ago 152017
 

A Associação Brasileira de Imigrantes Japoneses está promovendo o Hanami, arte de contemplar o sakurá, na Cidade Universitária da USP, no Butantã, em São Paulo. O evento acontece no dia 20 de agosto de 2017, entre 10 e 15 horas. A entrada é franca e lindas moças de quimono estarão recepcionando os visitantes.

Hanami é um termo que aparece no livro Genji Monogatari, escrito no Período Heian (794 a 1185), mas sabe-se que o ato de apreciar o florescer da cerejeira já acontecia no período anterior, e no começo, se apreciava a flor da ameixeira (umê, aquele da conserva salgada). Hoje, quando se fala em Hanami, se imagina imediatamente a contemplação da flor de cerejeira, e isso acontece em todo o Japão, durante os meses de março a maio, dependendo da variedade da planta (existem mais de 500 tipos) e do clima. É um espetáculo de muita beleza, mas de duração efêmera, pois cada uma só estará florida no máximo durante duas semanas por ano. E é por isso mesmo que precisa ser contemplada.

Isso está na essência da cultura japonesa. Compreender que tudo é passageiro e aquele rápido momento ofertado pelas flores não deve ser desperdiçado. Japoneses viajam pelo país para ver as floradas em sua terra natal ou de determinados locais históricos. É que essas plantas vivem bastante e existem pés com mais de 400 anos de idade, que foram no passado contemplados por ilustres samurais ou poetas e serviu de inspiração para eles.

O Hanami em si é um ato de contemplar, mas os japoneses costumam levar comida e fazer festa debaixo dos pés de sakurá. Reúnem famílias e amigos para comerem e beberem, e isso já acontecia nos tempos de Genji. No passado, artistas pintaram muitos ukiyo-ê e os poetas registraram sua beleza nos versos de Haikai. Hoje, fotógrafos fazem sua imagem durar por mais tempo e jovens fazem selfies no meio do Hanami, mas cada um busca a sua inspiração.

Ukiyo-ê de Utagawa Kunisada (1852)

  One Response to “Hanami, a contemplação do sakurá na USP”

  1. Nas culturas extremo-asiáticas, as flores de ameixeira e cerejeiram têm papel crucial, existindo um programa de televisão da NHK mostrando diariamente quando se dá a abertura das flores em princípios primaveris. É reconfortante saber que a tradição de hana-mi (observar as flores de sakura) começa a fazer parte do calendário paulistano, cidade de tantas culturas. Está na hora de começar a promover também o o-tsuki-mi (observação da lua)

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)