maio 102017
 
Do dia 20 a 28 de maio de 2017, os apreciadores da cultura japonesa poderão experimentar uma movimentada imersão realizada em duas localidades: o Pavilhão Japonês, no Parque Ibirapuera, e o Bunkyo, no bairro Liberdade em São Paulo. Serão dois finais de semana se estendendo por uma semana contínua de atividades orientadas por praticantes e especialistas de diversas artes japonesas. No Bunka Matsuri – A Festa da Cultura Japonesa o público poderá conhecer e vivenciar, entre outras atividades, a cerimônia do chá, exposição de ikebana, praça de alimentação de comida típica, oficinas culturais com especialistas da arte japonesa, visitas ao Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, show de música e dança folclórica japonesa. 
Veja a programação variada para família e todas as idades!
DIA 20 DE MAIO – SÁBADO – No Pavilhão Japonês
10h às 17h – Aberto para visitação
10h e 14h – Oficina como Vestir Yukata – Sessão de Fotos
11h e 15h – Iki Iki Taissô (Ginástica)
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Bonsai
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Artes Plásticas
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Origami
 
DIA 21 DE MAIO – DOMINGO – No Pavilhão Japonês
10h às 17h – Aberto para visitação
11h e 15h – Iki Iki Taissô (Ginástica)
11h, 12h, 13h, 14h- Cerimônia do Chá
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Bonsai
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Artes Plásticas
10h30 e 13h30 – Oficina de Ikebana
 
DIA 22 DE MAIO – SEGUNDA – No Pavilhão Japonês
10h às 17h – Aberto para visitação
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Artes Plásticas
10h30, 13h00, 14h30 – Oficina de Ikebana
 
DIA 23 DE MAIO – TERÇA – No Pavilhão Japonês
10h às 17h – Aberto para visitação
10h30, 13h00, 14h30 – Oficina de Oshibana
10h30, 13h00, 14h30 – Oficina de Cerâmica
 
DIA 24 DE MAIO – QUARTA – No Pavilhão Japonês
10h às 17h – Aberto para visitação
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Bonsai
10h30, 13h00, 14h30 – Poesia, Haicai e Nome em japonês
 
DIA 24 DE MAIO -QUARTA – No Bunkyo Liberdade
19h30 – Desfile de Quimono e Jantar com o Chef Shin Koike (adesão)
 
DIA 25 DE MAIO – QUINTA – No Pavilhão Japonês
10h às 17h – Aberto para visitação
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Origami
10h30, 13h, 14h30 – Oficina de Kirigami
 
DIA 27 DE MAIO – SÁBADO – No Bunkyo Liberdade
Apresentações artísticas e culturais, exposições, gastronomia, visita ao Museu da Imigração Japonesa, bazar e oficinas (Origami em tecido, Furoshiki, Shodô, Mangá, Origami, Kirigami, Oshibana, Shogui, Go, Soroban, Etiqueta Japonesa, Caminho de Shikoku) e campeonato de Hashi.
 
PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL
10h – Abertura
10h05 – Rizumu Taissô ACAL (Ginástica)                                                      
10h25 – Mika Youtien Taikô                                                        
10h45 – Shizuoka Goju Kan – Karatê                                        
11h05 – Grupo Min – Shamissen                                             
11h20 – Heisei Yosakoi Soran (dança)                                                
11h45 – Cantora Harumi Miyamura                                                        
12h – Cerimônia de Abertura                                                   
13h – RKMD-Ryukyu Koku Matsuri Daikô                             
13h25 – Aikidô Maruyama                                                       
13h55 – Cantor Ricardo Nakase                                                      
14h15 – Hanayagi Ryu Ryutita Kai (Dança)                                             
14h30 – Kyowa e Kodaiko (TAIKO)                                              
14h50 – Hokkaido Yosakoi Soran (Dança)                                            
15h10 – Cantor Joe Hirata                                                                   
15h40 – Iwai Shunen Osaka Naniwa kai (Dança)                                     
15h50 – Teatro da Cerimônia do Chá               
16h15 – Kiendaiko                                                                     
16h40 – Shinsei ACAL Yosakoi Soran                                         
16h55 – Cantor Teddy Shigueyama                   
17h20 – Heisei Street Dance                                       
17h35 – Shinkyo Daiko                                                               
18h00 – Desfile Moderno de Quimono                                        
 
DIA 28 DE MAIO – DOMINGO – No Bunkyo Liberdade
Apresentações artísticas e culturais, exposições, gastronomia, visita ao Museu da Imigração Japonesa, bazar e oficinas (Origami em tecido, Furoshiki, Shodô, Mangá, Origami, Kirigami, Oshibana, Shogui, Go, Soroban, Etiqueta Japonesa, Caminho de Shikoku) e campeonato de Hashi.
 
PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL
10h30 – Cantora Tatiane Kakazu
10h40 – Ryufukikai (Dança)
10h55 – ACAL  Buyou-bu Ikeshiba (Dança)
11h10 – Cantoras Yuri e Yumi Kataoka
11h20 – Shan Shan Kassaodori (Dança)
11h35 – Kyo Fujima Ryu (Dança)
11h50 – RKMD-Ryukyu Koku Matsuri Daikô
12:05 – INTERVALO
13h30 – Requios Gueino Eisa Taikô
13h45 – Cantora Mariane Suzuke
13h55 – Akemi Matsuda e Kawaii Revolution Stars (Show)
14h25 – Hanayagui Ryu Kinryukai (Dança)
14h40 – Kenko Taissô (Ginástica)
14h55 – Cantora Elaine Hara
15h05 – Fujima Ryu Nihon Buyo (Dança)
15h20 – Cantor Sérgio Tanigawa

*Programação Sujeita a Alterações

Onde: Pavilhão Japonês(Parque Ibirapuera — portão 10) – Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº — São Paulo — SP – (em frente ALESP) * próximo ao Museu Afro e ao Planetário.
Bunkyo Liberdade: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa – (Bairro Liberdade) – Rua São Joaquim, 381 — São Paulo — SP – (próx. Metrô São Joaquim) 
abr 272015
 

Existem muitas marcas, muitos estilistas e fabricantes, e as revistas especializadas dizem saber quais serão as cores da próxima estação, como serão os cortes, os tecidos, e as tendências de um mercado de infinitas opções. Como isso acontece? Os consumidores escolhem ou os fabricantes impõem? Para falar sobre a Indústria da Moda em geral, e como isso funciona, a editora Yuko Suzuki dará uma palestra única em São Paulo, no dia 16 de maio de 2015, das 14 às 16 horas.

Industria da moda 16 de maio

yuko suzukiYuko Suzuki, com formação em publicidade e marketing, começou na Hoechst do Brasil, empresa alemã, produtora de filamentos. Fez parte da equipe de marketing da etiqueta TREVIRA. Dirigiu e coordenou o marketing da UNIT – União Nacional das Indústrias de Tecelagem de Moda, quando levou marcas brasileiras para o Japão, na feira WORLD TRADE FASHION FAIR em Osaka, a convite da JETRO. Idealizou e realizou, na UNIT, o desfile de novos talentos com os melhores alunos das faculdades Anhembi/Morumbi e Santa Marcelina, que tinha como objetivo mostrar ao mercado novos talentos criadores, o que resultou na contratação de uma delas pela grife FORUM.
Há 20 anos, é diretora proprietária da revista WORLD FASHION especializada na indústria da moda.

A quem se destina: Profissionais da indústrias da moda, comerciantes, empreendedores e estudantes.

Local: Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil
Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – 2º andar
Metrô Vila Mariana – S. Paulo
Taxa Única: R$ 15,00 – Inscrições pelo Sympla

jan 052015
 

A notícia é antiga, mas interessante. A Associação de Artes Tradicionais da Província de Ishikawa (Ishikawa Densankan), em conjunto com a TV Ishikawa, Innosense, Beniya e a Kanazawa University, promoveu um concurso para valorizar o uso do quimono entre as jovens. Com o nome de “Kaga Loli Design Contest”, o concurso reuniu 233 trabalhos de design de quimono no estilo Lolita.

No dia 2 de março de 2013, foi realizada a festa de entrega dos prêmios aos vencedores, com um desfile de quimonos Kaga Yuzen e um desfile da conhecida marca de moda lolita Baby The Stars Shine Bright. O evento aconteceu no Salão Shiinoki de Kanazawa. Os promotores confeccionaram os quimonos dos três modelos vencedores e mais o quimono da personagem You-chama, que simboliza o “Kaga Loli Project” e que aparece no vídeo promocional com a modelo Kobato, que é aluna da faculdade de moda de Kanazawa. Veja aqui.

Grande prêmio: Risako Higashiyama (Kaga & Rose & Girl), segundo lugar: Yurika Yoshida (Classical Lolita – Traditional Elegancy), e terceiro lugar: Aika Kaji (Classic Lolita estilo Kaga Yuzen).

kaga loli charactor_bg1A personagem-mascote criada para o evento não é fictícia. You Chama é uma homenagem à princesa You (溶姫), filha legítima do 11º xógun Ienari Tokugawa. Nascida em Edo (atual Tóquio), casou-se com Nariyasu Maeda, sucessor do rico feudo de Kaga (cuja capital era Kanazawa). O ano era 1827, e a princesa You tinha 14 anos de idade e o noivo16 anos. A cerimônia de casamento foi grandiosa com um desfile em homenagem à You em Tóquio. O portal Torii construído para a ocasião ainda existe e é conhecido como a entrada vermelha da famosa Universidade de Tokyo. You teve, no castelo de Kanazawa, quatro filhos homens sendo que o mais velho sucedeu ao trono do clã Maeda.

Quimonos no estilo Kaga Yuzen – Yuzensai Miyazaki era um consagrado artista de Kyoto especializado em tingimento e pintura em seda usada em quimonos. Em 1718, recebendo convite do senhor feudal de Kaga, mudou-se para a cidade de Kanazawa, onde se estabeleceu e preparou discípulos que mantém a tradição até hoje. Seus discípulos de Kyoto continuaram trabalhando com a mesma técnica, sendo conhecidos como artistas Kyo Yuzen. A técnica consiste basicamente em fazer todos os contornos dos desenhos com uma cola líquida à base de arroz sobre a seda pura (branca). Depois, os desenhos são pintados um a um. Por fim, toda a parte desenhada recebe uma camada de cola líquida que a protegerá da tinta que será passada em todo o tecido com uma escova (é possível misturar cores e fazer degradê nesse processo). Quem já viu a imagem de tecidos esticados no meio de um rio? Trata-se do processo tradicional de lavagem da seda, que eliminará a parte da cola.

jul 082014
 
Tanabata com quimono - foto Laika Ac

Tanabata com quimono – foto Laika Ac

A Associação Brasileira de J-Fashion promove um passeio de pessoas usando quimono (yukata, hakama e outros tipos) pelo bairro da Liberdade, em São Paulo.

A ideia é resgatar o costume de utilizar essa vestimenta nas ruas, principalmente em dias de eventos de cultura japonesa. O quimono existe há muito tempo, mas não deve ser objeto de decoração ou de uso ocasional em apresentações de odori (dança japonesa). Deve ser usado em várias ocasiões, como acontece no Japão. É o que dizem os representantes da J-Fashion.

Podem participar do encontro qualquer pessoa (homem, mulher, criança ou idoso) e não há nenhuma taxa e nem inscrição prévia. Pede-se apenas registrar interesse no facebook da J-Fashion, para os organizadores terem uma ideia do número de participantes.

Os interessados deverão comparecer na frente da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade, que fica na Avenida Liberdade, 365, ao lado do Sogo Plaza e da praça da Liberdade (metrô Liberdade), às 10 horas do dia 19 de julho de 2014 (sábado). O grupo dará um giro pela praça da Liberdade e rua Galvão Bueno. Será um simples passeio em grupo que deverá terminar até 12h30.

O 36º Tanabata Matsuri – Festival das Estrelas terá início às 14 horas, portanto, o encontro dos apreciadores de quimono terminará antes disso. A ideia é evitar o público aglomerado que impossibilita a circulação, pois nesse evento parte da praça da Liberdade é interditada para apresentação de danças típicas. A vantagem é que as ruas estarão desde cedo decoradas com os enfeites de tanabata nos bambus, e poderá render boas fotos. Quem quiser, é claro, poderá continuar na região depois das 14 horas para apreciar o festival.

Uma outra ideia da Associação Brasileira de J-Fashion é conseguir um bom desconto nos restaurantes japoneses para quem estiver trajando um quimono completo. Assim, o restaurante estará contribuindo para incentivar o uso do quimono e ao mesmo tempo estará se beneficiando da beleza típica dos quimonos em seu estabelecimento.

 

jun 022014
 

MODAJAPONESA08_6_2014 horiz fundjap

Conteúdo:
Um país pequeno de 127 milhões de habitantes, mas cujo mercado de moda moveu impressionantes 128 bilhões de Euros (ou US$ 172.800 bilhões, ou R$ 414.720 bilhões) em 2013 e que vem crescendo de forma estável, na casa de 2% ao ano. Estamos falando do Japão, onde modernidade e tradição coexistem, e para onde os caçadores de tendências vão se antenar com a vanguarda.
Muito do que o olhar ocidental traduz como mera extravagância ou esquisitice étnica tem na verdade fundamentos históricos e culturais – conhecimento sem o qual é difícil identificar os movimentos sólidos de moda e comportamento do Japão, e que também dificulta a penetração de produtos estrangeiros no variado e competitivo mercado nipônico. Conhecer as características da moda japonesa – gostos, estéticas e valores da sociedade – é fundamental para saber como encontrar um nicho num mercado extremamente variado e competitivo e o que produzir.

A palestra MODA JAPONESA é uma introdução aos 3 “mundos” diferentes que convivem em termos de conceito, estilo de vida e estética no país (wafuku, yõfuku e moda alternativa), ao dress code japonês, e sobre como designers e as ruas do Japão vêm influenciando a moda no Ocidente.

A quem se destina:
Profissionais da moda, estudantes de moda, design e artes em geral, e interessados em cultura pop japonesa.

Palestrante:
Formada em Direito pela Universidade de São Paulo, publica artigos sobre cultura popular e história japonesa em jornais e revistas desde 1993. Autora do livro “Japop – O Poder da Cultura Pop Japonesa” (2007), atualmente prepara um livro sobre moda japonesa. Ministrou palestras em eventos no Centro Cultural Itaú, Sesi, Sesc, Senac, USP, Fundação Japão, Embaixada e Consulado Geral do Japão, entre outros.

Maiores informações: abrademi@abrademi.com. Inscrições ANTECIPADAS pelo Sympla. VAGAS LIMITADAS

Introdução à Moda Japonesa. Não perca essa oportunidade! – Dia 8 de junho de 2014 (domingo) – das 14 às 17 horas. Esta palestra conta com o apoio oficial da Fundação Japão.
Taxa única: R$ 10,00
Local: Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – na saída do metrô Vila Mariana, São Paulo.

maio 112014
 

A inédita Oficina Prática de Como Fazer um Verdadeiro Yukata Japonês, realizada ontem, dia 10 de maio de 2014, na Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil, na Vila Mariana em São Paulo, alcançou sucesso total.

A Abrademi, a Associação J-Fashion e a Associação Mie agradecem à professora Ryuka Hanayagi e à sua equipe, que deram uma oficina bastante completa e monitoraram os participantes no trabalho de fazer um Yukata em tamanho real, com TNT. No final, os participantes puderam ver o “kitsuke”, a arte de vestir o quimono / yukata, com variados tipos de yukatas. Participaram 56 alunos previamente inscritos, que era a lotação total do espaço. Lamentamos que muitos não tenham conseguido uma vaga por termos atingido o total estabelecido. Para esses, solicitamos que enviem e-mail para: cursos@abrademi.com, para avisarmos quanto à próxima Oficina de Yukata.

Atividades relacionadas a J-Fashion poderão ser vistas na página da Associação Brasileira de J-Fashion no facebook.

As fotos são do fotógrafo Roberto Kakazu.

abr 192014
 

Atendendo a vários pedidos, a Abrademi vai repetir a palestra da Cristiane A. Sato realizada em março!

moda japonesa banner
Palestra: Introdução à Moda Japonesa. Não perca essa oportunidade! – Dia 8 de junho de 2014 (domingo) – das 14 às 17 horas
Taxa única: R$ 10,00
Local: Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – na saída do metrô Vila Mariana, São Paulo.

© Konomi (Seifuku)

© Konomi (Seifuku)

Conteúdo:
Um país pequeno de 127 milhões de habitantes, mas cujo mercado de moda moveu impressionantes 128 bilhões de Euros (ou US$ 172.800 bilhões, ou R$ 414.720 bilhões) em 2013 e que vem crescendo de forma estável, na casa de 2% ao ano. Estamos falando do Japão, onde modernidade e tradição coexistem, e para onde os caçadores de tendências vão se antenar com a vanguarda.
Muito do que o olhar ocidental traduz como mera extravagância ou esquisitice étnica tem na verdade fundamentos históricos e culturais – conhecimento sem o qual é difícil identificar os movimentos sólidos de moda e comportamento do Japão, e que também dificulta a penetração de produtos estrangeiros no variado e competitivo mercado nipônico. Conhecer as características da moda japonesa – gostos, estéticas e valores da sociedade – é fundamental para saber como encontrar um nicho num mercado extremamente variado e competitivo e o que produzir.
A palestra MODA JAPONESA é uma introdução aos 3 “mundos” diferentes que convivem em termos de conceito, estilo de vida e estética no país (wafuku, yõfuku e moda alternativa), ao dress code japonês, e sobre como designers e as ruas do Japão vêm influenciando a moda no Ocidente.

A quem se destina:
Profissionais da moda, estudantes de moda, design e artes em geral, e interessados em cultura pop japonesa.

Palestrante:
Formada em Direito pela Universidade de São Paulo, publica artigos sobre cultura popular e história japonesa em jornais e revistas desde 1993. Autora do livro “Japop – O Poder da Cultura Pop Japonesa” (2007), atualmente prepara um livro sobre moda japonesa. Ministrou palestras em eventos no Centro Cultural Itaú, Sesi, Sesc, Senac, USP, Fundação Japão, Embaixada e Consulado Geral do Japão, entre outros.
Maiores informações: www.abrademi.com. Inscrições ANTECIPADAS pelo Sympla. VAGAS LIMITADAS

abr 072014
 

Em 1919, Isaburo Namiki inaugurou uma loja de roupas femininas e infantis no bairro de Akasaka, em Tóquio. No mesmo ano, começou a ensinar corte e costura dessas roupas no local. Com a ajuda de Masajiro Endo, o estabelecimento se tornou uma escola de moda em 1922, e no ano seguinte, se tornou a primeira faculdade de moda do Japão. Ganhou o atual nome de Bunka Fashion College (Bunka Fukusou Gakuin) em 1936, e no mesmo ano passou a editar So-en, a primeira revista de moda do país.
Em 1955, a escola convidou o estilista francês Christian Dior e mais 11 pessoas, incluindo modelos, para fazer desfile na própria faculdade e em Nagoya, Quioto e Osaka. Em 1958 e 1961, foi a vez do estilista Pierre Cardin, que se tornou professor honorário da escola. O investimento deu resultado. Na década de 60, passaram pelos bancos da escola nomes como de Kenzo Takada e Yohji Yamamoto. Mais tarde, a escola recebeu outros alunos que conquistaram seus espaços, como Junko Koshino, Norio Suzuki, Mitsuhiro Matsuda, Akiko Kitahara, Isao Kaneko, Yutaka Hasegawa e Hiroko Koshino.

O Bunka Fashion College está classificado como a 3ª melhor escola de moda do mundo.
Saiba mais no site do Bunka Fashion College (em inglês). Veja os comentários de uma brasileira que estudou lá (em português)

Passeie pela escola em Shibuya, que tem um edifício de 20 andares, um museu da moda, uma loja que vende desde botões a máquinas de costura, e um auditório para desfiles de moda, numa visão de 360º
Um pouco do que é o ensino da moda no Japão pode ser visto no video da Kawaii International, programa da TV NHK.

mar 212014
 
Yukatas © Personal archive

Yukatas © Yukatayasan

YUKATA é um quimono de passeio em algodão, fechado por uma faixa especial de gorgurão chamada OBI, que é amarrada com nós decorativos nas costas.

Há poucas décadas toda dona de casa japonesa fazia Yukatas para sua família. Infelizmente esse conhecimento prático que havia no Brasil caiu no esquecimento; está quase perdido.
Por ironia, nos últimos anos o Yukata voltou à moda no Japão. Quimono versátil, que varia do tradicional ao fashion, o Yukata atraiu uma nova geração e através da Internet vem também conquistando jovens no exterior.
Para difundir e preservar o quimono no Brasil, a Associação Brasileira de J-Fashion, em parceria com a ABRADEMI – Assoc. Bras. de Desenhistas de Mangá e Ilustrações e a Associação da Província de Mie (Mie Kenjinkai) vai realizar o WORKSHOP inédito “COMO FAZER O VERDADEIRO YUKATA JAPONÊS” em São Paulo.

Antigamente o YUKATA era uma roupa simples para ser usada em casa e posteriormente tornou-se um traje de passeio, muito usado nos festivais de verão. Nos últimos anos o YUKATA ganhou sofisticação e tomou as ruas como um quimono fashion, caindo no gosto dos e das jovens no Japão. A popularidade do street fashion japonês na Internet vem difundindo o YUKATA pelo mundo.
O YUKATA NÃO é um robe ou saída de banho, que são muito pequenos e de caimento ruim devido ao uso de tecidos moles. Apesar de ser fácil no corte e na costura, existem “manhas” que dão ao YUKATA a amplitude e a forma elegante que se usa no Japão.
Os pequenos segredos de como se faz um legítimo YUKATA, antes restritos a poucas famílias japonesas, serão revelados no workshop COMO FAZER O VERDADEIRO YUKATA JAPONÊS. Serão abordados temas como dicas de modelagem e adaptação de medidas para os tecidos disponíveis no Brasil.

O WORKSHOP será composto por:
– Apresentação (Introdução e Estilismo de Yukatas) por Cristiane A. Sato, presidente da Associação Brasileira de J-Fashion
– Aula “Como Fazer o Verdadeiro Yukata Japonês”, ministrada por Ryuka Sensei,  formada pela Kyoto Kimono Gakuin College e professora de dança clássica japonesa pela tradicional Escola Hanayagi Ryu
– Demonstração prática: “Como Vestir Corretamente um Yukata” (Yukata no Kitsuke)

O workshop será dado em português e japonês, com tradução da profa. Rosa Sato.

Os participantes deverão levar o seguinte material para a Oficina de Yukata:

1) tesoura comum
2) agulha de costura
3) linha de costura comum – qualquer cor exceto branco (para alinhavo sobre tecido branco)
4) cola em bastão
5) fita métrica ou metro de costura
6) material de anotação.

Taxa única: R$ 35,00 – Data: 10/maio/2014 (sábado) – Horário: das 14 às 17 horas

Local: Associação Cultural Mie Kenjin – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 – Estação Vila Mariana do metrô, São Paulo/SP.

Inscrições antecipadas no próprio local com a Amélia, ou pelo Sympla:

Veja matéria completa sobre o Quimono

mar 202014
 

O uniforme escolar feminino japonês, conhecido como sailor fuku, foi derivado do uniforme da escola naval européia e está em uso desde o final do século 19. Os trabalhadores também usam seus uniformes e todos se sentem pertencer a um determinado grupo. O programa Begin Japanology produziu um belo documentário sobre o uso de uniformes no Japão. Esse programa pode ser visto semanalmente na TV NHK do mundo inteiro, mas no Brasil só passa de vez em quando.

Para quem lembra de 'Sound of Music' com a Julie Andrews. há a famosa cena com os uniformes das crianças

Para quem lembra de ‘Sound of Music’ com a Julie Andrews, há a famosa cena com os uniformes das crianças