maio 012015
 

grupo em yokohama 800São várias bolsas oferecidas pelo governo japonês através da JICA. O objetivo é proporcionar um treinamento técnico para os descendentes de japoneses da América Latina, para formar profissionais capazes de liderar a comunidade de seus respectivos países. O público-alvo são nikkeis que desejam adquirir habilidades técnicas específicas ou conhecimentos necessários ao desenvolvimento profissional e cultural.

As inscrições vão até o dia 15 de maio de 2015.  As entrevistas dos candidatos inscritos serão realizadas entre os dias 1 a 3 de junho de 2015, na sede da JICA em São Paulo.
Há desde estágios de curta duração (menos de um mês), outros médios (3 meses), e os mais longos (1 ano), parte dos cursos são individuais e outros são em grupos, mas todos os participantes permanecerão alguns dias na JICA Yokohama (foto da turma do 2ºsem 2014), onde terão aulas sobre cultura, etiqueta, história, educação e normas gerais para se adaptar no Japão.

As opções abrangem várias áreas, como odontologia, medicina, saúde, conservação do solo, agronegócio, contabilidade, direito empresarial, educação ambiental, terapia ocupacional, prevenção de desastres, educação infantil, atendimento ao idoso, administração de PME, língua japonesa, método Kaizen e gerenciamento de entidades nikkeis. Veja todas as opções e os requisitos de cada um em listagem JICA 2 sem 2015.

Mais informações no site: http://www.jica.go.jp/brazil/portuguese/office/activities/nikkeis01_01_01.html Ou fale com Vinicius ou Margarida, através do telefone: (011) 3251-2655 ou pelo email: brsp_oso_rep@jica.go.jp

No dia 6 de maio de 2015, às 19 horas, haverá uma palestra explicativa na Aliança Cultural Brasil-Japão da Rua São Joaquim, 381 – 6º andar, em São Paulo. Metrô Estação São Joaquim. Há estacionamento pago, entrando pela rua Galvão Bueno.

Você pode se inscrever direto, sem assistir a palestra, mas nessa oportunidade é possível conversar com quem já passou pela mesma bolsa e assim tirar dúvidas.

mar 162015
 
grupo em yokohama 800

Bolsistas do 2º semestre de 2014 na JICA de Yokohama

A JICA promoverá, no dia 21 de março de 2015, sábado, a partir das 13h30, o 8º Encontro de Bolsistas Nikkeis da JICA com orientação para os futuros bolsistas e para aqueles que pretendem se candidatar a uma bolsa. Boa parte das bolsas concedidas pela JICA é para os interessados em geral, porém,  essas bolsas para nikkeis são destinadas aos descendentes de japoneses. O evento é gratuito e será composto de palestras dos ex-bolsistas sobre suas experiências no Japão.
13h30 – cadastramento
14h00 – abertura com diretor adjunto Hiroaki Endo
14h15 – vice-presidente da ABJICA – Flávio Nakaoka
14h30 – orientações gerais para novos bolsistas – Margarida Terao Kitahara
15h30 – ex-bolsista da Capacitação de Gestores – Carlos Kazunari Takahashi
15h45 – ex-bolsista de longa duração – Epidemiologia – Juliana Harumi Iwahashi
INTERVALO
16h15 – ex-bolsista de longa duração – Computação Gráfica/3DCG – William Takashi Yamashita
16h30 – ex-bolsista de curta duração – Planejamento de Transporte – Marcelo Massayuki Nakazaki
16h45 – vídeo dos bolsistas
17h00 – apresentação dos ex e futuros bolsitas – jikoshokai
17h10 – foto oficial
17h15 – mesa redonda
18h00 – encerramento da orientação
Confraternização – local a definir – cada um paga a sua parte

Dia 21 de março de 2015 – sábado – evento gratuito – inscrições às 13h30.
Enkyo (Auditório do Centro de Ação Social) – Rua Fagundes,121- Liberdade – São Paulo – SP

fev 162015
 

jica yokohama8392A bolsa recebeu o nome de Programa de Bolsas de Estudos para Formação de Geração Futura da Comunidade Nikkei. Trata-se de uma oportunidade oferecida pelo governo japonês para estudantes universitários nikkeis, de qualquer área, que pretendam atuar no desenvolvimento das comunidades nikkeis e no fortalecimento do intercâmbio entre o Brasil e o Japão.
O treinamento será realizado entre 1º e 26 de julho de 2015, no Japão, e as atividades programadas são: visita ao museu da migração de Yokohama, palestra sobre imigração, aulas sobre cultura japonesa, idioma japonês, formação da identidade nikkei e a sociedade japonesa. Haverá palestras e estágio dentro da sua área de estudo em universidade, além de intercâmbio com estudantes japoneses.
As inscrições vão até 10 de março de 2015. São 9 (nove) vagas para os candidatos do Brasil. Uma parte das aulas será realizada na JICA de Yokohama, que é um belo lugar (foto) e vale a pena conhecer.
Veja os detalhes no arquivo PDF: Jica Bolsa Universitarios 2015.

nov 242014
 

Koshukai flyer 1 ASEBEX (Associação Brasileira de Ex-Bolsistas no Japão) convida a todos que pretendem ou já estão pleiteando bolsas de estudo ou estágio no Japão para participarem do KOSHUKAI 2015!

Realizado anualmente, o KOSHUKAI é um curso preparatório para futuros bolsistas no Japão. Por meio de palestras relacionadas à cultura, sociedade e cotidiano o principal objetivo é fornecer informações que contribuirão para um melhor aproveitamento de uma bolsa de estudos ou estágio no Japão e acontecerá durante os dias 05 a 30 de janeiro de 2015. Com um conteúdo bem diversificado, o curso aborda diversos temas como: carreira, sucesso e motivação, etiqueta japonesa, história, geografia e economia do Japão, entre outros. Além de mesas-redondas, na qual os futuros bolsistas podem trocar informações com os ex-bolsistas. Os participantes também terão a oportunidade de simular situações do cotidiano japonês por meio de cases.

O KOSHUKAI não é só uma forma de obter informações que contribuirão para um melhor aproveitamento da bolsa no Japão, como também é uma grande oportunidade de integração entre os bolsistas e ex-bolsistas de várias modalidades.

PERÍODO – De 05/01/2015 a 30/01/2015 (de segunda à sexta), 20 dias de seminário, mais um final de semana de integração (17 e 18 de janeiro) em Atibaia. HORÁRIO – Das 19h às 22h

LOCAL – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social – Bunkyo – Rua São Joaquim, 381, 01508-900 – São Paulo-SP

VALOR – Até o dia 19/12/2014, o valor com desconto é de R$ 120,00 (para depósitos efetuados até dia 19/12/2014). Após esta data, valor integral de R$ 150,00. A inscrição dá direito ao curso de um mês, um final de semana de integração (incluso transporte, hospedagem e alimentação), almanaque do bolsista e certificado de participação.

INSCRIÇÕES – http://koshukai.asebex.org.br/

CONTATO – E-mail: koshukai@asebex.org.br – Facebook: facebook.com/koshukai2015

nov 052014
 

A Associação da Província de Kagawa no Brasil comunica que está aceitando inscrições para bolsa de estágio no Japão, para os descendentes dos naturais da província de Kagawa. As bolsas oferecidas pelas províncias são custeadas pelo governo e cobrem as despesas de viagem, alimentação, hospedagem, etc. No caso da bolsa de estágio, o estagiário receberá treinamento dentro de uma empresa privada ou pública, geralmente na província.

A bolsa oferecida pelo governo de Kagawa tem o limite de idade máxima de 40 anos e é exigido que o candidato saiba um mínimo de conversação em japonês. A empresa e o local do estágio dependerá da área de interesse do candidato. O bolsista selecionado viajará em julho e retornará em dezembro de 2015. A data do exame ainda não está definida, mas as inscrições vão até o dia 28/11/2014. Obtenha maiores informações na Associação pelos telefones 5587-5302 e 2276-0281, ou pelo e-mail: contato@kagawa.com.br.

set 202014
 

rikkokai youchienEstão abertas as inscrições para o 21º Exame Seletivo para Estágio Remunerado na Escola Infantil Rikko de Tóquio.

Requisitos: Idade: 18 a 30 anos, solteiro(a).
Trabalhar com Educação Infantil ou estudar pedagogia e outros ligados à área. Ter compreensão do idioma japonês no nível do exame de proficiência N3 ou superior.
Ter parente ou amigo no Japão que possa avalizar a sua estada (imprescindível)
Facilidades: Passagem aérea SP/Tokyo/SP, alojamento, salário de 70.000 ienes mensais, auxílio refeição, cozinha comunitária, etc.
Período: um ano, começando em março de 2015.

As inscrições devem ser feitas até dia 3 de outubro de 2014, e são duas vagas disponíveis. A taxa de inscrição é de R$ 90,00. O exame será realizado no dia 4 de outubro, às 9h30, na sede da Rikkokai, na Rua Primeiro de Janeiro, 53 – Vila Clementino, próximo à estação Santa Cruz do metrô. Informações com a Clarice Nagai. Tel. 11 9,9287-8222. E-mail claricenagai@uol.com.br

A Rikkokai foi fundada por um pastor japonês em 1897, no Japão, para apoiar os emigrantes japoneses e para tanto, criou escolas profissionalizantes, acomodações e bases de apoio para eles. No Japão mantém um alojamento para estudantes e estagiários, e uma escola infantil. Veja em inglês ou japonês.

No Brasil, a Rikkokai vem realizando atividades culturais e sociais. Veja a página do Brasil.

fev 132014
 

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo da Bolsa de Estudos do Governo Japonês (MEXT): Treinamento de Professores e Educadores do Ensino Infantil, Fundamental e/ou Médio, conforme informações abaixo:

• Oportunidade de pesquisa na área da Educação, Metodologias, Administração escolar etc, em universidades japonesas.
• Período da bolsa: 1 ano e 6 meses (embarque em outubro/2014)
• Benefícios: passagem aérea de ida e volta, bolsa auxílio mensal de 143.000 ienes e isenção de taxas escolares
• Período de inscrições: 03/02/14 a 10/03/14
• Exames escritos de línguas: 12/03/14 (4ª feira), às 14:00
• Entrevista: 13/03/14 (5ª feira) – Embarque em outubro/2014!

*Inscrições gratuitas. Informações sobre requisitos e documentos necessários no site do consulado: http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/pt/cultura/bolsa1_trea.htm
Quaisquer dúvidas, entrar em contato: (11) 3254-0100 ou cgjcultural5@sp.mofa.go.jp

bolsas Mext Kyouken 2014

nov 082013
 

A Asebex – Associação Brasileira de Ex-Bolsistas no Japão convida a todos que pretendem ou já estão pleiteando uma bolsas de estudo ou estágio no Japão para participarem do KOSHUKAI 2014!
O KOSHUKAI é um curso preparatório anual para futuros bolsistas no Japão. Por meio de palestras relacionadas à cultura, sociedade e cotidiano o principal objetivo é fornecer informações que contribuirão para um melhor aproveitamento de uma bolsa de estudos ou estágio no Japão e acontecerá durante os dias 06 a 31 de janeiro de 2014.
Com um conteúdo bem diversificado, o curso aborda diversos temas como: carreira, sucesso e motivação, etiqueta japonesa, história, geografia e economia do Japão, entre outros. Além de mesas-redondas, na qual os futuros bolsistas podem trocar informações com os ex-bolsistas. Os participantes também terão a oportunidade de simular situações do cotidiano japonês por meio de cases.
O KOSHUKAI não é só uma forma de obter informações que contribuirão para um melhor aproveitamento da bolsa no Japão, como também é uma grande oportunidade de integração entre os bolsistas e ex-bolsistas de várias modalidades.
Uma grande quantidade de bolsa de estudo e estágio é oferecida todos os anos pelo Japão, e os requisitos para os candidatos variam bastante. Parte das bolsas é de graduação e outras de pós-graduação.

PERÍODO – De 06/01/2014 a 31/01/2014 (de segunda à sexta), 20 dias de seminário, mais um final de semana de integração (18 e 19 de janeiro) fora de São Paulo.
HORÁRIO – Das 19h às 22h
LOCAL – Associação Cultural e Assistencial Iwate Kenjinkai do Brasil, Rua Tomas Gonzaga, nº 95, Liberdade – São Paulo – SP, (Próximo ao Metrô Liberdade – 10 min. andando)
VALOR – Inscrições realizadas de 02/12/2013 até 27/12/2013 o valor com desconto é de R$ 100,00 (para depósitos efetuados até dia 27/12/2013). Após esta data, valor integral de R$ 130,00
A inscrição dá direito ao curso de um mês, um final de semana de integração (incluso transporte, hospedagem e alimentação), almanaque do bolsista e certificado de participação.
INSCRIÇÕES – http://koshukai.asebex.org.br/
CONTATO – E-mail: koshukai2014@asebex.org.br – Facebook: facebook.com/koshukai2014

nov 012013
 

Este Programa tem como objetivo, através de treinamento técnico para os descendentes japoneses da América Latina, contribuir para a formação de profissionais capazes de liderar a comunidade de seus respectivos países. O público-alvo deste Programa são nikkeis que desejam adquirir habilidades técnicas ou conhecimentos necessários ao desenvolvimento profissional e a consequente melhoria da região a que pertencem. As inscrições irão até o dia 27 de Novembro de 2013

Mais informações no site: http://www.jica.go.jp/brazil/portuguese/office/activities/nikkeis01.html#a01

As palestras de divulgação das Bolsas de Estudos da JICA para NIkkeis – 2014 serão realizadas conforme abaixo:

SÃO PAULO – ALIANCA CULTURAL

Data: 6/Novembro (Quarta-feira)  – Horário: 18h30

Local: Aliança Cultural Brasil Japão (Rua São Joaquim, 381 – 6º andar – Liberdade – São Paulo)

Data: 9/Novembro (Sabado) – Horário: 15 horas

Local: Aliança Cultural Brasil Japão (Rua São Joaquim, 381 – 6º andar – Liberdade – São Paulo)

LONDRINA – ALIANÇA CULTURAL BRASIL-JAPÃO DO PARANÁ

Data: 13/Novembro (Quarta-feira) – Horário: 19 horas

Local: Aliança Cultural Brasil-Japão do Paraná (Rua Paranaguá, 1782 – Londrina – PR)

Evento Gratuito/ Vagas Limitadas

MARINGÁ – ACEMA

Data: 14/Novembro (Quinta-feira) – Horário: 19 horas

Local: ACEMA (Salão da Casa dos Estudantes – Avenida Kakogawa, 50 Maringá – PR)

INSCRIÇÕES: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dE12RE92d1FpZjNHcVZDdXRUTHJyOHc6MA

Sobre as Bolsas de Estudos, favor entrar em contato diretamente com Srta. Lissa ou Sra. Margarida, através do telefone: (011) 3251-2655 ou pelo email: brsp_oso_rep@jica.go.jp

out 172013
 

Uma mudança política significativa ocorreu no que tange ao nikkei brasileiro que foi trabalhar no Japão. No dia 15 de outubro de 2013, o governo decidiu suspender a proibição do regresso dos nipo-brasileiros que receberam ajuda financeira em 2009, para voltar para casa, na ocasião da crise financeira mundial.
Naquela época, o governo japonês ofereceu ajuda ao desempregado nikkei dando-lhe uma média de 300 mil ienes para ser usada na passagem aérea para seus países de origem. Isso resultou no êxodo de cerca de 20 mil pessoas, incluindo 5.805 da Província de Aichi e de 4.641 de Shizuoka.
Embora parte desses migrantes tenha ficado verdadeiramente agradecida pela oportunidade de retornar ao país de origem para procurar uma nova ocupação, outros se sentiram insultados porque, ao aceitar o acordo, eles concordaram em não mais retornar ao Japão por um período mínimo de três anos. Isso foi visto como uma escandalosa artimanha do governo para se livrar dos trabalhadores estrangeiros cuja demanda havia diminuído.
Inicialmente, os trabalhadores foram banidos de reentrar no Japão por um período não especificado, mas depois de uma má repercussão nacional e internacional, o governo sinalizou que poderia permitir o retorno deles em três anos, dependendo da economia.
No dia 15, ao divulgar a suspensão da reentrada, o governo citou os recentes sinais da recuperação econômica. Num exemplo, o Ministro da Saúde, do Trabalho e do Bem-Estar disse que os empregos oferecidos em relação à procura têm registrado o índice de 0.95 em agosto. Isso representa um retorno ao nível anterior ao “Choque Lehman”, que causou uma queda vertiginosa na economia mundial.
“Quanto mais o governo alardeava o efeito positivo do “Abenomics” (medidas econômicas tomadas pelo ministro Abe), mais difícil ficava afirmar que a economia não era forte o suficiente para permitir a reentrada dos nikkeis”, observou Ângelo Ishi, professor de sociologia da Universidade Musashi.
Só que essa aparente concessão do governo veio com um entrave que provocou uma visível revolta dentro da comunidade nipo-brasileira. É que ao nikkei é permitido retornar ao Japão se ele tiver um contrato antecipado de trabalho de no mínimo um ano com uma empresa japonesa, o que é considerado quase impossível pela comunidade.
Giullyane Futenma, de 22 anos, diz que a maioria dos estrangeiros nessas circunstâncias pode achar um trabalho como temporário, renovando seu contrato a cada três meses. “Muitos dos meus amigos no Brasil dizem que eles gostariam de voltar aqui agora que a proibição foi suspensa, mas eles não sabem o que fazer com essas condições, afirmou Futenma”. Os pais dela ficaram na miséria quando perderam subitamente seus empregos após o colapso global de 2009 e voltaram para o Brasil.
Apesar disso, o professor Ishi acredita que a medida tenha algum mérito. Ele diz que essa condição dificulta a ação dos astutos empregadores japoneses e intermediários, que tradicionalmente fazem o recrutamento de trabalhadores estrangeiros sem ter nenhum compromisso com eles e sem se preocuparem com os contratos deles. Agora, os funcionários do governo serão obrigados a fiscalizarem os contratos e, se necessário, punir os infratores, além de garantir que o trabalhador esteja na folha de pagamento por pelo menos um ano. “Isso vai permitir que os trabalhadores comecem de novo com uma perspectiva de um trabalho mais seguro”, disse ele, que argumenta que isso sinaliza uma mudança histórica no Japão em relação aos trabalhadores nikkeis.

A bolha econômica do Japão

A aceitação oficial desses trabalhadores ocorreu em 1990, quando a lei de imigração foi revisada para garantir vistos por um período mais longo. O Japão estava desesperado por causa da bolha econômica e precisava de trabalhadores mais baratos para preencher aquelas vagas conhecidas como “3K”: “kitsui” (difícil), “kitanai”(sujo), e “kiken” (perigoso). Entretanto, o governo tomou o cuidado de não admitir que a nação precisasse de mais trabalhadores braçais estrangeiros porque os conservadores temiam que isso fosse tirar o emprego dos japoneses. Embora os oficiais do governo expliquem que a única razão para permitir o regresso desses nikkeis é que a economia está crescendo, alguns especialistas questionam a afirmação. Eles acreditam que isso tem a ver com a ação contra o governo iniciada por Futenma em maio. Futenma e muitos outros relutaram em concordar que suas famílias aceitassem tal acordo, em 2009, para usar o dinheiro e desistir da possibilidade de voltar ao Japão. Uma das conseqüências foi a separação das famílias e amigos que moravam em Hamamatsu, Shizuoka.
“Eu senti como se o governo estivesse dizendo que não precisavam mais porque nós perdemos nossos empregos. Eu gostaria de ter ficado, pois cresci e estava acostumada em morar no Japão, que eu considero minha casa”, disse Futenma, que veio para o Japão com seus pais quando tinha 7 anos.
Dois anos depois de retornar ao Brasil, ela casou-se com Lucas Futenma, que havia comprado sua própria passagem para o Brasil em 2009. Lucas retornou ao Japão em 2012 procurando emprego e pediu que sua esposa fosse readmitida no Japão, mas foi rejeitado por duas vezes.
“Dizer que aqueles migrantes estão impedidos de entrarem no Japão porque eles usaram uma verba de um projeto patrocinado pelo governo não tem qualquer base legal”, disse Ryo Takagai, o principal advogado no processo de Futenma.
Em uma inesperada reviravolta, o governo concedeu o visto de reentrada para Futenma, antes de o julgamento ser aberto. Observadores dizem que era como se o governo soubesse que seria derrotado no tribunal. Agora, os Futenmas estão reunidos e moram em Hamamatsu.
Quando o jornal The Japan Times procurou a informação, um oficial da Imigração explicou que Giullyane Futenma recebeu a permissão de reentrada porque seu estado civil mudou, e assim, a sua situação legal ficou diferente. Porém, o professor Kimihiro Tsumura da Universidade de Hamamatsu acredita que a vitória de Futenma, sem dúvida, foi o que forçou o governo a tomar essa atitude. “Eu espero que o Japão tenha aprendido a lição e nunca mais recorra a esse tipo de programa desumano, mesmo que a situação econômica piore novamente”, disse ele.
Embora Futenma tenha concordado em sair do país junto com seus pais, recebendo a ajuda do governo em 2009, muitos nipo-brasileiros de sua idade preferiram permanecer, disse Tsumura. Ele acredita que o governo provavelmente não percebe e trata os filhos dos trabalhadores como meros acompanhantes dos pais, mas é certo que eles possuem independência e sentimentos.
De fato, muitos desses jovens se manifestaram para ajudar Futenma, criando um forte clamor público que o governo não teve como ignorar. “De certa forma, esses jovens nikkeis deram um passo corajoso, mostrando que eles são totalmente capazes de tomar suas decisões e agir por conta própria”, concluiu Tsumura.

(tradução livre da matéria publicada pelo The Japan Times, edição de 15/10/2013, autor: Tomohiro Osaki)