jul 252018
 

Foto: Fábio Maeda

O governo japonês oferece o programa de visita ao Japão para descendentes de japoneses com o objetivo de aumentar a compreensão sobre a atualidade do Japão e as políticas do país.  Os participantes do programa deverão se comprometer em divulgar eficazmente os aspectos da atualidade, assim como a política do país em suas respectivas comunidades e redes sociais após o retorno.

1.      Requisitos

  • Ser descendente de japoneses;
  • Forte vontade em divulgar ativa e continuamente o Japão após o retorno em blogs ou mídias sociais;
  • Ter nível de conhecimento de língua inglesa suficiente para discussões e trocas de ideias (todas as atividades oficiais relacionadas ao programa no Japão serão realizadas em inglês);  
  • Comprometer-se em organizar eventos de divulgação do programa e do Japão  dentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres.

2.      Detalhes do Programa

  • Período de estadia no Japão:  17 a 25 de setembro de 2018;
  • Número total de participantes: 15 pessoas da América Latina e do Caribe;

3.      Período de Inscrição

  • 25  a 31  de julho de 2018
  • Serão aceitas somente inscrições enviadas no período acima por e-mail ao Consulado Geral do Japão em São Paulo (cgjpolitica3@sp.mofa.go.jp). 
  • Serão aceitas somente as inscrições enviadas em formato Word ou PDF.

Informações completas estão no site do Consulado Geral do Japão em SP:

http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/itpr_pt/not_18_07_convite_descendentes2018.html

Acompanhe as atividades dos ex-participantes em  https://www.facebook.com/nikkeybr/

jul 252018
 

 Este ano, o mais tradicional Tanabata Matsuri do Brasil, da Praça da Liberdade, na sua 40ª edição, será realizado no final do mês, nos dias 28 e 29 de julho de 2018. 40º TANABATA MATSURI – Festival das Estrelas – Local: Praça da Liberdade-Rua Galvão Bueno-Rua dos Estudantes
Promoção: Associação Cultural e Assistencial da Liberdade – ACAL

P R O G R A M A Ç Ã O
28 DE JULHO DE 2018 – SÁBADO
10:30 – Ginástica Rádio Taisso – Liberdade
10:55 – Cantora Keiko Yoshimura – Atração Internacional
11:20 – Ginástica Rizumu Taisso/ACAL
11:25 – Dança Japonesa Hanayagui Kinryuu Kai
11:40 – Taikô Tenryuu Wadaiko São Miguel
12:00 – Re Suizu + Kick Buket
12:55 – Música Japonesa Sergio Tanigawa
13:40 – Taikô ACAL prof. Yuji Yamamoto
13:55 – Dança Japonesa Shan Shan Kasa Odori
14:25 – Ginástica Associação Kenko Taisso
14:50 – Dança do Grande Dragão – Jya Odori de Nagasaki
Cerimônia no Portal TORII da Rua Galvão Bueno
14:00 – Abertura Oficial no Torii
14:00 – Cerimônia Xintoísta – Nambei Jingu no Torii
14:35 – Parada Taikô ACAL, Tenryu Wadaiko
15:00 – Dança Awa Odori na Pista
15:25 – Taikô Ryukyukoku Matsuri Daiko na Pista
15:30 – Saudação das Autoridades no Palco
16:35 – Dança Buyo-Bu ACAL/Shinsei ACAL/Ikeshiba Ryokuen na Pista
16:50 – Dança Japonesa Shinsei/ACAL na Pista
17:05 – Dança Buyo-bu/ACAL/Shinsei ACAL Ikeshiba Ryokuen Pista
17:15 – Taikô Okinawa Ryukyukoku Matsuri Daiko Pista
17:50 – Ginastica Rizumu Taisso Itsuko Ichida Pista
18:05 – Cantor Diogo Miyahara (Anime Songs) Tokuhiro Cosplay
18:30 – Dança Corpus Line
19:00 – Encerramento do dia

29 DE JULHO DE 2018 – DOMINGO
10:30 – Ginástica Radio Taisso – Liberdade – Palco
10:55 – Cantor Takeshi Nishimura
11:30 – Dança Japonesa Buyo-Bu ACAL Ikeshiba Ryokuen
11:45 – Cantor Ricardo Nakase
12:25 – Taikô Tangue Setsuko Doujo
12:50 – Okinawa Kobudo Junbukai
13:10 – Artes Marciais Okinawa Shorin-Ryu Karate-Do
13:30 – Ginastica Rizumu Taisso ACAL
13:55 – Música Japonesa Karen Ito
14:40 – Requios Taikô e Dança de Okinawa
15:15 – Cantor Joe Hirata
16:00 – Taikô Kien Daiko
16:50 – Okinawa Goju-Ryu Karate-do Hozonkai
17:25 – Taikô Kôdaiko Roger Imamura
18:00 – Encerramento

Obs. Sujeito a alteração

jul 242018
 

Esse vídeo faz muito mais sucesso do que o vídeo oficial das Olimpíadas Tokyo 2020. Tokyo Bon 2020 (Makudonarudo) é uma mistura de ritmo e instrumentos tradicionais japoneses com o bom humor do estrangeiro, que ao pedir informações sobre restaurantes em Tóquio, se depara com palavras em inglês com pronúncia bem estranha: o “japanglish”. Quem já foi ao Japão sabe bem o que é isso. “Dizunilando” é Disneyland, “Kitto Katto” é Kit-Kat e “Makudonarudo” é Mc Donalds. Essas e muitas outras palavras formam a incrível letra de Tokyo Bon 2020 apresentadas pelo compositor e cantor Namewee, e a atriz e cantora japonesa Meu Ninomiya. A produção teve a participação do grupo Cool Japan TV. Em apenas dois dias, em novembro de 2017, esse vídeo atingiu a marca de 12 milhões de visualizações. Agora já ultrapassa 31 milhões, o que é um fenômeno mundial.

Namewee, nasceu na Malásia com o nome de Wee Meng Chee, de família originária do Sul da China, e se formou em Taiwan. Seu primeiro sucesso representou problemas para o artista. Em seu vídeo “I love country Negarakuku”, que seria um tema para apresentar Malásia para os turistas, ele abordou temas como a corrupção policial, serviços públicos ineficientes e políticas governamentais equivocadas, citando também as práticas muçulmanas (num país cuja maioria segue essa religião). Logo ele recebeu críticas, por falar mal do seu país e pela baixa qualidade do vídeo, feito com montagens de fotos e outros vídeos. Embora tenha tirado do ar e pedido desculpas em público, recebeu um processo do Ministério da Informação de seu país. Não foi preso por isso, por morar fora do país, mas as emissoras de rádio e tv locais pararam de exibir aquele trabalho. Por um outro trabalho crítico, chegou a ser preso na Malásia em 2016. Namewee compõe músicas  e produz filmes, atuando principalmente em Singapura, Taiwan e Coreia do Sul, tendo já conquistado vários prêmios na Ásia.

A atriz Meu (leia Me-u) Ninomiya (二宮芽生), apesar de jovem (nasceu em 1992) é uma artista experiente. Já protagonizou vários filmes, como “1000 years Princess”, com o qual venceu o prêmio de melhor atriz revelação no Festival de Cinema da Ásia, no ano passado, em Taiwan. Ela nasceu em Okinawa, no Japão, mas como seu pai é professor de artes, se mudou várias vezes, morou na infância na Alemanha e Austrália, e terminou seus estudos em Yokohama, e fala o alemão.

Tokyo Bon 2020 – Makudonarudo

Ohayo Tokyo Konichiwa
Sumimasen I’m foreigner
I don’t speak Japanese
But I love Aoi Sora
When you say Wakarimashita
I say Hitachi Toyota
Kawasaki Nintendo
Canon Sony Honda

I’m losing my way
Obasan where should I go?
Shinjuku so big
I need a Doraemon
You speak Japanglish
And show me body language
What can I do?
Where should I go? No nonono

Makudonarudo
(McDonald)
Guguru Toiletto
(Google toilet)
Kitto Katto
(Kit Kat)
Dizunilando
(Disneyland)
Takushi go Hoteru
(Taxi go Hotel)
Sebun Elebun Miruku
(7-11, Milk)
Basu Biru
(Bus, Beer)
Sutabakkusu
(Starbucks)

jul 172018
 

O sistema Marugoto é adotado no mundo inteiro para o ensino do idioma japonês pela Fundação Japão. Trata-se de um método prático, que utiliza diálogos básicos do dia-a-dia como exemplos. E o material didático é colorido e bastante divertido para se aprender (clique nas imagens abaixo para ampliar).

Antecipando as aulas do Marugoto, que se iniciam a partir de 1º de Agosto de 2018, a Fundação Japão está oferecendo uma miniaula gratuita para aqueles que não possuem conhecimento do idioma japonês. Para quem pretende um dia estudar esse idioma, vale a pena experimentar, porque é bem diferente do sistema tradicional.

Só no dia 25 de julho de 2018, quarta-feira, nos horários das 14, 15 e 16 horas. Inscreva-se já para não perder a oportunidade!

Envie e-mail com seu nome completo, telefone para contato, data de nascimento, e o horário disponível nesse dia. Inscrições só até dia 23/7. Envie e-mail para: info@fjsp.org.br

Local: Fundação Japão – Avenida Paulista, 52 – 3º andar. Ao lado da Japan House. Metrô Brigadeiro

jul 172018
 

A quinta aula (do total de 9) aborda o final Período Edo, de grandes transformações, quando o Japão teve que abrir os portos após mais de 200 anos de isolamento. As reações dos governantes e as providências para a nova realidade. As aulas são avulsas, portanto, não é necessário ter assistido as aulas anteriores.

Aula 5 – História do Japão. Dia 04/08/2018, sábado, das 9 às 12 horas.

As inscrições são realizadas por aula. Cada aula tem o valor de R$ 35,00 (mais a taxa do Sympla de R$ 3,50).

Não haverá reembolso por desistência. Mas se a desistência for comunicada até o dia 31/07/2018 pelo e-mail abrademi@abrademi.com, o valor pago poderá ser transferido para a aula seguinte (de 01/09/2018).  Quando não houver mais vaga, o interessado poderá enviar e-mail para ficar na lista de espera.

Local: Associação Cultural Mie, na Avenida Lins de Vasconcelos, 3352, Vila Mariana, na saída da Estação Vila Mariana do metrô. Há estacionamento pago no prédio.

Esse curso, com algumas diferenças na distribuição do conteúdo por aula, foi realizado em 2017 alcançando grande sucesso. Foi ministrado gratuitamente para mais de 200 alunos em cada uma das aulas, e os próprios alunos sugeriram que fosse realizado para um público menor, para que o aproveitamento fosse maior. Assim, o grande salão utilizado anteriormente foi substituído por uma sala menor, e os alunos disporão de mesa ou cadeira universitária para possibilitar as anotações. Por isso, as vagas são limitadas. A sala está equipada com ar condicionado, projetor e microfone. As aulas são avulsas, portanto, não é necessário ter assistido as anteriores para participar desta.

Os professores são:
– Cristiane A. Sato, formada em Direito pela USP, autora do livro JAPOP – O Poder da Cultura Pop Japonesa e presidente da Associação Brasileira de J-Fashion, palestrante em universidades, entidades, embaixada e consulado geral do Japão, foi bolsista da JICA em 2016, na Universidade de Kanazawa.
– Francisco Noriyuki Sato, formado em Jornalismo pela USP, autor dos livros História do Japão em Mangá, Banzai – História da Imigração Japonesa no Brasil, entre outros, e é presidente da Abrademi e editor do site culturajaponesa.com.br. Foi também bolsista da JICA, em 2014, e ministrou palestras em universidades e museus do Japão em 2016.

As datas das próximas aulas

apoio: Fundação Japão e Centro Brasileiro de Língua Japonesa

jul 132018
 

A Feira sobre Estudos no Japão 2018, faz parte do programa “Study in Japan”, e estará dentro do Festival do Japão, e este ano, o estande será bem grande.

Nos últimos anos, as universidades japonesas estão buscando alunos estrangeiros para estudarem nas suas escolas. A população japonesa vem diminuindo ano a ano e o país possui uma grande rede de universidades, públicas e particulares, e cada uma possui estrutura de qualidade na sua especialidade. Em universidades como a de Tsukuba, que é federal, 20% dos alunos já são de fora. Outras universidades seguem pelo mesmo caminho e algumas delas estão muito bem colocadas no ranking internacional de universidades. O fato de receber uma grande quantidade de alunos estrangeiros acaba melhorando a qualidade do ensino e proporciona um intercâmbio entre estudantes.

No estande “Study in Japan”, o estudante poderá esclarecer suas dúvidas sobre as bolsas de estudo oferecidas pelas organizações japonesas, além de conhecer os cursos e as universidades. Haverá farto material para orientar os interessados. Representantes de várias universidades japonesas estarão no estande para prestar informações.

Como é dentro do Festival do Japão, será necessário adquirir o ingresso do evento.

São Paulo Expo Exhibition & Convention Center – Rod. dos Imigrantes, km 15, São Paulo, SP. Dias 20 (12 às 18 horas), 21 (9 às 18 horas) e 22 (10 às 18 horas) de julho de 2018. Bilhetes na portaria ou antecipados com desconto.

jul 112018
 

Descubra os encantos de cada uma das 47 províncias  do País do Sol Nascente com a NHK WORLD-JAPAN

A NHK WORLD-JAPAN participa do Festival do Japão 2018, nos dias 20 a 22 de julho em São Paulo. O tema deste ano é o turismo e, com o apoio da KENREN (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), A NHK leva ao conhecimento do público uma mostra do que as 47 províncias do arquipélago japonês têm a oferecer em termos de encanto, atração e novas descobertas. Para ilustrar essas maravilhas regionais, 47 vídeos Top Picks do site Travel Japan (www.nhk.or.jp/nhkworld/en/travel/) do serviço internacional da NHK serão exibidos. O público poderá ver essas imagens e fazer um giro pelo Japão apreciando cenas que mostram desde o famoso Monte Fuji, cartão-postal do país, até as manifestações artístico-culturais de cada localidade, bem como os recantos naturais e sítios históricos espalhados por todo o arquipélago. Nos vídeos há ainda dicas úteis para quem está planejando uma viagem para esses destinos.

O estande da NHK será em parceira com o Grupo Bandeirantes de Comunicação, na Av. Japão, a principal do evento. O chamariz será um enorme painel em que estarão expostos pôsteres explicativos dos 47 vídeos. No interior do estande serão disponibilizados tablets para a exibição desses vídeos. Haverá Wi-Fi grátis e quem quiser poderá acessar as imagens com o seu próprio smartphone. Haverá ainda distribuição de brindes para aqueles que compartilharem o site Travel Japan no Facebook.

No espaço haverá também a divulgação da Rádio Japão (nhk.jp/portuguese), serviço em português da NHK WORLD-JAPAN. As principais manchetes do noticiário, com foco nos acontecimentos do Japão e da Ásia, estão sendo compartilhadas de segunda a sexta-feira no Twitter (@nhk_radiojapao). Quem for seguidor da Rádio Japão no Twitter poderá ganhar lindos cartões ilustrados que retratam paisagens nipônicas. A TV NHK convida a todos a visitarem o estande.

jul 112018
 

Um espaço temático foi montado na biblioteca da Fundação Japão com foco no Tanabata, e também serão apresentadas as principais princesas que representam as fábulas japonesas como: Orihime, Kaguyahime e Otohime.

Será uma oportunidade para os visitantes familiarizarem com o significado de um dos tradicionais eventos japoneses e algumas das fábulas que envolvem as princesas.

As narrativas populares antigas do Japão, conhecidas como mukashi banashi, e aqui designadas genericamente de fábulas, têm sua origem na tradição oral e eram transmitidas dentro do cotidiano popular, por isso não têm autoria e nem data definida. São muito difundidas em todo o Japão nas mais diferentes formas regionais. Elas são compostas por contos folclóricos, mitos, lendas, entre outros, que apresentam características estruturais tanto dos contos de fadas como das fábulas. Pode-se dizer que elas apresentam peculiaridades distintivas que enriquecem a nossa compreensão da cultura e da personalidade do povo japonês. Para Gary Snyder (2007), “todos os folclores do mundo possuem figuras femininas poderosas, mas o Japão talvez seja especialmente rico nesse assunto. Donzelas mágicas que são pássaros supersensíveis, velhinhas amáveis que são canibais, noivas que devoram tudo, bruxas das montanhas que admiram os dançarinos, e muito mais”.

Com o intuito de explorar um pouco mais o universo feminino dos mukashi banashi, a Biblioteca da Fundação Japão apresenta este espaço temático com foco, sobretudo, no Tanabata e também em três princesas que tão bem representam esse universo: Orihime, Kaguyahime e Otohime.

O que é o Festival Tanabata?

Conhecido também como Tanabata Matsuri ou Festival das Estrelas, é comemorado anualmente no sétimo dia do sétimo mês no Japão, único dia do ano em que, segundo o folclore chinês e mais tarde o japonês, as estrelas Vega e Altair, amantes separados pela fúria de uma divindade, podem se reencontrar. Quando a lenda foi introduzida no Japão, por volta do século VIII, Tanabata era celebrado apenas na corte imperial. Era considerado um evento gracioso, elegante e erudito, muito associado ao período Heian (794-1185). Nele, lanternas eram acesas e poemas eram escritos em folhas de kaji, uma variedade de amoreira conhecida no Brasil como amoreira de papel (kaji no ha, nome científico Broussonetia papyrifera).

Mais tarde, à medida que os costumes se espalharam para as comunidades locais, as cidades passaram a se cobrir de bambus e o festival assumiu mais dos valores inerentes à consciência e aos propósitos dos japoneses, agregando gradativamente tradições religiosas japonesas.

Tanto na China como no Japão, Tanabata era uma festividade que celebrava o grande esforço de Vega em se tornar uma hábil tecelã, ou seja, que celebrava o aprimoramento de suas habilidades técnicas, para que conseguisse enfim se reencontrar com Altair. Diz-se que no período Edo (1603-1868), talvez inspirados por esse espírito, crianças de pequenas escolas de templos religiosos passam a usar a festividade como oportunidade para demonstrar suas habilidades caligráficas. Elas passam a escrever orações em tiras estreitas de papel, os tanzaku com o intuito principalmente de aprimorar a caligrafia, e os penduravam em galhos de bambu. Acredita-se que esta prática deu origem as decorações e costumes de Tanabata tão familiares atualmente.

De 7 de julho (sábado) a 31 de agosto (sexta) de 2018

Horários: • Terça a sexta das 10h30 às 19h30 • Sábados, das 9h às 17h

Local: Biblioteca da Fundação Japão em São Paulo – Endereço: Avenida Paulista, 52 – 3º andar, São Paulo-SP, Brasil

Aproveitando: o Festival das Estrelas Tanabata Matsuri da Liberdade, em São Paulo, está marcado para dias 28 e 29 de julho de 2018.

jul 112018
 

Tezuma, a arte do ilusionismo tradicional japonês, é considerada patrimônio cultural intangível do Japão. A origem da arte data do início da era Edo (1603-1868) no Japão. O conceito de ilusionismo baseia-se na expressividade figurativa em cada movimento, denominada “Mitate”, que é executada com precisão e leveza pelo ilusionista. Desta forma, ele dá vida aos elementos cenográficos, proporcionando, através de sua narrativa, uma experiência única ao espectador. Por definição, Tezuma significa a arte de “manusear veloz como um raio”. O ideograma “Te”, significa mão, e “Zuma”, que provém de “Inazuma”, raio.

Taijyu Fujiyama

Taijyu Fujiyama é um dos discípulos de Shintaro Fujiyama, principal autoridade na arte do Tezuma atualmente no Japão. Conquistou o prêmio especial no FISM ASIA, organizado pela Fédération Internationale des Sociétés Magiques, realizado na Coreia, em 2014. Também é detentor da 5ª colocação no campeonato mundial FISM 2015, organizado pela mesma entidade. Desde então, tem difundindo a arte do Tezuma não somente no Japão, mas no mundo inteiro. Já esteve em mais de 10 países, como Bélgica, Inglaterra, México e Índia.

A realização é da Fundação Japão em São Paulo que traz, pela primeira vez ao Brasil, Taijyu Fujiyama, especialista em Tezuma.

A apresentação acontece em 19 de julho, a partir das 20h, no Teatro Dante Barone, no Centro Histórico de Porto Alegre. Aqui, o ingresso será gratuito, através da contribuição espontânea de 1kg de alimento não perecível. Essa apresentação conta com o apoio da Associação do Festival do Japão RS.

Data: 19 de julho de 2018 – Horário: 20h – Local: Teatro Dante Barone – Endereço: Praça Mal. Deodoro, 1101 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS – Mais informações: (51) 3210-2000 – Ingresso: Gratuito (contribuição espontânea de 1kg de alimento não perecível)

Depois de Porto Alegre, o artista segue para São Paulo, onde realizará apresentações nos dias 20, 21 e 22 de julho, durante o 21º Festival do Japão. Não perca!

21º FESTIVAL DO JAPÃO – 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil – Data: 20, 21 e 22 de julho de 2018
20/07 – sexta – 12 às 21 horas
21/07 – sábado – 09 às 21 horas
22/07 – domingo – 10 às 18 horas
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center – Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, São Paulo

Ingressos: R$ 22 (antecipado e online), R$ 28 (bilheteria no dia) e R$ 14 (meia-entrada, APENAS na bilheteria, mediante apresentação de documento de comprovação). Estacionamento no local (terceirizado) – R$ 45 por dia – Transporte gratuito do metrô Jabaquara, das 8 às 22 horas

*Ingressos antecipados à venda nos pontos de vendas oficiais (junho/2018) e pela Guichê Web
* Entrada gratuita para crianças até 08 anos, mulheres acima de 60 anos e homens acima de 65 anos
* Meia-entrada apenas mediante documento de comprovação