fev 262015
 

cup lamen_nissinVocê sabia que o lámen instantâneo foi inventado no Japão por Momofuku Ando, em 1958? Sua empresa, a Nissin, cresceu e chegou aos Estados Unidos em 1970, e chegou ao Brasil no início da década de 1980, como Cup Noodle Nissin, no copo de isopor. Não deu certo na primeira investida porque o produto não agradou ao paladar brasileiro, que já consumia o Miojo Lámen instantâneo em saquinho. Depois, a Nissin comprou a Miojo, e aí é outra história. Mas o lámen se propagou no mundo e hoje muitos acreditam que o lámen surgiu no Japão, o que não é verdade. O lámen instantâneo sim! Há até um museu do Cup Noodle em Yokohama!
Haverá uma inusitada palestra com o tema “Os bastidores da criação e desenvolvimento do macarrão instantâneo”, organizada pela Fundação Japão, em São Paulo. Quem ministra é um profundo conhecedor do assunto: Masaki Kato foi diretor do departamento de propriedade intelectual da Nissin Foods Co., no Japão e membro da Japan Food Industry Association – JFIA.
A palestra, aberta ao público, acontece em 5 de março, no auditório do Club Homs, na Avenida Paulista, com tradução consecutiva. No evento, o público terá a oportunidade de conhecer os bastidores do processo de inovação na indústria de alimentos idealizada por Momofuku Ando.
Além deste evento, Masaki Kato também participará de um evento fechado dirigido aos estudantes de Engenharia de Alimentos.
Palestra
Os bastidores da criação e do desenvolvimento do macarrão instantâneo
Com Masaki Kato (com tradução consecutiva)

Data: 5 de março de 2015 (quinta-feira) – Horário: 19h30

Local: Club Homs – Auditório – Endereço: Avenida Paulista, 735 – Bela Vista
Capacidade: 144 lugares

ENTRADA GRATUITA (vagas limitadas). As senhas serão distribuídas no local, 1 hora antes da palestra. Limitado a 2 senhas por pessoa, por ordem de chegada. Informações: Fundação Japão em São Paulo. Tel: (11) 3141-0110

Apoio: Consulado Geral do Japão em São Paulo, Nissin-Ajinomoto Alimentos Ltda., Instituto de Tecnologia Mauá

fev 252015
 

NampoKurachi0051Com muito pesar, comunicamos o falecimento de Sanshi Kurachi, conhecido também como Nampo Kurachi, nome que recebeu como mestre de shodô, a arte da caligrafia japonesa. O falecimento ocorreu na noite do dia 22 de fevereiro de 2015, em São Paulo, no Hospital de Sapopemba, onde ficou internado por 25 dias.

Um dos fundadores da Shodo Aikokai do Brasil, Nampo Kurachi rapidamente se destacou como um reconhecido calígrafo. Na primeira participação do grupo brasileiro no concurso da associação japonesa Hokushin, em 1981, Kurachi surpreendentemente viu seu trabalho ser publicado com destaque, obtendo o nível 10, que é o primeiro degrau por onde passam todos os artistas da caligrafia japonesa. Depois, galgando um a um todos os níveis, chegou ao nível 1, para finalmente, obter o 1º grau. Os graus são méritos concedidos apenas a aqueles que passaram por todos os níveis inferiores, e são em ordem crescente.

Nampo Kurachi chegou ao 5º grau nessa escala hierárquica, quando prestou exame e foi aprovado como professor (kyoushi), um dos poucos no Brasil.

O mestre Kurachi nasceu em 1921, e chegou ao Brasil em 1934, trabalhando primeiro no campo, e depois na tinturaria. Grande apreciador da música, dirigiu a Aozora, uma banda que animava bailes e festas nos anos 60 e 70. Os ensaios da banda aconteciam aos domingos na sala da residência dele, que ficava na Avenida Itaboraí, no Bosque da Saude. Foi também jurado de muitos concursos de música japonesa, ainda na fase anterior ao do karaokê, quando os concursos eram chamados de “nodojiman”.

Com sua calma oriental e budista (todos os anos, há décadas, ele reservou a manhã do primeiro dia do ano para ir ao seu templo NIshi Hongwanji, da Praça da Árvore, em São Paulo, e rezar pela paz no mundo), e sua grande vontade de cultivar a arte, Nampo Kurachi não aparentava a idade que tinha. Lecionou shodô na Aliança Cultural Brasil-Japão, na Associação da Província de Aichi, e na Escola Oshiman, todas em São Paulo. Ele continuou, até os últimos momentos, preocupado com as suas obrigações como professor da Aliança Cultural, onde ministrava aulas às quartas.

Bastante reconhecido no meio artístico, Nampo Kurachi apareceu com freqüência dando entrevistas para revistas e jornais, e também para programas de TV, como o Fantástico, da Globo.

A missa do Sétimo Dia de Sanshi Kurachi será realizada no templo budista Honpa Honganji do Brasil (Nishi Honganji), na rua Changuá, 108, perto do metrô Praça da Árvore, em São Paulo, no sábado, dia 28/02/2015, às 15 horas.

Mais sobre a história do Shodô e Shodô no Brasil: veja nosso link

fev 212015
 
Com objetos trazidos especialmente do Japão, o evento integra as comemorações dos ‘120 Anos de Amizade Japão-Brasil’
Cerâmica Yokkaichi Banko da província de Mie

Cerâmica Yokkaichi Banko da província de Mie

A Fundação Japão promove, de 21 de fevereiro a 22 de março, a exposição itinerante Artesanato do Japão – Tradições e Técnicas. Em cartaz na Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo, a exposição traz um recorte do artesanato do Japão, sob o olhar das tradições e técnicas adotadas por reconhecidos artesãos, compartilhando a habilidade e criatividade de seus trabalhos.

Segundo Kazuko Todate, curadora do Museu de Arte em Cerâmica de Ibaraki, no Japão, estarão expostos utensílios criados ao longo dos anos na vida cotidiana, em cerâmica, tingimento de tecidos, metais, marchetaria, laqueados, bambu e madeira, papel, entre outros, sempre trabalhados com técnicas adequadas, de acordo com a natureza de cada material, criando objetos práticos e com seu toque de beleza.

Técnica tradicional de papel

Técnica tradicional de papel

“Os materiais tradicionais e característicos de cada região foram transformados em utensílios práticos e artigos altamente criativos, com a esmerada técnica e talento dos artesãos, que desenvolveram a produção e a criação de obra de arte, contribuindo para aumentar o estrato do setor artístico e qualitativamente como um todo.”

As tradicionais artes que fazem parte da mostra incluem artesanato de técnicas tradicionais e materiais típicos de várias regiões do Japão, que pouco a pouco foram substituídas por modernas máquinas e produção em grande escala. A transição, explica a curadora, começou durante a era Meiji (1868 – 1912), quando o Japão ingressou na fase de industrialização.

Yosegi Zaiku, marchetaria tradicional de Hakone

Yosegi Zaiku, marchetaria tradicional de Hakone

Workshop de Marchetaria

Uma atividade paralela à exposição acontecerá nos dias 7, 14 e 21 de março, comandada por Danilo Blanco, artista visual e designer de superfície, que tem reconhecimento pelos trabalhos de marchetaria que vem desenvolvendo desde os anos 90. Nestes dias, o público está convidado a participar de workshops de marchetaria, que é a arte de combinar diferentes tipos de madeira. Os workshops acontecerão das 15h às 17h, no espaço anexo do 9º andar, com participação gratuita. São 14 vagas por turma. A distribuição de senhas para participação será feita no mesmo dia da atividade, a partir das 14h30, no 9º andar.

Exposição Artesanato do Japão – Horário de funcionamento: De 21 de fevereiro a 22 de março de 2015, de terça à domingo, das 13h30 às 17h30

Local: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo
Rua São Joaquim, 381 – 9º andar (próximo ao Metrô São Joaquim) Tel: (11) 3208-1755

Entrada gratuita –  Informações: Fundação Japão em São Paulo = Tel: (11) 3141-0110

fev 182015
 
Apresentação do Teatro Kagura, na Festa do Imigrante, no Memorial do Imigrante, no Brás, em São Paulo, 2010. Foto de Francisco Sato

Apresentação do Teatro Kagura, na Festa do Imigrante, no Memorial do Imigrante, no Brás, em São Paulo, 2010. Foto de Francisco Sato

Em 2015 celebramos os 120 anos do tratado oficial das relações diplomáticas entre o Japão e o Brasil. Para marcar este ano comemorativo o serviço em português da NHK WORLD RÁDIO JAPÃO está promovendo um concurso de fotografia com o tema 120 anos de amizade Japão-Brasil, experiências reunidas numa só história.
Convidamos a todos a compartilharem suas histórias. Os relatos e os episódios envolvendo as fotos serão transmitidos em nossa programação e outros meios de difusão. Através dessa iniciativa gostaríamos de reviver esses 120 anos vividos em conjunto, aprofundar ainda mais os laços de amizade e vislumbrar o horizonte que está por vir para japoneses e brasileiros.
Fotos antigas também são bem-vindas. Neste caso elas devem ser digitalizadas para o envio. Da mesma forma imagens antigas de vídeo também podem ser editadas e enviadas em forma de fotografia.
Participe enviando a foto que melhor retrata as suas lembranças e aspirações.
O prazo de participação será encerrado no dia 7 de abril.
Não deixe de participar pelo link: www3.nhk.or.jp

fev 182015
 

ebookjapan01

Um site japonês é a campeã em downloads de tankons (livros) de mangá. Fácil de navegar, os mangás são divididos por gêneros, autores ou revistas onde foram publicadas. Há trabalhos antigos como de Osamu Tezuka, mas o destaque são os últimos lançamentos.

O site existe desde 2000. Para ler mangás inteiros (há edições gratuitas disponibilizadas somente por uma semana), ou para ler algumas páginas de qualquer trabalho, é necessário baixar e instalar um software gratuito de leitura própria da empresa. E para isso, é necessário fazer um cadastro e criar uma senha, mas só uma vez. Para facilitar, já que todo o site está em idioma japonês, publicamos aqui o passo-a-passo da operação.

1 – Em primeiro lugar, entrar no site ebookjapan.jp – Depois, clique no botão 立読(tachiyomi), que significa “ler em pé”, de qualquer edição que você está vendo, conforme a imagem abaixo. Não se preocupe, você poderá ler qualquer outra edição depois, mas é preciso baixar o programa de leitura.

Clique na imagem para ampliar

Clique na imagem para ampliar

2 – Vai aparecer essa tela, onde você deverá escolher a opção assinalada na imagem, que é para fazer download do aplicativo:

ebookjapan02

3 – Faça o download, e instale o software. Se for ler seus mangás no próprio aparelho/computador online, não será preciso instalar o Framework da Microsoft. Pode aparecer um aviso dizendo para instalar o Framework, mas não precisa instalar.

4 – Agora, deverá fazer o registro como associado (grátis). Clique na opção, como mostra a imagem à esquerda. Preencha seu e-mail (imagem da direita). Você vai receber uma senha numérica nesse e-mail, para continuar o registro de associado:

ebookjapan00

Clique na imagem para ampliar

Clique na imagem para ampliar

Clique na imagem para ampliar

5 – De posse da senha numérica de 4 algarismos, vamos preencher o formulário de associado, ok? Faça como está na figura comprida ao lado.

Clique na imagem para ampliar

Clique na imagem para ampliar

6 – Pronto, você agora é associado do ebookjapan e poderá ler seus mangás. Faça login e boa leitura! Para fazer login, clique no botão azul (opção para ler no seu computador) conforme a figura abaixo. Se for ler depois, ou offline, deverá ter o Framework instalado. Nesse caso, clique no botão vermelho para fazer download da edição.

7 – Ebookjapan pode ser acessado no Windows, Mac, IPad, IPhone, IPod Touch e Android.

www.ebookjapan.jpでは、単行本の大部分の初めのページが読める(立読)し、「今週の無料の本」が実際ただで読めます。ただし、会員としてパスワードを作る必要があります(無料)。そして読むための無料ソフトをインストロールする必要があります。一回だけですので簡単です。

ebookjapan04

fev 162015
 

jica yokohama8392A bolsa recebeu o nome de Programa de Bolsas de Estudos para Formação de Geração Futura da Comunidade Nikkei. Trata-se de uma oportunidade oferecida pelo governo japonês para estudantes universitários nikkeis, de qualquer área, que pretendam atuar no desenvolvimento das comunidades nikkeis e no fortalecimento do intercâmbio entre o Brasil e o Japão.
O treinamento será realizado entre 1º e 26 de julho de 2015, no Japão, e as atividades programadas são: visita ao museu da migração de Yokohama, palestra sobre imigração, aulas sobre cultura japonesa, idioma japonês, formação da identidade nikkei e a sociedade japonesa. Haverá palestras e estágio dentro da sua área de estudo em universidade, além de intercâmbio com estudantes japoneses.
As inscrições vão até 10 de março de 2015. São 9 (nove) vagas para os candidatos do Brasil. Uma parte das aulas será realizada na JICA de Yokohama, que é um belo lugar (foto) e vale a pena conhecer.
Veja os detalhes no arquivo PDF: Jica Bolsa Universitarios 2015.

fev 092015
 

cafe paulista anuncioDepois de mais de 200 anos com os portos fechados, o Japão voltou a ter contato com o exterior em 1854. Estrangeiros começaram a visitar o país, e em 1888, a primeira cafeteria “Kahi Sakan” foi inaugurada em Tóquio, para atender aos estrangeiros. Em 1911, a Café Printemps foi inaugurada no bairro de Ginza, Tóquio, desta vez visando o público japonês. Os artistas plásticos que investiram na nova casa se inspiraram no modelo de cafés parisienses. No mesmo ano, Café Lion e Café Paulista surgiram no mesmo bairro. Ryo Mizuno, proprietário do Café Paulista tinha contatos no Brasil, a principal fornecedora do café, e um grande trunfo no negócio.

Anos antes, em 1908, Mizuno levara os primeiros imigrantes japoneses ao Brasil, a bordo do Kasato Maru. Os japoneses foram trabalhar nas fazendas de café do interior do Estado de São Paulo e ele conseguiu, do governo de São Paulo, a doação de carregamentos de café, a título de propaganda, para serem vendidos no Japão. Esse acordo, que pode ter durado uma década, possibilitou Mizuno de abastecer sua loja e o levou a abrir uma série de filiais em todo o país. Esse fato fez com que o Japão, país do chá, passasse a consumir o cafezinho em grande escala. O negócio começou a declinar com a piora da situação econômica japonesa, que se agravou após o grande terremoto de Kanto, que atingiu Tóquio e Yokohama, em 1923.

cafe paulistaO Café Paulista, entretanto, continuou nas mãos de outros empreendedores. A loja original de Ginza continua funcionando, sendo a cafeteria mais antiga do Japão, e conta-se que John Lennon e Yoko Ono apreciavam o café servido nessa loja. A empresa importa os grãos, processa e distribui para cafeterias e restaurantes as marcas Mori no Coffee (orgânico) e Serra Azul, ambas do Brasil, além de marcas de outros países.

Na sua melhor época, em 1982, o Japão tinha mais de 162 mil cafeterias. O número foi diminuindo com a chegada das máquinas automáticas que vendem café quente, e o trabalho agressivo das redes de cafeterias que passaram a disputar o cliente pelo preço. Uma dessas redes, por coincidência, tem muito a ver com o Brasil.

Hiromichi Toriba, de 20 anos, se aventurou a vir para o Brasil em 1959. Era o começo da retomada econômica do Japão e seus jovens ansiavam por um rápido sucesso, e para muitos, o Japão era pequeno demais para isso. Toriba deixou o porto de Yokohama a bordo do navio Argentina Maru, viajou durante 42 dias e desembarcou no Rio, para trabalhar no processamento do café por seis meses, e depois seguiu para São Paulo onde permaneceu por dois anos. Voltando ao Japão em 1962, abriu sua empresa de torrefação e moagem, e só em 1980, abriu sua própria loja, o Doutor Coffee, no bairro jovem de Harajuku, em Tóquio. O nome da empresa “Doutor”, que está estranhamente em português, veio do endereço onde ele morou em São Paulo: Rua Doutor Pinto Ferraz, número 85, no bairro da Vila Mariana.

cafe doutor coffee

Doutor Coffee, foto de Danny Cho

Hoje, a rede de Toriba possui 1421 lojas, sendo 1146 da marca Doutor Coffee, 144 da Excelsior e outras menores. Ela é a maior rede de cafeterias do Japão e possui duas fazendas próprias de café no Havaí. A gigante norte-americana Starbucks Coffee tem 1081 lojas espalhadas pelo Japão, seguida pela Komeda, com 611 lojas, Tully, com 573, Saint Marc com 366, Kohi-Kan com 261, Pronto com 190 e Café de Crié, com 186 lojas.

Nos anos 2000, uma nova onda de cafeterias: internet café, cosplay café, pet café e maid café se multiplicaram. Em 2014, a rede de lojas de conveniência (konbini) Seven Eleven passou a vender o café expresso por apenas 100 ienes (R$ 2,30 incluindo o imposto), e foi seguido pela Family Mart e Lawson, suas principais concorrentes, e assim, o concorrido mercado deverá passar por mudanças em breve.

O Brasil ainda é o maior exportador de café em grãos para o Japão, com 131 mil toneladas (em 2011), que é mais do que o dobro do volume da Colômbia, o segundo colocado. É também o maior exportador de café solúvel, com 4.317 toneladas (em 2011), volume quase sete vez superior ao da Indonésia, o segundo colocado.

Café em Kanazawa – Donald Keene, o maior estudioso da literatura japonesa no mundo, disse em sua palestra proferida em Kanazawa, em dezembro de 2014, que visitou a cidade pela primeira vez em 1954. Morando em Kyoto, pouco sabia sobre aquela cidade, quando resolveu refazer o caminho que fez o poeta Basho Matsuo no século 17, cujo longo percurso consta no livro “Oku no Hosomichi”. Estando na província de Miyagi, no outro lado do Japão, verificou o percurso que teria que fazer, quando o seu interlocutor o advertiu: “Saindo daqui, no seu longo percurso, você só vai encontrar um bom cafézinho em Kanazawa”. De fato, havia desde 1919 em Kanazawa, a cafeteria “Café Brasil”, no agitado bairro de Kohrinbo, que foi o ponto de encontro de intelectuais da região.

Quem quiser ler o livro “Oku no Hosomichi”, em espanhol, veja aqui em PDF: Sendas de Oku

Mais sobre Donald Keene, no nosso post anterior

fev 092015
 

A província de Mie possui o maior santuário xintoista do Japão, Ise Jingu, é terra dos ninjas da escola Iga, é terra, ou melhor, água das pérolas Mikimoto, possui o circuito de Suzuka da Fórmula 1, entre outras atrações turísticas. É também uma das províncias com grande população brasileira. Por isso, a NPO Aidensha, que oferece orientação e auxílio para os decasséguis brasileiros no Japão, preparou esse vídeo divertido de 3 minutos que tem uma música cujo ritmo lembra o Brasil.

Na primeira cena, ao centro, aparece o governador Eikei Suzuki, que é o governador mais jovem do Japão. Os outros dois estão vestidos de ninjas. A música é do grupo AKB48: 恋するフォーチュンクッキー(Koi suru fortune cookie).

 

fev 062015
 

10º NIKKEY MATSURI 2015 Dias 23 e 24 de maio de 2015, início às 10 horas, no Centro de Eventos Pro Magno, Av. Profa. Ida Kolb, 513, Casa Verde, Zona Norte. Em novo endereço. O ingresso é 1 kg de alimento não perecível. http://www.nikkeyweb.com.br/sites/nikkeymatsuri/

30ª AKIMATSURI DE MOGI DAS CRUZES 2015
Dias 11 e 12, e 18 e 19 de abril de 2015, no Centro Esportivo da Associação Cultural de Mogi das Cruzes – Bunkyo, Av. Japão, 5919 • Bairro Porteira Preta • Mogi das Cruzes. 100 estandes comerciais, 25 boxes de alimentação, exposição agrícola, 57 atrações e 6 mil vagas para estacionamento. Telefone 11 4791-2022 – Bunkyo Mogi das Cruzes. http://www.akimatsuri.com.br/a-festa

49º HANAMATSURI – FESTIVAL DAS FLORES 2015 DA LIBERDADE – Dias 6 a 11 de abril de 2015. A tradicional festa em homenagem ao nascimento de Buda (confirmada). Veja o que é Hanamatsuri.

6º JAPAN MATSURI DE OSASCO – Dias x e x de junho de 2015, na sede da ACENBO, Rua Acenbo, 100 – Bairro Umuarama – Osasco. Tel. 11 3684-0904. (data a confirmar)

50º GUEINOSAI – FESTIVAL DE MÚSICA E DANÇA FOLCLÓRICA JAPONESA 2015 – Dias 20 e 21 de junho de 2015, no grande auditório da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa – Bunkyo, na rua São Joaquim, 381. Informações: 11 3208-1755. A seletiva será dia 5 de abril de 2015, a partir das 12 horas.

19° FESTIVAL DAS CEREJEIRAS BUNKYOS – SAKURA MATSURI 2015
Dias x e x de junho de 2015, no Centro Esportivo Kokushikan Daigaku, em São Roque – SP
O tradicional evento japonês faz parte do Calendário Turístico de São Roque e é realizado numa área de 581.758m² onde estão plantados 400 pés de cerejeiras, em diferentes pontos, que na época de floração proporcionam um espetáculo de inesquecível beleza. (data a confirmar).

18º FESTIVAL DO JAPÃO 2015 – IMIGRANTES
Dias 24, 25 e 26 de julho de 2015, no Pavilhão de Exposições Imigrantes, com ônibus gratuito saindo do metrô Jabaquara, em São Paulo. O maior evento nikkei do Brasil. Veja o site do Festival do Japão.

29ª FESTA DA CEREJEIRA DE GARÇA 2015
Dias 3, 4 e 5 de julho de 2015, no Lago Artificial J. K. Williams. A maior festa da cidade de Garça, no interior de São Paulo, é a Festa da Cerejeira, aproveitando seu bosque de cerejeiras que florescem nessa época. Muitas atrações, shows e oficinas são programados para a festa, que atrai uma verdadeira multidão de cidades vizinhas. O evento conta com uma grande praça de alimentação e de comércio variado, incluindo artigos orientais.

37º FESTIVAL TANABATA MATSURI 2015 – Confirmado para os dias 4 e 5 de julho de 2015, na Praça da Liberdade, Ruas Galvão Bueno e Estudantes, no bairro da Liberdade, em São Paulo. (confirmado).

4º TO-SA MATSURI 2015 – Evento tradicional da província de Kochi, terra de famosos samurais. Dias 22 e 23 de agosto de 2015, no Parque da Água Branca, Zona Oeste, São Paulo. Veja a programação do ano passado.

NIPPONFEST e NIPPON POP 2015 – ARUJÁ – O evento tradicional é realizado em homenagem ao Dizô-Sama, imagem budista protetora das crianças e dos viajantes. A promoção é do Nippon Country Club e acontece no seu campo em Arujá. Dias 29 e 30 de agosto de 2015.

Obs. O site é atualizado à medida que as datas são confirmadas pelos organizadores. Se sua entidade tem evento para divulgar, por favor, nos envie um e-mail, que estaremos fazendo a divulgação de graça: diretoria@culturajaponesa.com.br

fev 052015
 

bolsa consulado professoresEssa bolsa é muito boa. Oferecida pelo Ministério da Educação do Japão (MEXT), oferece a oportunidade de realizar pesquisas relacionadas à educação escolar. O público alvo são professores, orientadores pedagógicos, assistentes educacionais e diretores do ensino infantil, fundamental ou médio.

O que é oferecido: Passagem aérea ida e volta, isenção da taxas da universidade, bolsa auxílio de 143 mil ienes.

Requisitos: Nacionalidade brasileira, idade até 34 anos (nascidos após 02/4/1980), nível universitário ou magistério, em exercício na profissão, e experiência mínima de 5 anos, fluência em japonês ou inglês. A duração da bolsa é de 1 ano e meio, e o embarque será em outubro de 2015.

Inscrições: Gratuitas e o prazo vai até 06 de março de 2015. Horário: 09:00 às 12:00 e 14:00 às 17:00 (De segunda a sexta-feira) Local: Consulado Geral do Japão – Av. Paulista, 854 -3º andar – SP (Departamento Cultural) – CEP 01310-913. Veja todos os detalhes no site do consulado.

Diversas universidades de várias províncias japonesas oferecem os cursos, e o candidato deverá escolher uma delas. Instituições conhecidas como Osaka University, Mie University e Kanazawa University estão entre as opções. Note que o valor do auxílio mensal é o mesmo, independente da cidade escolhida. O preço da hospedagem (seja hotel ou alojamento) varia bastante. Quem optar por Tóquio, certamente gastará boa parte da verba com moradia, enquanto quem fica em cidades menores poderá encontrar uma habitação melhor e mais em conta. As universidades também possuem alojamentos ou convênios, mas nunca é de graça. Mas, o mais importante é escolher bem o curso que deseja fazer.

Os cursos oferecidos são ligados ao ensino, à administração escolar, e também às matérias específicas do ensino, como literatura japonesa, história, filosofia, geometria, sociologia do esporte, educação musical e até artes marciais. Vale a pena verificar as opções existentes: http://www.studyjapan.go.jp/en/toj/pdf/2012/guide02.pdf