câmeras a movimentação do idoso ou daqueles que sofrem algum tipo de demência.

Como uma preocupação pelo desastres naturais, vários robôs foram desenvolvidos para auxiliar as pessoas nessas ocasições extremas, e pelo menos um tem a missão de trabalhar na área afetada pela radiação na usina nuclear de Fukushima.

Mas nem todos os robôs apresentados no evento são para trabalhos pesados. Um fabricante de Tóquio investiu num robô de 1,70 m, que é um barista extremamente cuidadoso. Os clientes escolhem o tipo de café através de tablet e o robô-barista prepara imediatamente e coloca-o na bandeja junto com saquinhos de açúcar e o pazinho para misturar. Confira no video da Japan Times:

 

out 142014
 

Kanazawa trembalaA expectativa é grande na cidade de Kanazawa, província de Ishikawa, no mar do Japão. O trem-bala ligando Tóquio e Kanazawa será inaugurado em 14 de março de 2015.  Na grande estação de Kanazawa, que será também a estação do novo veículo, há um tour mostrando as futuras instalações. Nas paredes da estação estão expostos desenhos de crianças que participaram do concurso de desenho do trem-bala e nos supermercados existe até um doce típico, cuja caixa tem o formato do trem.

DSCN4255

Contagem regressiva para o grande dia

Contagem regressiva para o grande dia

O projeto é realmente novo. O seu design foi inspirado no tema “Wa no Mirai”, que pode ser traduzido como “O futuro da essência japonesa”, e a criação coube ao designer Kyoyuki Okuyama, que trabalhou na General Motors americana, na Porsche alemã e na italiana Pininfarina, onde ficou famoso por ser o único não italiano a desenhar um modelo da Ferrari.

Já havia trem-bala entre as estações de Tokyo e Nagano. Agora, o mais novo ligará a estação de Tokyo até Kanazawa, passando por Nagano e Toyama. O percurso, feito atualmente por trem-bala e por trem expresso em 4 horas, se resumirá a uma curta viagem sem baldeações de 2 horas e 28 minutos. A população de Kanazawa espera que essa facilidade ajude a cidade a receber mais turistas.

Castelo de Kanazawa

Castelo de Kanazawa

Kanazawa é uma cidade pequena, de 458 mil habitantes, mas é a maior cidade da província de Ishikawa, e a capital cultural e econômica da região de Hokuriku, composta por Toyama, Ishikawa e Fukui. Embora não receba tantos visitantes estrangeiros, é uma cidade bastante querida pelos japoneses. Ela recebe anualmente 7 milhões de visitantes, muitos dos quais em busca de um refúgio tipicamente japonês. Vale lembrar que a cidade possui muitas das construções da época dos samurais, porque o local pertencia a um dos mais ricos senhores feudais do Japão, e que soube investir na arte e na cultura. Depois, a cidade nunca sofreu um desastre natural devastador como em outras regiões, além de não ter sido bombardeada durante a guerra.

A cidade tem artesanato próprio, cerimônia do chá, teatro Noh, biscoitos típicos “wagashi”, onsen (thermas), bairro das gueixas, e um calendário repleto de eventos, como desfiles de moda, festa de animê, oficinas artísticas, maratonas e até academia de sumô. Não faltam atrações para o turista, que conta com vários museus, inúmeros restaurantes típicos, parques e templos, e o que é importante, é possível se locomover facilmente a pé ou com um ônibus circular que sai da estação de Kanazawa levando turistas.

out 132014
 

karacon

Uma pesquisa informal realizada pelo programa “Asa-Chan”, da rede de TV TBS de Tóquio, perguntou às adolescentes na rua: “O que você considera mais importante para a sua vida?”

Algumas disseram que é o seu cachorro, mostrando a foto no smartphone. Outras mostraram algum objeto que ganharam do pai ou algum parente. Mas a maioria das moças respondeu “kara-con”. Seguindo a mania dos japoneses de encurtar os nomes das coisas, “kara-con” significa “colour contact lens”. No caso, essas lentes nem sempre são usadas para mudar a cor dos olhos, mas sim, para aumentar a área escura da íris. Dizem que é para ficar “kawaii” como as personagens de mangá.

Foto: Lola Photography

Foto: Lola Photography

A maioria usa as lentes todos os dias e dizem que não conseguem sair de casa sem elas. Podem deixar de se maquiar, mas jamais deixam de colocar as lentes. Elas se sentem envergonhadas em mostrar os olhos sem as tais lentes. Com certeza, o comércio ganha bastante com essa moda. Há destaque nos shoppings e há até sites especializados em venda de “kara-con”. Veja um deles: Kara-con-net

“Sair de casa com os olhos nus só depois que eu estiver morta”, declarou a cantora pop  Kyary Pamyu Pamyu, de 22 anos.