set 122014
 
Associação Represa Awaodori na Festa da Cerejeira de Garça

Associação Represa: Awaodori na Festa da Cerejeira de Garça

São oito horas de espetáculo, 650 dançarinos, 55 músicos e 33 grupos de dança representando 23 países. E além do espetáculo visual, artesanato e comida típica de cada país. Assim é o Festival de Danças Folclóricas Internacionais, que está no seu 43º ano consecutivo.

O Festival de Danças é um símbolo da paz, uma vez que descendentes de países em conflito participam conjuntamente apresentando sua arte e tradição, como é o caso da Rússia, da Ucrânia, da Síria, de Israel e dos Países Árabes. O Japão será representando este ano por dois grandes grupos. O grupo de Awaodori da Associação Represa, formado principalmente por jovens e coordenado pela professora Amélia Nagai. Awaodori é uma dança típica da província de Tokushima, requer muito treino e disposição física, e é muito diferente da dança tradicional. O festival de Awaodori é um dos mais importantes eventos culturais do Japão, podendo ser comparado com o Carnaval brasileiro. Outro grupo a abrilhantar o festival é o do taikô do Requios Gueinou Doukoukai, também conhecido como taikô de Okinawa, que se apresentou junto com outro grande grupo, o Ryukyu, no clássico do futebol entre Corinthians e Santos, em 2012.

O evento, promovido pelo Bunkyo, Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, acontece no dia 27 de setembro de 2014, sábado, a partir das 16 horas, e no dia 28, domingo, a partir das 15 horas. Os ingressos têm valores simbólicos e podem ser adquiridos antecipadamente ou na portaria.

Local: Bunkyo – Grande Auditório – Rua São Joaquim, 381, Bairro da Liberdade, São Paulo/SP.

Informações e ingressos: Tel. 11 3208-1755 – contato@bunkyo.org.br

set 122014
 
Foto de Tamaki Sono

Foto de Tamaki Sono

No dia 19 de setembro de 2014, sexta-feira, às 19h30, será aberta a exposição comemorativa da Associação de Ikebana Kado Ikenobo Tatibana da América Latina. A exposição continuará e poderá ser vista no dia 20/9, das 13 às 18 horas, e no dia 21/9, das 13 às 22 horas.

Haverá demonstração de ikebana no dia 20/9, no horário das 14 às 16 horas.

Local: Clube Monte Líbano. Av. República do Líbano, 2267, bairro do Ibirapuera, São Paulo/SP. Entrada franca.

set 112014
 
Foto de Tony Gladvin George

Foto de Tony Gladvin George

A Organization to Promote Japanese Restaurants Abroad (JRO) , com sede em Tóquio, estará promovendo no dia 19 de setembro de 2014, o primeiro Simpósio para pessoas que atuam na área de restaurantes ou apenas gostam de culinária japonesa e de produtos marinhos do Japão. O objetivo da entidade é ampliar o mercado de culinária japonesa e a cidade de São Paulo foi escolhida por ser um centro comercial que vem registrando expressivo crescimento no setor.

Programação: dia 19/9/2014 (sexta-feira)

Das 14 às 17 horas – Simpósio JRO. Diversos especialistas falam e debatem sobre: Culinária Japonesa e Produtos Marinhos Japoneses, incluindo o proprietário do Restaurante Miya, o diretor-executivo da Ajinomoto do Brasil, um professor da Universidade de Meiji e dois especialistas do governo japonês. Supõe-se que as palestras sejam em japonês com tradução consecutiva para português.

Das 17 às 18 horas – Grupos de Estudos e Sugestões de Menu (reunião com fabricantes de produtos marinhos e atacadistas).

A entrada é franca. Local: Blue Tree Premium Faria Lima – Av. Brigadeiro Faria Lima, 3989, Itaim Bibi • SP • São Paulo

Inscrições por e-mail até o dia 15/9. Corra!: rsvp.jro@quicklytravel.tur.br – Aina Kaneko – Tel. 11 2198-8588

set 112014
 

3Bon-Odori Sao CarlosA Associação Cultural e Esportiva Nipo Brasileira de São Carlos promove o seu 3º Bon Odori no sábado dia 20 de setembro de 2014.

O bon odori é uma dança popular típica japonesa, que literalmente significa “dança do finado”. Na origem sim, mas as músicas e danças incorporadas posteriormente falam de vários assuntos, como a colheita, a pescaria e a noite com lua. Tradicionalmente, no Japão o bon odori é mais visto em agosto, mês dos finados e também das férias escolares de verão. Assim, os principais “matsuris” acontecem nessa época do ano.

Na cidade de São Carlos, a capital da tecnologia do Estado de São Paulo, o bon odori é um pretexto, para a família inteira se divertir saboreando a culinária japonesa, brincando e também dançando (todo o público é chamado para participar).

Local: Instituto Cultural Ítalo Brasileiro – Rua General Osório, 1094 – Centro, São Carlos/SP.

Início às 18 horas e a entrada é franca!

set 112014
 
Bunkyo Rural turismo

Festa da Uva e do Caqui de Louveira. Foto da Secretaria da Agricultura e Abastecimento de São Paulo

Turismo Rural não é mais sinônimo de passeio exótico em localidades distantes. Cada vez mais, pequenos produtores agrícolas, principalmente os localizados perto de rodovias, estão abrindo suas portas para o turista. Alguns conseguem realizar grandes eventos, como a festa do Caqui, aproveitando a época da colheita, o que acabou se tornando num grande acontecimento municipal, enquanto outros simplesmente disponibilizam um serviço de atendimento, que vai de um simples passeio pelas plantações, até atividades na terra, produção de doces com almoço e hospedagem no local.

O turismo se tornou uma alternativa de renda para muitos pequenos agricultores. É sobre isso que irão falar o agrônomo Issao Ishimura, da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Estado de São Paulo, e a turismóloga Jamila Tanaka, Secretária Municipal de Cultura e Turismo do município de Ibiúna/SP. Ambos estarão participando do 5º Bunkyo Rural, que acontece na sede da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, no dia 13 de setembro de 2014 (Rua São Joaquim, 381, Liberdade, São Paulo), que tem como tema geral “Empreendedor Rural”. A taxa de inscrição é de apenas R$ 30,00 incluindo almoço e coffee break. Corra, que ainda dá tempo. Informações no site http://www.bunkyorural.com.br e tel. 11 3208-1755.

Obs. Foi confirmada a participação do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller no evento.

set 102014
 
Publicação de 2004 relembrando os 40 anos dos Jogos de Tóquio. Foto de James Wang

Publicação de 2004 relembrando os 40 anos dos Jogos de Tóquio. Foto de James Wang

Os Jogos Olímpicos de 1964 foram uma oportunidade para apresentar o novo Japão, destruído pela guerra e reconstruído com uma velocidade inimaginável. Não foram apenas os estádios que surgiram do nada, mas toda a infraestrutura do País pareceu perfeita para os visitantes. Várias rodovias foram inauguradas, duas novas linhas de metrô começaram a funcionar em Tóquio, o aeroporto de Haneda foi modernizado para receber os turistas, e o que chamou a atenção foi o trem-bala, o primeiro Shinkansen, que ligou as estações de Tóquio e Shin-Osaka, numa distância de 515 km, em apenas 4 horas de viagem incluindo duas paradas. Até hoje, esse é o trecho mais concorrido do mundo, onde circulam 13 trens por hora, cada qual com capacidade para 1323 passageiros. Os modernos trens N700 reduziram o tempo de viagem para 2 horas e 25 minutos, mas naquela época, aquele trem da linha Tokaido foi notícia no mundo inteiro, pela velocidade e pela pontualidade.

Além de construir a estrutura física, todos os japoneses estavam conscientes da sua responsabilidade para com o êxito daquele grande evento internacional. Aquele Japão tinha renascido e não guardavam mais rancores da ferida recente. Todos procuraram fazer o melhor de si, não só para dar a melhor atenção para os turistas, mas colaborando para manter a cidade completamente limpa. Assim, num esforço coletivo, o Rio Sumida que corta a cidade, antes bastante poluído, ficou limpo e passou a ser frequentado por pescadores amadores.

Dentro do trem-bala: melhor que avião. Foto de Wally Gobetz

Dentro do trem-bala: melhor que avião. Foto de Wally Gobetz

Dentro dos ginásios, os atletas japoneses vestiram a camisa do País de verdade e conseguiram superar muitos dos seus adversários e se tornaram lendas. De um 8º lugar nos Jogos de Roma em 1960, com oito medalhas de ouro, quatro anos depois, os japoneses subiram para o 3º lugar, com 16 medalhas de ouro, dentre 93 países, perdendo apenas para os Estados Unidos e a União Soviética. A organização foi milimétrica, desde a recepção no aeroporto, na entrada nos estádios, e no show de abertura. Não havia recursos eletrônicos, mas havia recursos humanos competentes, e o espetáculo foi transmitido via satélite para o mundo, sendo os primeiros jogos a serem transmitidos dessa forma.
No dia 10 de outubro de 2014 se completam 50 anos da abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Todos os estádios construídos continuam sendo usados até hoje e abrigam grandes shows e competições. O trem-bala, que chega alcançar 320 km/h, cresceu para 2.387 km de trilhos. O aeroporto de Haneda perdeu o título de internacional para Narita, mas continua recebendo os vôos nacionais. A cidade continua limpa e os pescadores ainda estão no Rio Sumida.

Reflexão se faz necessária: O Japão começou a construir a infraestrutura necessária para os jogos assim que venceu a competição entre os candidatos (Detroit, Viena e Bruxelas) em março de 1959. Tiveram cinco anos para isso. Tóquio se candidatou novamente, mas perdeu para o Rio de Janeiro a sede dos próximos Jogos, de 2016.
No Brasil, ninguém fala nos Jogos Olímpicos do Rio, que acontecerão daqui a 2 anos, mas no Japão, que sediará os jogos de 2020, não só estão falando, como também apresentam num site uma campanha para receber de braços abertos os visitantes, e mostram todo o planejamento da infraestrutura a ser construída para o evento ser inesquecível. Veja em Tokyo2020

Aqui, num curioso noticiário de junho de 1964, a Universal Pictures mostra os estádios de Tóquio em fase final de construção, no trecho entre 3:43 a 4:27.

set 052014
 

dora-yakiDorayaki é um doce feito por duas camadas da macia massa de bolo castela (influência portuguesa do século 16) com recheio de azuki, o feijão doce japonês. De origem incerta, é sabido que o dorayaki, no início, tinha apenas uma camada, tal qual uma panqueca e a massa era diferente. Alguns creditam sua origem a um episódio da história, onde o valente monge guerreiro Benkei (1155 ~1189) refugiou-se numa fazenda e ali esqueceu seu gongo (instrumento musical metálico de origem asiática). O fazendeiro resolveu empregar o gongo para fritar alguma coisa, dando origem ao que seria chamado mais tarde de dorayaki. 銅鑼 (dora) significa gongo.

Na região do Kansai (Osaka, Kyoto, Kobe e região), o dorayaki recebeu o nome de mikasa 三笠, uma referência ao Monte Mikasa, que fica em Nara, a antiga capital japonesa. Em Tóquio, a Usagi-ya (casa-coelho!) serve o dorayaki tal qual conhecemos hoje, desde 1927.USAGIYA

Nos dias 13 e 14 de setembro de 2014, a Associação Cultural e Esportiva Vila Carrão – ACREC, que fica na Rua Nunes Balboa, 299, realiza o seu 41º Bazar Beneficente a partir das 9 horas. Setenta bazaristas estarão oferecendo seus produtos, que variam de artesanatos, roupas e utilidades domésticas. Haverá também alimentos feitos pelo departamento de senhoras, cujo destaque é o dorayaki feito na hora. Maiores informações: 11-2296-3872.

A Rua Nunes Balboa começa e acaba na Av. Conselheiro Carrão, pois é uma rua semicircular.

set 022014
 

historia do Japao_ManchuriaO engenheiro mecânico e pesquisador de história Hidemitsu Miyamura vem ministrando palestras sobre a história do Japão. A próxima, que é a 13ª, abordará o período imediatamente anterior a Segunda Guerra Mundial, quando o Japão ocupou a Manchúria.
Dia 13/09/2014, sábado, das 16 às 18 horas

TEMA – MANCHÚRIA (2) – continuidade da palestra anterior, até os caminhos para a Guerra do Pacífico.
Coffee Break e Perguntas e Respostas no final.

    Local: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa – Rua São Joaquim, 381 – 5º andar, Bairro Liberdade, metrô São Joaquim, São Paulo/SP.

A palestra será em português, as perguntas poderão ser em japonês ou português, a entrada é gratuita e não precisa se inscrever antes.

“Trata-se de um dos temas mais interessantes da moderna história do Japão, que nossos pais, avós, parentes de ascendência japonesa viveram intensamente na primeira metade do século passado. É um assunto muito mal compreendido e com muitas versões e entendimentos segundo pontos de vista diferentes. Aqui vamos procurar abordar o assunto com base em dados mais recentes tornados públicos só agora, próximo dos 70 anos do término da Guerra do Pacífico”. Hidemitsu Miyamura.

A promoção é da associação Nippon Kaigi do Brasil, uma entidade formada por idealistas que querem estudar e divulgar o Japão (de verdade, sem qualquer vínculo religioso ou político)
set 022014
 

templo taikanji

A importância do refinamento da percepção postural para a meditação, com Dafnis Cakau de Proença e Monge Enjo Stahel. A programação tem início às 20 horas do dia 19 de setembro de 2014 e termina domingo, dia 21/9, às 15h30.

Fazem parte da programação: Ioga com base no método Iyengar, Mauna (jejum da fala), Meditação Zen, Caminhada na mata e alimentação vegetariana orgânica. Investimento: R$ 386,00 (pode ser pago em 2x), incluindo hospedagem e todas as refeições, desde o jantar na sexta até o almoço de domingo.

Local: Templo Zen Budista Taikanji, Estrada das Pintas, km 3,5, Pitangueiras do Meio, Pedra Bela/SP. Esta cidade fica próximo a Bragança Paulista, a 150 km da Capital. Maiores informações: http://templotaikanji.blogspot.com.br dafniscakau@gmail.com tel.11 2473-0912.

Coordenadas GPS:S: 22º48’197″ W: 46º22’433″Altitude: 1291 metros