Cultura Japonesa

fev 092018
 

A Província de Wakayama permite aos jovens descendentes de imigrantes de Wakayama (aberto também para os descendentes de outras províncias) trabalharem em empresas daquela província. Para o jovem descendente é uma oportunidade para trabalhar em uma empresa japonesa e fazer sua carreira; para a empresa de Wakayama o objetivo é manter em seus quadros um jovem estrangeiro de alto nível. Não se trata de um emprego comum como decasségui.

  1. A quem se destina

Para essa atividade, espera-se que o descendente de japoneses preencha os requisitos abaixo. Mesmo que não seja descendente de Wakayama, desde que seja indicado pela Wakayama Kenjinkai do Brasil (endereço abaixo) ainda poderá ser aceito.

  • Pessoas que se graduaram em Faculdades com duração de 4 anos, ou pessoas que concluirão a sua graduação até a época da admissão. (É necessário que tenha a formação na área em que os empregos são oferecidos).
  • Ter habilidade para conversação em inglês com fluência.
  • Ter domínio da língua japonesa suficiente para uma conversação do dia-a-dia.
  1. Informações gerais sobre o trabalho.

(1) Local de trabalho – Empresas ou Instituições localizadas na província de Wakayama.

       (2) Informações de trabalho

O trabalho será de acordo com o campo de formação que o jovem descendente se graduou na faculdade de modo a aplicar os seus conhecimentos técnicos adquiridos.

(As qualificações enquanto sua permanência no Japão deve estar relacionada com as seguintes áreas: tecnologia, conhecimento na área humana, atividades de relações internacionais).

[exemplo] Programador, máquinas, projetos de circuitos elétricos, projeto de construções de edifícios, desenvolvimentos de produtos médicos-farmacêuticos, desenvolvimento de produtos eletrônicos, finanças, marketing, planejamento de produtos comerciais, comércio exterior, professor de língua estrangeira, tradutor/intérprete, advocatícia, administração financeira/contábil, etc.

(3)Considerações sobre o período de trabalho.

Considera-se basicamente o período de 5 anos de permanência no Japão prestando o trabalho qualificado e, de acordo com o entendimento recíproco entre o empregador e empregado poderá ser prolongado esse período.

  1. Aviso de pontos importantes e outros

①Domínio da língua japonesa.  Em caso de ser necessário o domínio da língua japonesa de alto nível, está sendo estudada a possibilidade de reforço do estudo da língua japonesa numa escola japonesa para estrangeiros em Wakayama concomitantemente com o trabalho de comum acordo com a empresa contratante que ajustará o período de trabalho assim como o salário.

②Mudança de trabalho, aposentadoria e outros. Baseado em relação de confiança mútua, tudo que foi tratado de comum acordo no início do contrato deverá ser cumprido até o final do período contratual.

  • Salário e Condições contratuais de trabalho

Será exatamente igual às condições de um funcionário japonês contratado para o mesmo serviço.

  1. Aviso de pontos importantes e outros

     (1) Modo de contratação

O jovem descendente deverá enviar as documentações abaixo discriminadas à Empresa que irá analisa-las para efeito de contratação através da Wakayama Kenjinkai do Brasil que fará a indicação.

① Curriculum Vitae [curriculum escolar(Faculdade・Modalidade・Especialização), Histórico de Trabalhos anteriores, qualificações adquiridas, etc.]

② Possuir grau de proficiência em língua japonesa e grau TOEFL em língua inglesa ou documentação que comprove seu conhecimento dessas línguas.

    (2) Após a escolha prévia – exame de documentos.

A Empresa, após receber o formulário de solicitação de emprego fará a seleção dos documentos.

 (3)Seleção segunda fase  Entrevista, Relato de experiência profissional, etc.

Concluída a primeira fase de seleção de jovens descendentes, seguirá a segunda e última fase de seleção através de entrevista e relato de suas experiências profissionais e outros após o que será decidida pela sua contratação ou não. Quanto a viagem do jovem até o Japão está sendo cogitado o pagamento pela empresa. A despesa de permanência no Japão, assim como demais despesas será por conta do jovem descendente.

Entre em contato com: Wakayama Kenjinkai do Brasil – Rua Tenente Otávio Gomes, 88, Aclimação, São Paulo – Tel/Fax: (11) 3209-6771
E-mail: wakayamakenbr@gmail.com

https://www.facebook.com/wakayamakenbr/

和歌山県では、本県県人会の子弟が、和歌山県内企業に就職する機会を得るための次のようなシステムを検討しています。このシステムは、県人会子弟にとっては日本企業で働くことによるキャリアアップを、県内企業にとっては海外からの優秀な人材の確保を目的とするものです。
つきましては、このシステムを実現させるにあたり、貴県人会等に和歌山県企業への就職を希望する子弟がいるかどうかをお聞かせ頂きたいと思いますので、ご協力よろしくお願いいたします。
現時点での案は、次の通りです。
1.対象者
この事業では、和歌山県人会の子弟のうち、次の条件を満たす方を対象として想定しています。なお、和歌山県以外の県人会子弟であっても、県人会からの推薦のある子弟は、対象とします。
(1)4年制の大学を卒業した人、もしくは就労までに卒業見込みの人
 (就労に関する科目を専攻していること)
(2)ネイティブレベル相当の英語能力を有する人
(3)日常会話程度の日本語能力を持つ人
2.就労の概要
 (1)就労先
和歌山県内企業、団体
 (2)就労内容
子弟が大学で専攻した専門分野に属する技術・知識を必要とする業種への就労となります。(在留資格「技術・人文知識・国際業務」に該当する業種)
 [例] プログラミング、機械・回路設計、建築設計、医薬品開発、電機製品開発、金融、
マーケティング、商品企画、貿易、語学教師、通訳・翻訳、法務、経理 etc.
 (3)雇用期間の目安
    在留資格に定める5年を原則とし、双方の合意により延長できることとします。
 (4)給与・就労条件
同職種の日本人社員と同条件での就労となります。
 (5)その他注意事項等
   ①日本語習得  就労にあたりさらに高度な日本語能力を必要とする場合は、企業との合意により勤務時間・給与を調整し、和歌山県内にある日本語クラスを履修することを考えています。
   ②転職・退職等 お互いの信頼関係に基づき、採用当初に決めた雇用期間内は勤務することを想定しています。
3.採用選考
 (1)応募方法
子弟は、企業の募集要項に基づき、和歌山県人会の推薦状を添えて、下記必要書類を企業へ提出して出願します。
①履歴書(学歴(大学・学部・専攻)、職歴、取得資格等)
②日本語能力試験やTOEFLのスコア等、語学力を証明する書類
 (2)一次選考 書類審査
    企業は、提出された出願書類により書類選考を行います。
 (3)二次選考 面接、実務体験等

一次選考を通過した子弟について、面接および当該企業での就労体験等により最終の採用可否を判断します。なお、子弟が来日の際に必要となる渡航費は、企業の負担を考えています。滞在費等、その他の費用は子弟負担を考えています。

fev 052018
 

Os jovens da Associação Kochi Ken e o grupo de dança Yosakoi promovem, no dia 18 de fevereiro, o 1º Kochi no Okyaku. Trata-se uma festa que apresenta a cultura japonesa, incluindo o workshop da dança Yosakoi, e a comida típica de Kochi, que é o “Katsuo no Tataki” (sashimi levemente grelhado e com molho especial). Para quem não quer “Katsuo”, há a opção de yakisoba.

Os convites antecipados podem ser adquiridos por R$ 25,00, e dão direito a 1 porção de “Katsuo no Tataki”, 1 tigela de arroz e missoshiru à vontade. São só 150 convites à venda. Adquira já o seu: kochiseinen.br@gmail.com

Endereço: Kochi Kenjinkai – Rua das Miranhas, 196, Pinheiros, São Paulo. 15 minutos do metrô Faria Lima. Essa rua é curtinha e fica atrás do Instituto Tomie Ohtake.

O grupo Yosakoi, de Kochi, sob orientação da professora japonesa Shizuka Kanno, ensaia às quintas-feiras a partir das 20 horas, no bairro da Liberdade. R. da Glória, 734. Quem estiver interessado em participar poderá pedir maiores informações para kochiseinen.br@gmail.com

 

jan 312018
 

“Bate-papo em Japonês” é uma atividade de conversação em japonês, ministrada pelos voluntários que falam a língua japonesa nativa, com o objetivo de apresentar a língua, a cultura, hábitos e costumes do Japão, além de estreitar laços de amizade entre voluntários e participantes.

Podem participar pessoas de qualquer idade e de diferentes níveis de conhecimento da língua japonesa. Na primeira parte da atividade há a apresentação da língua e cultura japonesa, com projeção, e tradução simultânea para português.  Na segunda parte, os participantes são divididos em pequenos grupos, de duas ou três pessoas, para praticar a conversação em japonês.  Na terceira e última parte, os participantes aprendem diversas brincadeiras antigas e modernas do Japão, aperfeiçoando a língua e cultura japonesa. Na aula do dia 28 de janeiro, os participantes aprenderam sobre a história do “Iroha Karuta”, jogo de baralho japonês que traz poemas curtos (tanka), e aprenderam a brincar com ele.

Data e Local da realização

Data da realização: Em princípio, todas as segundas-feiras das 10 horas às 12 horas. É grátis, mas é necessário fazer inscrição antecipadamente.

Local: Centro Brasileiro de Língua Japonesa
            R. Manoel de Paiva, 45 (Próximo do metrô Ana Rosa)

Faça a sua inscrição para o dia 05 de Fevereiro no link abaixo.

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdAUUqbuVu4DUxOTm1kHvl_f_6kSjH2usAR2DbO5GIs2XV-ZA/viewform

jan 292018
 
A cozinheira Marlene Fukushima realiza a 4ª edição da Oficina de Comida Caseira Japonesa com cardápio de verão, no dia 4 de fevereiro, das 8h às 14h. Os participantes vão aprender 6 receitas: hiyashi somen (macarrão somen frio), dois tipos de tempurá (berinjela e camarão), dois sabores de oniguiri (bolinho de arroz com nori recheado de ume e salmão), usuyaki (omelete japonesa picadinho), tsukemono de goya (conversa estilo Okinawa) e de sobremesa mizuyookan de matcha (gelatina de chá verde). 
Os japoneses preparam a comida conforme a estação do ano, pois trazem maior conforto ao corpo e os ingredientes são mais frescos e econômicos. No verão, privilegia-se os pratos mais refrescantes. No cardápio da Oficina, o prato principal será o hiyashi somen, que é servido gelado, e pode ser complementado com o tempurá e o usuyaki. “Embora seja uma fritura, o tempura é misturado ao molho gelado do somen, o que traz uma sensação refrescante”, afirma Marlene, que aprendeu a cozinhar com a  mãe, montou o próprio buffet especializado em comida caseira japonesa tem ensinado seus segredos e truques durante a oficina. 
O tsukemomo (conserva) de goya é um prato típico de Okinawa. Conhecido por suas propriedades benéficas, os estudos mais recentes apontam que ajuda a combater diabetes, câncer e é um dos fatores para a longevidade do povo de Okinawa. O tsukemono preparado na Oficina utiliza técnicas de preparo que amenizam o amargor do goya.
Todos são convidados para colocar a mão na massa para preparar os pratos. Mesmo quem não tem experiência pode participar. 
Ao final, é realizado um almoço de confraternização para degustar os pratos preparados durante a Oficina.
 
Cardápio de verão
• Hyashi somen (macarrão somen frio)
• 2 tipos de tempurá (berinjela e camarão)
• Oniguiri (ume e salmão salgado)
• Usuyaki (omelete japonesa picadinho)
•Tsukemono de goya (conversa estilo Okinawa)

• Sobremesa mizuyookan de matcha (gelatina de chá verde)
*cardápio sujeito a alterações

Serviço
4 de fevereiro, das 8h às 14h
Rua 1º de Janeiro, 53 – Vila Clementino (ao lado do metrô Santa Cruz)
Valor: R$ 290 (inclui apostila de receitas, ingredientes e almoço)
Informações: cursos@kaminaricomunicacao.com.br
Whats App: 97130-3335

dez 282017
 

O escritor Yusaku Furuya, de 40 anos, teve uma ideia estranha ao usar o tema “unko”, que significa literalmente “merda”, para uma coleção de cadernos de atividades para se aprender o kanji, ideograma japonês. A coleção tem 6 volumes, uma para cada ano do ensino fundamental. As crianças japonesas, ao longo dos seis anos do fundamental precisam aprender o total de 1006 kanjis, o que não é nada fácil.

Assim, Furuya criou um desenho simples de uma “bosta” com bigode, que seria o professor. Como as crianças nessa idade acham graça só de falar a palavra, Furuya caprichou na dose e escreveu a palavra 3.018 vezes dentro dos textos dos cadernos. O texto é bastante criativo, ao colocar sempre o excremento como um ser ou objeto. Por exemplo: a camiseta com a estampa do “unko” é sucesso de vendas. Fui ao museu ver o “unko” do elefante de Naumann.

Os cadernos foram lançados em março de 2017 e, no final do ano, a publicação havia alcançado 2,8 milhões de exemplares vendidos, o que representa 40% de todos os cadernos de atividades de kanji vendidos no Japão para o ensino fundamental. A editora Bunkyosha está contabilizando os lucros dessa ousada iniciativa. Isso prova que uma ideia inovadora, que conta com o respaldo de uma empresa que aposta na ousadia, pode-se tornar um grande sucesso comercial em pouquíssimo tempo.

dez 282017
 

Chega ao Brasil no dia 20 de janeiro de 2018 a missão do diretor de arte e artista plástico japonês Sebastian Masuda. Denominada Time after Time Capsule, a cápsula do tempo tem viajado pelo mundo desde 2014, com o objetivo de difundir a cultura japonesa, em especial a chamada cultura kawaii.

Trata-se de um movimento bastante popular no mundo inteiro, inclusive no Brasil, de compartilhar o amor por meio desta cultura pop, na qual cores, formas, objetos, figurinos e acessórios infantis resgatam a inocência, a pureza e a alegria de adeptos de todas as idades. Para Masuda, sua cápsula do tempo é um projeto participativo global, que convida as pessoas a compartilhar o amor em uma série de atividades, abertas a todas as pessoas, independentemente de sexo, idade, origem ou nacionalidade.

“Ao conhecer que uma parte das novas gerações no mundo cultuam a cultura de Harajuku fervorosamente, constatei que esse fato ultrapassa fronteiras de países, etnia e gênero, e que é um conceito indispensável para a atualidade”, revela Masuda, sobre sua motivação para o projeto.

A cada parada, são promovidos workshops e diversas atividades ao redor de um enorme personagem transparente elaborado especialmente para esta ocasião. Ao longo do dia, os participantes poderão participar de uma palestra ministrada por Sebastian Masuda, e depois terão à sua disposição papéis, canetas coloridas e diferentes materiais para produzir, em um workshop, cartas decoradas, que serão inseridas na escultura gigante. O conteúdo contido nas cartas será direcionado a seus próprios autores, que no futuro terão a oportunidade de rever suas mensagens.

Isso porque, após percorrer diversos países, a cápsula retorna ao Japão em 2020, permanecendo em Tóquio durante a realização dos Jogos Olímpicos. A partir de 2035, as cápsulas iniciarão uma viagem de retorno, para reencontrar, em cada país onde havia estado, os participantes de cada um dos eventos e devolver-lhes suas cartas, para que possam relembrar as mensagem ali deixadas.

Até 2020, terão recebido as cápsulas do tempo de Sebastian Masuda, além do Brasil, as cidades norte-americanas de Miami, Nova Iorque, Seattle, Washington DC, São Francisco, Los Angeles e Alasca, e também Paris, Londres, Cingapura, África do Sul (Cidade do Cabo), Angola e Bolívia.

A cultura Kawaii no Brasil 


Uma de suas mais recentes passagens com a cápsula do tempo, Sebastian Masuda esteve na África, em Angola. A passagem surpreendeu o artista pela quantidade de informações que os residentes locais tinham sobre o Japão e a cultura pop, por meio do acesso à internet, principalmente através de sites brasileiros.

Esta popularidade no Brasil também pode ser percebida por Masuda pelas visitas de brasileiros à sua loja, 6%DOKIDOKI, em Harajuku, bem como pelas mensagens que recebe no Facebook.

“Há algum tempo sabia que a cultura Kawaii é popular na América do Sul, no entanto ainda não havia tido oportunidade de visitar esses países. Agora, com a minha nomeação como Embaixador da Cultura, visitarei o Brasil para verificar a comentada popularidade com meus próprios olhos.”

Esta será a sua primeira vinda ao país, e sua expectativa com a realização da palestra e do projeto de arte é que os brasileiros tenham a oportunidade de se aproximar do Japão, mais e mais.

Sebastian Masuda


O diretor de arte e artista plástico Sebastian Masuda nasceu em 1970, na província de Chiba, no Japão. Após atuar no universo do teatro e da arte contemporânea, inaugurou em 1995, em Harajuku, a “6%DOKIDOKI”, uma loja de temática Kawaii.

Em 2009, iniciou a turnê internacional “Harajuku Kawaii Experience”, para divulgar a cultura de Harajuku ao mundo. Recebeu destaque mundial ao produzir o videoclipe “PONPONPON”, para o lançamento do single de estreia da Kyary Pamyu Pamyu, ícone do pop japonês.

Atua ativamente na promoção da cultura kawaii de Harajuku como artista e diretor de arte. Também criou um restaurante-conceito, o “KAWAII MONSTER CAFÉ”.

Sua primeira exposição individual, “Colorful Rebellon – Seventh Nightmare”, foi realizada em Nova Iorque, em 2014. Em 2015, recebeu o Prêmio New Wave, no Yubari International Fantastic Film Festival.

Em maio último foi nomeado Embaixador da Cultura pela Agência de Assuntos Culturais do Governo do Japão. Atualmente também atua como professor visitante nas Universidades de Arte e Design de Quioto e de Yokohama.

Mais informações sobre o artista podem ser encontradas em seu site oficial: http://m-sebas.com ou em sua página no Facebook: https://www.facebook.com/sebastian.m.art/

Serviço: Data: 20 de janeiro de 2018 (sábado)

Horário:
• Palestra: das 11h às 13h (em japonês, com tradução consecutiva)
• Workshop: das 15h às 18h

(A palestra tem vagas limitadas. As senhas para participação serão distribuídas uma hora antes, no local)

Local: Japan House São Paulo – Av. Paulista, 52, São Paulo

nov 302017
 

Estamos realizado um curso completo de História do Japão, com aulas uma vez por mês, aos domingos, em São Paulo. A iniciativa é da Abrademi em conjunto com a Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil e começou em março devendo findar em dezembro. As aulas são avulsas, portanto, não é necessário ter participado das aulas anteriores para assistir esta aula.

O objetivo é facilitar a compreensão da cultura japonesa através de explicações sobre o passado do Japão. O público alvo são as pessoas que apreciam ou têm curiosidade sobre o Japão, e aqueles que pretendem visitar o país no futuro, seja como turista, a negócios ou como estudante, para que tenham maior proveito da oportunidade à partir do conhecimento de sua história. Não é necessário ter participado da aula anterior para participar. No final de cada aula haverá um tempo para perguntas dos participantes.

O curso é gratuito e realizado na Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil, na Av. Lins de Vasconcelos, 3352, Vila Mariana (na saída da Estação Vila Mariana), São Paulo.

A próxima e última aula será:
Dia 10/12/2017 – História do Japão 9 – Período Pós-Guerra até hoje
Horário: das 9 às 12 horas. Logo após o final da aula serão entregues os certificados de participação àqueles que participaram de pelo menos 7 das 9 aulas ministradas e haverá uma apresentação da dança yosakoi soran do grupo Isshin de Hokkaido (que é onde foi criada essa dança).
Reserve sua vaga (grátis) no Sympla. As inscrições são realizadas por aula. Essa inscrição refere-se somente à aula do dia 10/12/2017, domingo. Obs.: Caso não consiga se inscrever, é possível que todas as vagas estejam preenchidas. Nesse caso, envie e-mail para abrademi@abrademi.com, que avisaremos se houver desistência.

Os professores são:
Cristiane A. Sato, formada em Direito pela USP, autora do livro JAPOP – O Poder da Cultura Pop Japonesa e presidente da Associação Brasileira de J-Fashion, palestrante em universidades, entidades, embaixada e consulado geral do Japão, foi bolsista da JICA em 2016, na Universidade de Kanazawa.
Francisco Noriyuki Sato, formado em Jornalismo e em Publicidade pela USP, autor dos livros História do Japão em Mangá, Banzai – História da Imigração Japonesa no Brasil, entre outros, é presidente da Abrademi, diretor cultural da Associação Cultural Mie e editor dos sites culturajaponesa.com.br, imigracaojaponesa.com.br e kanazawa.net.br. Foi também bolsista da JICA, em 2014, e ministrou palestras em universidades e museus do Japão em 2016.
Apoio: Fundação Japão, CBLJ Centro Brasileiro de Língua Japonesa – Café Mitsuo Nakao, Loja Enman, Castella e Rancho da Traíra

nov 212017
 

A Bolsa MEXT – Língua e Cultura Japonesa para Descendentes de Japoneses 2018 será aberta pela primeira vez ao público geral* no próximo ano, e por este motivo, será realizada uma palestra explicativa no dia 4 de dezembro às 14h00, na Casa de Cultura Japonesa da Universidade de São Paulo (Campus Butantã). *Antes, essa bolsa era destinada apenas aos estudantes do curso de letras (japonês).

A palestra será realizada em português e japonês, e  o tempo de duração é das 14h00 às 15h30.

Requisitos para concorrer:

A. Nacionalidade brasileira e ser descendente de japonês (excluem-se candidatos com dupla nacionalidade japonesa) e estar residindo no Brasil na época do processo seletivo

B. Idade entre 18 e 29 anos em 01/04/2018 (nascidos entre 02/04/88 e 01/04/00)

C. Estudante universitário matriculado em um curso de Graduação (de qualquer área). Os já formados não podem se candidatar a essa bolsa.

D. Bom conhecimento da Língua Japonesa (o suficiente para acompanhar os cursos ministrados em língua japonesa, desejável nível 2 do noryoku shiken) e estudado por um ano, ininterrupto, ou mais a língua japonesa (na Universidade ou fora)

E. Disponibilidade de embarque entre Setembro e Outubro de 2018

F. Boa saúde física e mental

G. Excluem-se candidatos que receberão bolsas de estudos de outras instituições durante o período de recebimento da bolsa MEXT

H. Excluem-se militares da ativa

*Candidato deve ser residente e domiciliado na jurisdição do Consulado Geral do Japão em SP (SP, MT, MS e Região do Triângulo Mineiro); demais candidatos, consultar: http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/pt/sobre/outro.htm

Período de duração da bolsa: setembro de 2018 a setembro de 2019

nov 112017
 

Estamos realizado um curso completo de História do Japão, com aulas uma vez por mês, aos domingos, em São Paulo. A iniciativa é da Abrademi em conjunto com a Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil e começou em março devendo findar em dezembro. As aulas são avulsas, portanto, não é necessário ter participado das aulas anteriores para assistir esta aula.

O objetivo é facilitar a compreensão da cultura japonesa através de explicações sobre o passado do Japão. O público alvo são as pessoas que apreciam ou têm curiosidade sobre o Japão, e aqueles que pretendem visitar o país no futuro, seja como turista, a negócios ou como estudante, para que tenham maior proveito da oportunidade à partir do conhecimento de sua história. Não é necessário ter participado da aula anterior para participar. No final de cada aula haverá um tempo para perguntas dos participantes.

O curso é gratuito e realizado na Associação Cultural Mie Kenjin do Brasil, na Av. Lins de Vasconcelos, 3352, Vila Mariana (na saída da Estação Vila Mariana), São Paulo.

As próximas aulas são as seguintes:
Dia 26/11/2017 – História do Japão 8 – Período Showa até a Segunda Guerra
Nesta aula, contaremos com a participação dos srs. Takashi Morita e Kunihiko Bonkohara, ambos sobreviventes da bomba atômica em Hiroshima, dando seus testemunhos. O sr. Morita tinha 21 anos e servia como cabo da Polícia Militar do Exército no local e o sr. Kunihiko tinha 5 anos de idade e perdeu a mãe e irmã.
Dia 10/12/2017 – História do Japão 9 – Período Pós-Guerra até hoje
Horário: sempre das 9 às 12 horas.
Reserve sua vaga (grátis) no Sympla. As inscrições são realizadas por aula. Essa inscrição refere-se somente à aula do dia 26/11/2017, domingo. Obs.: Caso não consiga se inscrever, é possível que todas as vagas estejam preenchidas. Nesse caso, envie e-mail para abrademi@abrademi.com, que avisaremos se houver desistência.

Os professores são:
Cristiane A. Sato, formada em Direito pela USP, autora do livro JAPOP – O Poder da Cultura Pop Japonesa e presidente da Associação Brasileira de J-Fashion, palestrante em universidades, entidades, embaixada e consulado geral do Japão, foi bolsista da JICA em 2016, na Universidade de Kanazawa.
Francisco Noriyuki Sato, formado em Jornalismo e em Publicidade pela USP, autor dos livros História do Japão em Mangá, Banzai – História da Imigração Japonesa no Brasil, entre outros, é presidente da Abrademi, diretor cultural da Associação Cultural Mie e editor dos sites culturajaponesa.com.br, imigracaojaponesa.com.br e kanazawa.net.br. Foi também bolsista da JICA, em 2014, e ministrou palestras em universidades e museus do Japão em 2016.
Apoio: Fundação Japão, CBLJ Centro Brasileiro de Língua Japonesa – Café Mitsuo Nakao, Loja Enman, Castella e Rancho da Traíra

out 182017
 

Nos dias 16, 17 e 18 de novembro de 2017, será realizada uma apresentação de diversas universidades japonesas para estudantes brasileiros interessados em estudar no Japão.

Além da Universidade de Tsukuba, que já possui convênio e um escritório de representação dentro da USP, virão representantes da Universidade de Osaka, do Instituto de Tecnologia de Shibaura, do Ministério da Educação (bolsa MEXT), Organização de Suporte a Estudantes no Japão (Jasso) e do Consulado Geral do Japão em São Paulo. Haverá distribuição de materiais de outras universidades que recebem alunos do Brasil, como a Universidade de Tokyo e a Universidade de Kyoto. A entrada é franca e podem participar os próprios estudantes interessados, pais e professores.